sexta-feira, novembro 24, 2017

Lokan contra Felaton : parte: 02

.
Fonte da imagem: Kotaku Australia

  Lokan volta para o vilarejo e encontra com o Elden e Ella.
  - Então eu vou destruir essa parede - disse o Lokan.
  - Não quer que eu vá nessa aventura? - Disse Elden.
  - Não desta vez eu vou sozinho, caso eu me transforme em um desses soldados de pedra, você pode atacar depois, só que com mais cuidado do que eu tomei.
  - Está bem, tome cuidado e não vire pedra.
  - Não se preocupe eu vou tentar.
  Lokan pegou o cavalo e foi na direção da cidade da pessoa, lá conseguiu mais informações de onde estaria a tal parede, então ele foi de encontro a tal parede.
  No caminho ele encontrava com alguns soldados de pedra, ficava cortando eles, por sorte ele era muito ágil, ficava destruindo os soldados fácil.
  Então estava conseguindo ver a tal parede, viu uma pessoa com uma marreta indo em direção da parede, mas na parede tinha cristais azuis neles saiam os raios que transformavam as pessoas em pedra.
  Notou que não tinha como chegar perto da parede sem se transforma em pedra, enquanto isso a pessoa com a marreta se transformou em um soldado de pedra e foi na direção de dele.
  Quando chegou perto, ele cortou o soldado ao meio, depois ficou olhando a parede e teve uma ideia, pegou a marreta e jogou a marreta na parede, então foi possível quebrar uma parte dela.
  Notou que com a força dele, pode fica destruindo a parede numa distancia segura, então subiu em cima do cavalo e foi em direção dos soldados de pedras os que ele havia derrotado antes, pegando as armas deles.

                                                         Continua..

Veja a parte anterior: parte 01

quinta-feira, novembro 23, 2017

Lokan contra Felaton : parte: 01

.
Fonte da imagem: Kotaku Australia


  Lokan ainda morava no vilarejo, Junto com Elden e Ella, eles naquele momento estavam vivendo em paz, até que escutam um barulho de alguém correndo.
  Ouvindo os paços Lokan foi à direção de quem estava correndo, quando chegou perto viu que era uma pessoa normal, depois viu uma pessoa feito de pedra com uma espada.
  Concluindo rapidamente qual era o problema, pegou a espada e foi na direção da pessoa de pedra, deu um golpe cortando a pessoa de pedra ao meio, depois de ver isso a pessoa parou.
  - Você conseguiu cortar ele com um golpe só - Disse a pessoa.
  - Sim - disse o Lokan.
  - Você é um elfo?
  - Sou na verdade metade elfo e metade orc.
  - Me desculpe eu não agradeci, obrigado por me salvar.
  - Á mais como ele?
  - Infelizmente muito mais.
  - Eles estão aqui por perto.
  - Eu não sei, pelo o que eu vi só esse estava me seguindo.
  - O que são essas criaturas?
  - Um feiticeiro chamado Felaton, estava fazendo mal a minha cidade, então fomos atrás dele e conseguirmos mata-lo, mas antes de morrer ele fez um feitiço, fazendo uma parede, todos que se aproximam dessa parede se transformam em um soldado de pedra, quando transformado em pedra, eles se movimentam e tentam matar todos os seres vivos por perto.
  - Basicamente sendo um problema para todo mundo.
  - Exato.
  - Então não se preocupe eu vou destruir essa parede.
  - Me desculpe, mas quem é você.
  - Eu sou Lokan.

                                                                 Continua...



quarta-feira, novembro 22, 2017

Espelho, espelho da parede : parte: Final

Fonte da imagem: Portal Angels

  - Ok, eu vou tentar - Disse para ela.                                                                                                
  - Por favor, consiga.                                                                                                                           
  - Você pode me mandar de volta?                                                                                                        
  - Sim, boa sorte.                                                                                                                                   
  - Espero.                                                                                                                                        
  Volto no local do acidente, só que eu estava fora do carro, à primeira coisa que fiz foi pegar um táxi, para ir ao meu apartamento, a viagem estava indo tranquilo, até que finalmente chegamos, paguei o taxista.                                                                                                                                    
  - Isto vai acabar de uma vez por todas - falei isso fora do carro encarando o meu apartamento - Vou te destruir seu espelho filho da pulta.                                                                                          
  Entrei no prédio entrei no elevador, só que lá tinha um espelho e o meu reflexo estava me encarando, só que só percebe isso tarde demais, voltei quando as portas já estavam fechadas, tinha apertado o botão.                                                                                                                                  
  - O que você está fazendo? - Disse o espelho.                                                                                     
  - O que eu devia ter feito a muito tempo.                                                                                              
  - Pense quantos criminosos poderíamos prender, isso pode te ajudar na sua carreira                         
  - Neste momento só um me interessa prender um criminoso, ele induziu outras pessoas a matarem por ele, sei que no Brasil não tem sentença de morte, mas no caso dele, essa é uma pena apropriada. - Você nunca vai conseguir.                                                                                                                 
  - Fico feliz em saber que realmente tem uma chance disso.                                                                
  - Por que você acha isso?                                                                                                                     
  - Porque você está com medo.                                                                                                               
  - Eu vou te matar.                                                                                                                                 
   - Me desculpe, mas você já teve a sua chance e você falhou.                                                   
  Aporta do elevador abriu, entrei na minha casa, peguei o martelo, fui no espelho e sem pensar duas vezes quebrei ele, fiquei batendo na moldura de madeira, depois fiquei queimando a madeira no lixo.                                                                                                                                      
  Finalmente tudo acabou. Anos se passaram conheci uma lida mulher, e no casamos e tivemos uma linda filha, colocamos o nome dela de Helza, achei apropriado porque ela tinha me ajudado, e todos nós vivemos felizes para sempre.

                                                                Fim.

Veja a parte anterior: parte 01, parte 02, parte 03, parte 04, parte 05, parte 06, parte 07, parte 08, parte 09

terça-feira, novembro 21, 2017

Espelho, espelho da parede : parte: 09

Fonte da imagem: Portal Angels

  Entrei no carro, comecei a andar em alta velocidade, a vontade de quebrá-lo era mais alta possível, tinha que fazer isso rápido, se não corro o risco de matar alguém por acidente, aquilo de me controlar para matar o meu chefe foi pura sorte.                                                                              
Na estrada ainda estava tomando meus devidos cuidados, para não me envolver em um acidente, não queria dar nenhuma chance para o espelho para me matar, sei que qualquer descuido meu pode ser fatal.                                                                                                                             
Infelizmente cometei um erro, olhei para o retrovisor, e nele mostrava que não tinha nenhum carro, mas o espelho mentiu, justamente aparece um carro, e eu bato nele como eu estava em alta velocidade, acabei capotando.                                                                                                          
  Por um momento fiquei inconsciente, mas quando acordei estava de novo na floresta, isso por um momento ficou muito confuso, pensei, mas como isso pode ser, mas de repente me lembrei da rainha má e tudo ficou claro.                                                                                                  
  Levantei-me fiquei olhando de um lado para o outro, procurando ela, não estava encontrando até que finalmente vi, fui à direção dela.                                                                                                    
  - Obrigado - Não sei se isso me salvou do acidente, mas na dúvida é melhor agradecer mesmo assim
  - Você tem alguma coisa a dizer.                                                                                                         
  - Só tome cuidado, pelo caminho que você vai.                                                                                         - Posso lhe fazer uma pergunta?                                                                                                           
  - Sim.                                                                                                                                                     
  - Qual é o seu nome verdadeiro?Para não ficar só te chamando de rainha má.                                    
 - Eu mereço este nome, pelo que fiz.                                                                                                          
  - Sei que o espelho, fez que você tentar-se matar a própria filha, mas mesmo assim eu gostaria de saber o seu nome.                                                                                                                                        
  - Meu nome é Helza.                                                                                                                             
  - Helza?                                                                                                                                                         
 - Sim.                                                                                                                                                             
 - Muito prazer te conhecer Helza.                                                                                                            
  - Tenho alguma coisa para dizer.                                                                                                                   
 - O quê?                                                                                                                                                     
  - Por favor, destrua este espelho.                                                                                                               
  - Eu vou fazer o meu melhor.                                                                                                                      
  - Se você não fizer poder acabar te matando.                                                                                         
  - Me diga você também avisou isso para as outras pessoas?                                                                       
  - Sim, avisei para eles.                                                                                                                                            - Prometo que vou sair melhor do que elas.                                                                                                
  - Só para não fazer nenhuma besteira, como se destrói este espelho?                                                 
  Pode parecer uma pergunta estúpida, mas estamos falando de um espelho mágico talvez para destruir é preciso fazer algum tipo de ritual, que não conhecia, neste momento não podia arriscar.         
  - Simples você quebra o espelho e também queimar a moldura - Disse ela.                                             
  - Simples assim.                                                                                                                                        
  - Sim, como você queria que fosse?                                                                                                      
  Por todos os problemas que ele está me dando, essa possibilidade em manipulação e se mover de espelho para espelho, pensava que seria muito mais complicado que isso, mas se ela está dizendo isso.                                                                                                                                                                      
                                                                              Continua....

Veja a parte anterior: parte 01, parte 02, parte 03, parte 04, parte 05, parte 06, parte 07, parte 08

segunda-feira, novembro 20, 2017

Espelho, espelho da parede : parte: 08

Fonte da imagem: Portal Angels

  - Do que você está falando?                                                                                                                        - Ela não era madrasta da Branca.                                                                                                                
  - Então o que...                                                                                                                                           Um pensamento assustador me veio na cabeça, admito quando soube do espelho, pesquisei melhor sobre essa história sobre o que a primeira versão contava.                                                                         - Seu maldito! - Gritei para o espelho.                                                                                                      - Você sabe da verdade.                                                                                                                        
  - Você é um monstro.                                                                                                                    
  - Não, os meus donos são.                                                                                                            
  - Você fez com ela tentar-se, matar a própria filha.                                                                                   Nas primeiras histórias a tal rainha má nunca foi madrasta da branca de neve, ela era mãe dela, dizem só mudaram a relação das duas, para vender melhor a história.                                                        - Espelho, por que você fez isso?                                                                                            
  - Eu acho que você está esquecendo algo.                                                                                     
 - É do que eu estou me esquecendo.                                                                                                            
  - Eu não forcei você, a fazer essas perguntas, você fez por conta própria, está lembrando ou não.                
  - Sim, eu me lembro.                                                                                                                                
  Os momentos que acontecem depois das perguntas é inteiramente sua responsabilidade, e não minha.                                                                                                                                                          
   - E por que você não é culpado de nada.                                                                                               
   Nesse momento, uma pessoa entrou na banheira, começou a fazer xixi no nictório, estava guardando a minha raiva, para não parecer que nem um maluco para ele, a pessoa fez as necessidades e depois saiu.                                                                                                                            
  - De novo porque você acha que você se ausenta de culpa.                                                                   
  - Você conhece a história do sapo e o escorpião.                                                                                           
  – Conheço.                                                                                                                                                  
  - O que o escorpião disse para o sapo no final.                                                                                            
  - Algo como “você sábia quem eu era desde o inicio”.                                                                               
  - Por quê?                                                                                                                                                     
  - Acabei de explicar.                                                                                                                                     
  - Não, porque você destrói a vida dos seus donos.                                                                                
  - Só por um motivo.                                                                                                                                                 - Qual seria?                                                                                                                                                   
 - Porque é divertido.                                                                                                                                     
 - Você é um bastardo.                                                                                                                                
 - Eu vou destruir a sua vida como fiz com os outros.                                                                                  
  - Eu vou te destruir.                                                                                                                                       
  - Quero ver você tentar.                                                                                                                                 
  - Vou indo.                                                                                                                                                     
  - É inútil.                                                                                                                                            
  Comecei saindo da delegacia de policia, tentava fazer o máximo para não olhar para nenhum espelho, de vez em quando ficava tentado a olhar, desviava o olha no ultimo segundo, tenho que dizer que eu mereço o que está acontecendo comigo agora, sábia que aquele era um espelho do mal e eu o subestimei.                                         

                                                                   Continua...                                                                                          
Veja a parte anterior: parte 01, parte 02, parte 03, parte 04, parte 05, parte 06, parte 07

sexta-feira, novembro 17, 2017

Espelho, espelho da parede : parte: 07

Fonte da imagem: Portal Angels

  Quando vi isso, me lembrei do que eu devia fazer, mas o espelho ainda mostrava que o meu chefe ainda apontava a arma para mim, fiz o máximo para tentar esquecer aquela imagem.                                                 Quando estava caminhando fiquei pensando como aquele espelho pode fazer algum tipo de ilusão, sábia que aquele era só um espelho normal, então como aquilo estava fazendo isso.                                
  Por um momento eu paro e penso nas palavras “Espelho mágico" e não acredito como eu posso ser tão burro e não percebe algo que estava bem na minha frente, ele não só tem efeito em si mesmo, mas todos os outros também, como fui tão burro em achar que tudo isso seria fácil de controlar, que burro, idiota.                                                                                                                                    
   Devia ter destruído aquele espelho quando tive a chance, mas não eu tinha que fazer as perguntas ao espelho, porque você teve que se achar diferente das outras vítimas.                                                     
   Vi um banheiro masculino, entrei nele, fiquei olhando para ver se tinha, mas alguém no lugar, por sorte, não havia ninguém então olhei no espelho do banheiro.                                                             
    Sei que era loucura, mas tinha que confirmar de que o espelho mágico estava afetando todos os espelhos, só esperava que ninguém entrar-se no banheiro, porque seria constrangedor.                     
     - Espelho, espelho meu você está aí - Falei isso encarando o espelho.                                                      
    - Sim - Ele fez o meu reflexo responder.                                                                                                 
  - Espelho, Espelho meu por que você machucou todas aquelas pessoas?                                                   
  - Nunca machuquei ninguém.                                                                                                                          
  - Seu mentiroso.                                                                                                                                            
  - Meus donos eles machucam asa pessoas.                                                                                                   
   - Eu quase matei o meu chefe.                                                                                                                    
  - Sim, você quase matou, mas eu não.                                                                                                       
  - Então você se exalta de culpa.                                                                                                               
  - Exatamente.                                                                                                                                            
  - Espelho, espelho meu, por que você me fez ver a rainha má?                                                                      
  - Rainha má?                                                                                                                                                  
   - Estou falando da ilusão que você criou.                                                                                                      
    - Que ilusão?                                                                                                                                            
    Por um momento fiquei pensando será que ele estaria mentindo, mas dava para notar, que ele não sábia do que eu estava falando, falo isso por experiência, depois de interrogar muitas pessoas, você fica especialista em saber se a pessoa está mentindo.                                                                              
    Mesmo eu sabendo que ele é um ser mágico, mas com relação a mentirás todos reagem da mesma forma, e dava para ver que ele estava dizendo a verdade, então será que era ela mesma.                         
  - Eu soube o que você fez com a rainha má - Disse olhando para o espelho.                                             
   - Rainha má?                                                                                                                                                 
  - Ela não me falou o nome dela.                                                                                                                     
  - Não sei de quem você está falando.                                                                                                         
  - Estou falando daquela história da branca de neve.                                                                                    
  - Oh, me lembrei.                                                                                                                                          
 - Soube o que você fez com a madrasta da branca de neve.                                                                              
 - Madrasta?!                                                                                                                                                 
 - Sim, madrasta.                                                                                                                                               
 - Ela não te contou tudo, não foi?                                                                                                                      

                                                                           Continua...

Veja a parte anterior: parte 01, parte 02, parte 03, parte 04, parte 05, parte 06