segunda-feira, julho 27, 2009

Chino: A invasão americana

Narração: estava havendo a segunda guerra os estados unidos estavam invadindo o Japão, em novembro de 1945, essa historia se passa numa pequena aldeia do Japão chamada, Hankauo, era uma aldeia calma, guardada por min, eu sou um samurai, eu sempre gostava das culturas antigas, estava eu na minha cabana quando tudo começou e meu nome é Chino...
(cena)
uma pessoa contendo um roupa de samurai normal, mas a roupa dele é toda preta com o diferêncial, do sol vermelho nas suas costas, e ainda com raios de sol também dá cor vermelha, o nome dele é Chino, ele andava na ruas de pedras, até a cidade de Hankauo, era uma grande aldeia, ele só ficava andando, um homem com a roupa do exercito do Japão estava indo de encontro á ele.
Chino:
- o que você está fazendo?Kubaraki.
Kubaraki:
- eu vou me alistar no exército japonês.
Chino:
- você vai abandonar o nosso vilarejo.
Kubaraki:
- você sabe que eu não quero fazer isso, mas o nosso imperador, está querendo que a gente lute contra esses americanos.
Chino:
- americanos, por que o que eles estão fazendo?
Kubaraki:
- eles estão invadindo o Japão.
Chino:
- eu não sabia disso.
Kubaraki:
- por isso eu acho que você devia lutar com a gente.
Chino:
- eu lutarei, quando eles fizeram algum mal ao nosso vilarejo.
Kubaraki:
- o imperador quer que a gente lute pelo bem da nossa nação.
Chino:
- você sabe o que eu penso sobre as lutas.
Kubaraki:
- eu sei, você ainda tentar fazer o estilo samurai, nessas épocas.
Chino:
- você está querendo lutar pelo imperador certo?
Kubaraki:
- certo.
Chino:
- lute pelo nosso vilarejo, lute para salvar e não para matar, o que o nosso imperador quer, é matança.
Kubaraki:
- como você ousar falar assim do nosso imperador.
Chino:
- eu tenho respeito por ele, as pessoas que lutam pelo certo, são o que acabam fazendo o mal, ele está lutando pelo que acha que é certo, você deve lutar, pelo bem, tentar salvar e proteger, sem ferir ninguém assim a pessoa faz literalmente o certo.
Kubaraki:
- se eu fica aqui estarei desobedecendo o imperador.
Chino:
- fique e lute pelo nosso povo, você estará fazendo o certo.
Kubaraki:
- como você sempre me convence a fazer algo.
Chino:
- hahahahahha...vamos.
(cena)
Num grande congresso militar, numa sala tinha um mapa dos Estados Unidos, bem grande, e tinha uma homem com capar preta, e uma grande espada grande nas costas, estava olhando fixamente para o mapa, um general que tinha tipo físico de um fisiculturista, com um pequeno arranhão perto do queixo esse é o general Jones, e o da espada era Horoshi.
General Jones:
- eu soube que você é japonês, eu soube que atende pelo nome de Horoshi, bem eu sou o General Jones, fico imaginando o que um japonês como você está fazendo numa base americana.
Horoshi:
- você não sabe muito sobre min general, e quero que continue assim, se você não se importa.
General Jones:
- eu sei que você e seu amigo, vão ser os grandes traidores, para min devemos matar vocês, antes que vocês façam alguma coisa contra o nosso grande país.
Horoshi:
- (deu um pequeno riso) o seu país é realmente muito grande, vocês devem está orgulhosos.
General Jones:
- lógico o nosso país é um dos maiores do mundo.
Horoshi:
- creio que vocês devem achar que tamanho é poder.
General Jones:
- você tem uma espada grande nas costas, acho que você tem esse mesmo pensamento.
Horoshi:
- pobre tolo.
General:
- O QUE VOCÊ DISSE?
Horoshi:
- eu não escolho essa espada, pelo fato dela ser grande, escolhe pelo fato dela ser pesada, para me dificulta na hora dos treinamentos, quero me tona o mais forte.
General Jones:
- o que você vai fazer quando se tona o mais forte.
Horoshi:
- os protegerei de pessoas que nem você que só pensa em sangue.
General Jones:
- temos que pensa em sangue se queremos realizar uma guerra, temos que querer muito sangue.
Horoshi:
- nunca fui muito a favor da guerra.
General Jones:
- então quando você vai trair a gente.
Horoshi:
- eu sirvo apenas uma pessoa, qualquer que seja a ordem dele eu tenho que cumprir não importando se isso vai contra as minhas crenças.
General Jones:
- isso faz de você (uma pessoa nada confiável) que merece morrer agora antes que você pense em fazer algo com a gente.
(cena)
Horoshi desaparece e aparece ao lado do General dando um soco na barriga dele, o general vai para trás quase caindo, um outro general aparece ele tem várias medalhas e é de uma aparência jovem, ele é Kristam.
Kristam:
- PAREM COM ISSO JÁ.
General Jones:
- eu sei que vocês Kristam vai acabar nos traindo, eu só vou esperar esse momento.
Kristam:
- o que você diz é altamente desrespeitoso você devia pedir desculpas.
General Jones:
- eu sei que estou certo.
Kristam:
- uma briga nessa hora é inútil, temos ordens diretas para atacar o Japão.
General Jones:
- eu vou está lá matando vários japoneses, isso vai ser muito legal.
(cena)
o general Jones saiu pela porta.
Horoshi:
- eu quero ter o prazer de matá-lo.
Kristam:
- você deve ter calma, principalmente nesses tempos de guerra.
Horoshi:
- nós vamos atacar o Japão?
Kristam:
- vamos (falou isso com, rancor).
Horoshi:
- percebo um pouco de rancor na sua voz.
Kristam:
- nós vamos atacar o Japão, e eu sempre fui inspirado em conhecer a cultura japonesa, eu contratei você quando estava lá.
Horoshi:
- eu sei disso.
Kristam:
- eles querem que eu lidere o ataque por conhecer os lugares.
Horoshi:
- eu entendo o senhor não pode escapar da sua obrigação.
Kristam:
- quando eu penso em não atacar eu penso o que aconteceu em pearl harbor, isso me incentiva a luta.
Horoshi:
- vamos cumprir a nossa missão.
Kristam:
- Vamos.
(cena)
kubaraki e Chino estavam andando eles estavam vendo o vilarejo, estavam vendo as pessoas pegando sacolas estavam vendo que quase todo vilarejo querendo ir embora.
Chino:
-maldita guerra.
Kubaraki:
- o que foi?
Chino:
- isso está fazendo todo mundo ter medo de fica na sua casa, o pior que essas bombas podem atacar qualquer.
Kubaraki:
- para onde eles vão.
Chino:
- todos mesmos nos momentos mais difíceis das nossas vidas, sempre temos um lugar para ir, mas infelizmente não vai ser garantido que esse lugar á pessoa vai ter tudo que merece.
Kubaraki:
- você tem razão eu tenho que fica aqui, para proteger os que não querem ir.
Chino:
- eu acho que eu devo ajudar as pessoas que estão querendo ir.
Kubaraki:
- você tem razão.
Chino:
- eu sei que eles vão ser atacados.
Kubaraki:
- o que faremos esperar que todo o mal venha.
Chino:
- e devolvê-lo de volta para o lugar á que ele pertence.
Kubaraki:
- eu tenho certeza que nessa guerra você iria ajudar muito.
Chino:
- eu já disse não gosto de guerras, eu tento evitar e muito as brigas.
Kubaraki:
- eu sei disso, mas você já batalhou muito.
Chino:
- mas eu sempre queria evitar essas brigas.
Kubaraki:
- vai ser uma tristeza se isso daqui for atacado.
Chino:
- por isso vamos estar aqui, para evitar.
(cena)
Chino levanta a mão e o Kubaraki segura a mão dele.
Kubaraki:
- vamos defender o nosso vilarejo até a morte.
Chino:
- até a morte.
(cena)
O general Jones estava numa academia, e lá tinha um saco de areia, ele batia nesse saco, sem parar, o general Kristam estava no local, estava andando perto.
Kristam:
- se o inimigo estiver à distância de nada vai adiantar um soco forte.
Jones:
- você veio aqui para dá uma de esperto.
Kristam:
- só estou falando umas das...
(cena)
Jones dá um soco na cara de Kristam ele cai no chão.
Jones:
- se ele está em curta distância, um bom soco, pode fazer a diferença entre a vida e a morte.
Kristam:
- eu soube que você queria(kristam se levantou) eu aqui por algum motivo, se o seu objetivo era me agredir, eu vejo que você só fez perder o meu tempo.
Jones:
- as ordens do coronel, foram que a sua tropa e a minha forcemos atacar um vilarejo, que lá pode está cheio de armas de destruição, isso me revolta, porque eu sei que...
(cena)
Kristam dá um soco na barriga, do Jones e ele vai até a parede.
Jones:
- isso foi traição.
Kristam:
- você se descuidou.
Jones:
- seu desgraçado.
(cena)
O Jones dá um soco, o Kristam esquivar e dá um soco na costela de Jones, Jones tenta dá uma joelhada na barriga de Kristam, mas ele segura o joelho com as duas mãos e se empurra para longe do Jones.
Kristam:
- vamos, eu soube que você é capaz de derrota vários homens, com um só soco, pelo visto eu estava enganado.
Jones:
- NÃO BRINCA COMIGO.
Kristam:
- eu vou demonstrar o quanto patético você é.
Jones:
- VOCÊ VAI MORRER.
(cena)
Horoshi entrou na academia.
Horoshi:
- senhor, parece que já vamos.
Jones:
- EU VOU ACABAR COM O SEU LACRÁIO PRIMEIRO.
(cena)
Jones vai para o Horoshi, quando Jones chega perto, Horoshi só dá um soco na cara de Jones, e o Jones caiu inconsciente.
Horoshi:
- senhor, desculpe, mas não temos tempo a perder.
Kristam:
- eu sei. Ele me chamou para cá, eu pensava que era alguma coisa importante, mas pelo visto eu estava enganado.
Horoshi:
- vamos.
Kristam:
- vamos.
(cena)
Os americanos estavam invadindo o Japão, estava havendo a guerra, o Horoshi estava numa das embarcações que estava indo atacar, junto estava o general Kristam.
Kristam:
- eu sei que é muito para eu pedir para você, mas você poderia, atacá-los, isso vai fazer com que menos gente da minha tropa morram.
Horoshi:
- sim, Senhor.
(cena)
Quando o Horoshi invadiu a praia, ele estava se esquivando de todos os tiros, desviava e atacava os soldados que estavam defendendo a praia, os outros soldados estavam chegando para ajudar o horoshi, todos chegaram na praia até o general Jones, ele estava com muita raiva de Horoshi e do general Kristam.
Jones:
- como eu queria atirar nesse general de merda.
(cena)
O Jones ficava atirando.
Jones:
- morram japoneses desgraçados.
(cena)
Depois de muitos minutos de batalha ela finalmente acabou.
Todos os soldados:
- HOROSHI, HOROSHI, HOROSHI!
Jones:
- esses caras só ficam vendo esse tal de Horoshi como herói.
Soldado#1:
- é por que ele salvou a maioria de nós senhor.
Jones:
- eu não perdi a sua opinião.
Soldado#1:
- me desculpe.
Jones:
- esses dois vão nos trair eu sinto isso.
Soldado#1:
- se quiser sem fazer isso já teriam feito.
Jones:
- vocês vão ver que eu estava certo.
(cena)
Todos ao redor de Horoshi:
Kristam:
- você salvou a maioria eu estou muito orgulhoso de você.
Horoshi:
- eu só estou fazendo o meu trabalho.
Kristam:
- não pare de fazer isso, até o fim dessa guerra.
Horoshi:
- sim, senhor.
(cena)
Um soldado japonês estava indo para o vilarejo Hankauo e ele estava todo ensangüentado, e estava dirigindo um jipe, quando chegou no local, ele parou no hospital, essa noticia chegou rápido, e o Chino foi para o local onde estava o soldado.
Chino:
- eu soube que você estava no local da batalha?
Soldado#2:
- sim.
Chino:
- por que só você voltou.
Soldado#2:
- os americanos estão nos massacrando na praia.
Chino:
- quanto tempo você acha que eles vão levar para chegarem aqui.
Soldado#2
- eu não daria dois dias, estão dominando completamente a praia.
Chino:
- as armas deles são tão avançadas assim.
Soldado#2:
- não é isso senhor Chino, alguém comparado as suas habilidades estão ajudando os americanos.
Chino:
-os americanos comparados a nós em estilo de samurais, a nossa cultura não foi muito bem ensinada lá, é impossível alguém de fora ter as destrezas de um samurai.
Soldado#2:
- eu posso lhe garantir esse tinha.
Chino:
- era só um ajudando os americanos com as minhas habilidades?
Soldado#2:
- exato Chino.
Médica#1:
- eu acho que ele não está bem pode estar tendo delírios.
Soldado#2:
- eu juro é verdade.
Chino:
- eu vou ter que ir lá, para ver isso direito.
Médica#1:
- você pretende ir até lá, você pode enfrentar um exército, só pelo fato, de estar lá.
Chino:
- eu vou matar tantos quantos poder.
Médica#1:
- por que você vai fazer isso?
Chino:
- você vai entender.
Médica#1:
- lembre-se que você protege esse vilarejo.
Chino:
- fazendo o que eu estou pensando, vou salvar o vilarejo inteiro.
(cena)
Kubaraki estava vendo o Chino sair da cidade, o Kubaraki foi correndo atrás dele, quando chegou perto.
Kubaraki:
- você estava pensando em lutar com eles?
Chino:
- sim, essa é a minha idéia.
Kubaraki:
- você hoje estava me dizendo que eu não devo me envolver nessa guerra, agora me dizem que você vai para a guerra.
Chino:
- estou indo para que no final sejam sós duas pessoas lutando.
Kubaraki:
- do que você está falando?
Chino:
- existe alguém com força sobre-humana como eu tenho, não posso ignorar esse fato, eu tenho que lutar com esse cara.
Kubaraki:
- entendo você vai provar para eles que aqui também tem uma pessoa sobre-humana, e quando os mais fortes lutarem entre-se, e se você ganha a tropa americana não sentira muita vontade de lutar aqui.
Chino:
- por isso eu tenho que ir.
Kubaraki:
- me deixe ir.
Chino:
- você vai precisa de muita energia caso eu perca a luta.
Kubaraki:
- certo.
(cena)
Nos locais onde os americanos estavam, o Horoshi estava olhando o horizonte, o general Kristam estava chegando perto.
Kristam:
- eu sei que algo o perturba, o que é?
Horoshi:
- devemos agir logo.
Kristam:
- calma tudo ao seu tempo.
Horoshi:
- não teremos tanto tempo para ficarmos calmos o Japão vai revidar.
Kristam:
- você deve fica aqui para todas as tropas vinherem para cá.
Horoshi:
- eu acho que vi um escapar.
Kristam:
- do que você está falando?
Horoshi:
- um saiu vivo.
Kristam:
- você tem certeza disso?
Horoshi:
- não.
Kristam:
- tomara que isso não tenha ocorrido.
(cena)
20 soldados estavam em um acampamento, o Chino estava se aproximando.
Soldado#3:
- ei vocês, um japonês está vindo.
(cena)
Todos os soldados estavam apontando para ele.
Soldado#3:
- VOCÊ ENTENDE INGLÊS.
Chino:
- EU ENTENDO.
Soldado#3:
- ENTÃO SAIA DAQUI, VOCÊ NÃO PODE PASSAR.
Chino:
- PELO QUE EU SEI, AQUI É O JAPÃO, E EU SOU UM JAPONÊS, VOCÊS AMERICANOS É QUE NÃO DEVIAM ESTÁ AQUI.
Soldado#3:
- VAMOS ATIRAR NO 3...1...2...3...
(cena)
Os americanos começaram á atirar, mas nenhum tiro acertava, no Chino.
Soldado#4:
- eu não entendo ele está totalmente parado, e não estamos acer....
(cena)
10 soldados, de repente estavam jorrando sangue, eles foram todos cortados.
Soldado#2:
- co...o...omo ele fez isso(dizendo isso com medo).
Chino:
- SAIAM DAQUI, OU A OUTRA METADE VAI MORRER.
(cena)
Soldado#2 estava morrendo de medo, estava mijando nas calças.
Soldado#2:
- SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.
(cena)
Soldado#2 saiu correndo.
Soldado#5:
- que medroso.
Chino:
- ele fez o certo.
Soldado#5:
- CALE A BOCA.
(cena)
Eles começaram á atirar, depois de alguns tiros, os 9 soldados começaram a jorrar sangue, e todos eles estavam cortados.
Chino:
- com certeza a pessoa não estava aqui.
(cena)
Ele estava vendo toda a cabana.
Chino:
- bem já que não tem mais ninguém aqui, vou para outro lugar
(cena)
O General Jones estava andando em um jipe com outros soldados.
Jones:
- O QUE É ISSO?
(cena)
Tinha um batalha de soldados que estavam todos mortos, estavam cortados.
(cena)
Soldado#6 saiu do jipe e foi vomitar.
Soldado#6:
- como isso aconteceu?
Jones:
- você sabe onde está o Horoshi?
Soldado#6:
- ele está na praia.
Jones:
- QUEM FEZ ISSO?
(cena)
O Chino estava andando em direção á eles com a espada toda ensangüentada.
Chino:
- eu queria evitar tudo isso, mas eles pensavam que eram invencíveis, e continuaram querendo lutar.
Jones:
- VOCÊ FEZ TUDO ISSO?
Chino:
- VOCÊS NÃO SÃO BEM VINDO, VOLTEM SE VINHER EM MISSÃO DE PAZ.
Jones:
- QUEM ESTÁ TE AJUDANDO?
(cena)
Chino desaparece e aparece em cima do capô do Jipe.
Chino:
- eu prefiro fica aqui conversando que eu estou cansado dessa gritaria.
Jones:
- MALDITO.
Chino:
- não precisa grita.
Jones:
- quem te ajudou?
Chino:
- eu enfrentei todos eles sozinho.
(cena)
Jones ver um tanque cortado ao meio.
Jones:
- UM TANQUE VOCÊ CONSEGUIU CORTAR UM TANQUE QUE MONSTRO VOCÊ É, EU SABIA TODOS OS JAPONESES SÃO DEMONIOCOS.
Chino:
- dá para você parar de gritar.
Jones:
- e ainda faz piadinha.
Chino:
- vou contar basicamente o que aconteceu.
(cena)
Soldado#7:
- olham um japonês.
(cena)
O chino estava vendo muitos soldados que estavam lá.
Soldado#7:
- SAIA DAQUI.
(cena)
O Chino, desaparece e aparece enfiado a espada na cabeça do soldado#7, depois desaparece cortando 20 soldados, apareceu no meio de 10 soldados, e eles estavam em circulo, atiraram, mas o Chino tinha desaparecido, os tiros acabou acertando todos das tropas, uns cara que estavam no tanque começou a atirar, o chino desaparece e aparece depois atrás do tanque cortando ele ao meio, um soldado pegou um lança-mísseis e atirou um míssel o Chino pegou o missel quando estava no ar e lançou para o saldado que lançou o míssel, um deles apontou a arma para o chino, e de repente o cara estava sem os braços, alguns lançaram granadas, mas não acertava por que ele sempre desaparecia na hora, depois cortou mais uns 20 soldados ao meio, ele ficava cortando sem parar. Voltando ao tempo atual.
Chino:
- é foi por aí, que tudo isso aconteceu.
(cena)
O Soldado#6 começou a vomitar de novo.
Chino:
- o que foi você acha que nas guerras, não acontece esse tipo de coisa?
Soldado#6:
- eu pensava que eu estava pre...
(cena)
O Jones dá um soco na Soldado#6 e ele caiu no chão.
Jones:
- pare de reclamar, essa guerra agora que está me interessando.
Chino:
- eu soube que tem alguém na sua base, que se compara comigo em habilidade.
Soldado#1:
- eu não entendo como você aprendeu inglês.
Chino:
- eu estava aqui alguns anos atrás quando vocês americanos estavam apresentando metralhadoras para os japoneses e a era dos samurais estava acabando.
Soldado#1:
- mais isso foi á muito tempo, como você podia está lá.
Chino:
- é que eu sou imortal.
Soldado#1:
- isso é mentira.
Chino:
- só porque você não quer acreditar não quer dizer que não seja verdade.
Jones:
- viveu muitos anos para morrer hoje.
Chino
- você está falando comigo
(cena)
Jones pega uma arma, nesse momento Chino aponta a espada no pescoço do Jones.
Chino:
- vamos, você pode me acerta, mas você sabe que eu sou muito rápido, e eu posso atingir essa minha espada no seu pescoço, as chances de você ser vitorioso nessa é de zero.
Jones:
- você fala muito.
Chino:
- você sabe as suas chances mesmo assim você vai arriscar, eu aplaudiria você pela sua coragem, mas isso me colocaria em desvantagem.
Jones:
- eu vou acabar com você.
- eu não arriscaria.
O soldado#1 aponta a arma para o Chino.
- agora você está em desvantagem.
Chino:
- querem apostar?
(cena)
Jones e Soldado#1 atiram, mas o chino desaparece e aparece atrás do jipe. Chino: - quase.
Jones:
- desgraçado.
Chino:
- eu sei que tem alguém da sua base que se compara a min, quero que tragam ele, eu vou fica aqui esperando.
Soldado#1:
- não vamos fazer isso.
Chino:
- eu vou de base em base matando até eu encontrar ele.
Jones:
- você não precisa dessa pessoa aqui, eu posso ser um bom lutador, você vai gastar muito tempo comigo, e você vai morrer no final.
Chino:
- duvido, mas nunca é bom subestima o inimigo.
(cena)
O Jones saiu do Jipe.
Jones:
- SAIAM DAQUI E VOLTEM PARA A PRAIA.
Soldado#1: - sim senhor.
(cena)
o jipe foi embora.
Jones:
- eu fui preso quando, estava guerreando contra a Alemanha, os nazistas estavam fazendo uns experimentos, nos soldados, e era de força sobre-humana, tenho que dizer, o experimento deu certo em min.
Chino:
- que historia interessante agora eu vou querer que você prove.
(cena)
No Jones estava crescendo a massa muscular, e os olhos estavam vermelhos.
Jones:
- dês desse dia eu venho querendo muito sangue, quando eu soltei os meus amigos, da base eu não deixei os nazistas morrerem.
Chino:
- eu estou por fora de tudo, eu não sei nem quem são os nazistas, eu não sei como eles pensam.
- eu vou acabar com você.
(cena)
O Chino desaparece e aparece atacando o Jones, mais a espada não estava cortando ele, não atravessava a pele.
Chino:
- que interessante.
(cena)
O Jones deu um soco na barriga de Chino, e o Chino voou pelo impacto do soco de Jones, o chino caiu uns 5 metros na frente, o Chino se levanta e depois cospe sangue.
- me descuidei.
Jones:
- finalmente alguém te acertou, estou supresso por você não ter morrido.
Chino:
- se esse fosse o cara, eu provavelmente estaria morto, não posso me descuidar.
jones:
- quer dizer que eu vou finalmente enfrentar alguém a minha altura.
(cena)
O Jones vai correndo em direção ao chino, o Chino desaparece e aparece atrás do Jones, tentou enfiar a espada nas costas do Jones, mas não conseguiu enfiar á espada, o Jones bateu no Chino com o calcanhar, o chino foi acertado, e depois o Jones deu um soco, o Chino caiu uns 5 metros por causa do impacto.
- ele é rápido a curta distância.
Jones:
- que vergonha você nem conseguiu me ferir.
Chino:
- droga, ele está certo, a minha lâmina não atravessa a pele dele.
- venha.
eu tenho que pensar em alguma coisa, se continuar assim eu vou perder a luta, e ele nem é o mais forte, droga, pense em algo.
cena)
Jones estava se aproximando cada vez mais.
Chino:
- vamos lá venha.
(cena)
O Jones foi correndo em direção ao Chino, quando chegou perto, o Chino desapareceu e apareceu mais algum metro á frente.
Jones:
- covarde não consegue me enfrentar e fica se distanciando você devia ter vergonha na cara.
Chino:(pensamento)
- droga, vamos pense, ganhe tempo.
Jones:
- se você vai correr esse é o momento.
Chino:
- venha me atacar.
(cena)
chino estava vendo o jones que estava indo com toda velocidade para cima dele, Chino ele só estava vendo aquele cara vim com toda raiva para cima de Chino, O chino nem tentou atacar com a espada, ele estava preparando um soco, nesse momento Chino desaparece e aparece bem na frente de Jones e o Chino dá um soco na cara de Jones, o Jones foi para trás, o jones ficou impresionado.
Jones:
- por que você não ultilizou a espada?
Chino:
- eu sabia que esse ataque não me serveria de nada, então eu tenho que usar uma outra extrartegia.
Jones:
- você parece ser uma pessoa impressionante, eu vou adorar quebrar a sua cara.
Chino:
- vamos.
(cena)
essas cena ficava se repetindo o jones só ficava apanhando.
Jones:
- parece que eu tenho que ter alguma outra idéia.
(chino)
o Chino deu dois chutes, e depois de afastou.
Jones:
- eu fico me perguntando como você pode ser tão forte?
Chino:
- simplesmente muito treito.
Jones:
- você deve ser mais forte de todas as pessoas que eu já enfrentei.
Chino:
- você é um tremendo lutador, meu conselho é que você volte para a sua casa e tente fica mais forte, que eu terei esse prazer de enfrentar você de novo, eu sei que você ira pegar pesado quando você for treinar, porque quando você tem um adversário muito forte vindo lutar com você, essa pessoa seria muito idiota, se simplesmente não se esforçar-se em nada no seus treinamentos.
Jones:
- você tem razão, mas infelizmente, eu não tenho essa escolha já que os nossos países estão em guerrra.
Chino:
- você é um homem não um país.
Jones:
- desculpe mas para min isso seria sair do meu dever, e eu cumpro o meu dever nem que eu tenha que morrer por isso.
Chino:
- você tem que pensar diferente, para o bem de todos.
Jones:
- você não parece que está querendo lutar, mas você matou muito dos meus homens isso eu não posso deixar passar.
Chino:
- por isso que eu te falei, que a gente lutaria de novo, só que desta vez nós dois estariamos melhores treinados.
Jones:
- valeu, pela idéia, mas vou te matar agora, por que você já me fez peder muito do meu tempo.
Chino:
- eu sinto que você pense assim.
(cena)
Jones vai em direção ao Chino.
Jones:
- por que você não vai para o inferno.
(cena)
o jones dá um soco, o o Chino segura o soco com as duas mãos, estava suportando o impacto.
Chino:
- vamos, você pode ser mais forte do que isso.
(cena)
o Jones estava dando vários murros, e o chino estava defendendo todos os socos só com uma mão.
Chino:
- vamos dé um soco mais rápido.
(cena)
jones estava dando vários socos, só que só um pouco mais rápido.
Chino:
- vamos nesse ritmo.
Jones:
- o que você está fazendo.
Chino:
- te ensinando a lutar.
Jones:
- você tem noção de que eu estou tentando te matar.
Chino:
- sim, mas você me parece que não está tentando.
(cena)
jones parar de lutar.
Jones:
- eu não aguento pessoas que fazem brincadeira comigo.
Chino:
- e quem atura uma brincadeira, mas antes disso tudo acontecer eu erá um professor de artes marcias, eu tenho o costumo de ensidar as pessoas.
Jones:
- eu não vim aqui para aprender.
Chino:
- mas você quer me derrotar, a pessoa deve querer conhecimento, na busca pelo conhecimento, você irá ver uma coisa, que você não fica mais forte só fisicamente mas também mentalmenete.
Jones:
- você matou os meus soldados, então cale a boca.
Chino:
- os soldados quando se alistam, estão sempre dispostos a morrer e a matar, mas também para proteger, isso é uma coisa que ultimamente as pessoas paresem que se esquercem.
Jones:
- você está querendo que eu aceite a morte deles.
Chino:
- mas se você lutar agora a morte deles vão ser invão, vamos você tem a possíbiliadade de ficar forte isso é uma coisa que não podemos disperdiça, vamos eu estou te dando a oportunidade para você fica forte.
Jones:
- você fala como se já tiver-se a vitoria ganha, mas você estava perdendo.
Chino:
- pena que pense assim.
(cena)
o jones dá um soco no Chino mas antes, chino se afasta e dá uma espadada na mão de Jones, enfiando a espada inteira na mão de jones, e depois tirou ela.
Jones:
- COMO.
Chino:
- eu na verdade queria que você sobreviver-se esse tempo todo.
Jones:
- VOCÊ PODIA ME DERROTAR ESSE TEMPO TODO?
chino:
- sim.
Jones:
- não pode ser.
Chino:
- pare de lutar agora, eu sei que você tem um grande potêncial, você não disperdiça-lo assim.
Jones:
- você não existe.
Chino:
- pare de lutar, para um dia voltar.
Jones:
- você acha que vai ser assim tão fácil me mandar embora.
Chino:
- eu estou só dizendo é melhor você ir embora, mas só você não prescisa levar nenhum dos seus soldados.
Jones:
- cale essa maldita BOCA.
(cena)
o Chino desaparece e aparece atrás do Jones, e de repente o pé de jones estava sangrando.
Jones:
- não vou deixar.
(cena)
o chino enfia uma espada nas costas de Jones atingindo o coração depois tira á espada, e o Chino sai andando.
Jones:
- não acredito, eu vou morrer agora.
(cena)
o jones fica de joelhos.
Chino:
- vá em paz.
Jones:
- você também.
(cena)
o jones caiu no chão, ele morre nesse momento.
Chino:
- eu espero que quando a minha hora de morrer chegar tomara que eu vá em paz.
(cena)
uma pequena casa, o Kubaraki estava varrendo o chão, uma mulher, com o estilo de roupa de samurai, com a cor toda preta, e atrás dela tinha um desenho de aranha todo em branco.
Kubaraki:
- Sakura, eu não sabia que você viria para cá.
Sakura:
- onde está o meu mestre?
Kubaraki:
- ele está lutando.
Sakura:
- o que você falou?
Kubaraki:
- o Chino está lutando.
Sakura:
- por que ele não chamou os alunos dele para ajuda-lo na batalha por que ele tinha que ir sozinho.
Kubaraki:
- eu sinto, mas é que os estrangeiros estão muito perto, por isso não deu para avisar para todos.
Sakura:
- por que ele está nessa guerra.
Kubaraki:
- ele só está lutando para proteger esse vilarejo, com todas as forças possíveis.
Sakura:
- com quem mais ele foi?
Kubaraki:
- ele está lutando sozinho, e não tem mais ninguém lutando perto dele.
Sakura:
- mas será que o mestre perdeu o juizo.
Kubaraki:
- eu lhe garanto que ele só está interessado em proteger esse vilarejo mais do que nunca.
Sakura:
- eu vou ajudá-lo.
Kubaraki:
- NÃO.
Sakura:
- por que você não quer que eu o ajude?
Kubaraki:
- se por algum motivo ele fracassar quem vai fica aqui para proteger esse local, você tem que fica.
Sakura:
- eu não queria que ele ficar-se naquele lugar sozinho.
Kubaraki:
- ele é um guerreiro imortal, já esteve sozinho á muito tempo, antes dele querer ser professor.
Sakura:
- eu soube que você não é mais um aluno dele isso é verdade.
Kubaraki:
- sim isso é verdade.
Sakura:
- por que você fez essa escolha, você não quer ser como nós imortais.
Kubaraki:
- a vida que você me perde para ter a rodeada de sangue, e sem tempo de paz, esse mundo está sempre em guerra, fico pensando que se chega um tempo, de que não importa o que eu faça, eu não poderei salvar esse mundo, isso seria uma coisa estremamente horrípilante para min pensar nisso tudo, eu quero enlhecer e ver poucos tempos de guerra, e quero ter pouco sofrimento nessa vida.
Sakura:
- eu entendo o seu lado, eu sei que eu dia eu infelizmente eu irei ver você morrer.
Kubaraki:
- é nisso que você pensa então pare agora se ser uma imortal.
Sakura:
- quando a pessoa morre, não tente pensar só no fator morte pense e muito no fator vida, pense nos momentos em que você passou com essa pessoa, pense nas experiências que você vivênciou com ela, é dessas coisas que você deve pensar, a pior coisa é ser imortal e ser infeliz e o outro é mortal e tortalmente feliz.
Kubaraki:
- você deve se paracer mais com o Chino, e ele sempre pensa em vários motivos para não ter calma, e ele é uma pessoa muito paciênte.
Sakura:
- quando se é imortal o tempo não tanta importância, ele é um homem sábio, e eu sei que você é apaixonada por ele.
(cena)
Sakura fica com vergonha.
Sakura:
- isso é mentira.
Kubaraki:
- por que mentir para min, eu sou muito bom em guarda os segredos.
Sakura:
- disso eu não duvido, mas você está enganado sobre esse assunto.
Kubaraki:
- você pode fica falando muito, mas iss não vai impedir que isso que eu te falei não seja verdade.
Sakura:
- como você notou?
Kubaraki:
- o seu olhar é muito diferente quando olhar para ele, você sempre olha para os outros com um olhar de raiva, mas ele você tem um olhar de uma mulher apaixonada.
Sakura:
- será que ele nota.
Kubaraki:
- infelizmente, nesse tempo todo de vida dele, ele sempre foi fraco com as mulheres, na vida toda o numero de mulher que ele ficou é comparável com qualquer pessoa mortal.
Sakura:
- eu não sabia disso, deve ser por que ele não queira se envolver muito por que você sabe o peso que se paga por ser imortal.
- acredite, ele pode parecer um pouco sentimental as vezes mas eu posso ilhe garantir que não é isso.
Sakura:
- você acha que se ele chegar eu devo fazer algo?
Kubaraki:
- você pode guardar por toda a enternidade, mas eu não aconselho isso.
Sakura:
- bem voltando a falar do assunto da guerra, existe alguma coisa que podemos fazer á respeito.
Kubaraki:
- bem como eu tinha falado, se eles tentarem atacar essa cidade, devemos fazer o máximo para salvar todo esse nosso lugar sagrado.
Sakura:
- um assunto que está na minha cabeça por que ele teve que resolver isso, ele não confia no exército do japão?
Kubaraki:
- nós sabemos que existe alguém quase com o mesmo potêncial do Chino, que está lutando do lado dos americanos.
Sakura:
- isso me parece ser impóssivel.
Kubaraki:
- ele foi para lá, para desencorajar os espiritos dos americanos que estão tentando lutando.
Sakura:
- quem é que pode ter quase as mesmas habilidades do nosso mestre chino, será possível que pode ser alguém do passado?
Kubaraki:
- não faço a menor idéia e tomara que essa pessoa nem chegue perto daqui.
Sakura:
- Chino tem que derté-lo.
(cena)
um jipe chega onde está o general Kristam, o soldado#1 se apróximou de Kristam, bateu a continência.
Soldado#1:
- senhor estamos sendo atacados.
Kristam:
- o exército já está vindo?
Soldado#1:
- não senhor, uma pessoa só.
Kristam:
- você veio até aqui só para me informa que UMA pessoa está nos atacando?
Soldado#1:
- senhor, as habilidades dele, é comparavel com o do senhor Horoshi senhor, ele é muito rápido.
Kristam:
- por que só estou vendo você onde está o general Jones?
Soldado#1:
- ele foi lutar pessoalmente com a pessoa.
Kristam:
- eu sábia que ele erá louco mas não á esse ponto, provavelmente ele deve está morto nesse momento.
(cena)
o Horoshi se aproxima.
Horoshi:
- aconteceu alguma coisa?
Kristam:
- alguém tão forte como você está nos atacando.
Horoshi:
- eu não sabia dessa possíbilidade de alguém com a minha equivalência de força está nos atacando, Mestre eu devo fazer alguma coisa.
Kristam:
- o quanto distante ele está daqui?
Soldado#1:
- não está muito longe senhor disso eu posso garantir, e com a velocidade dele, já poderia está aqui nos atacando. Kristam:
- quais foram os danos que nos causou nesse momento.
Soldado#1:
- ele matou um batalhão inteiro.
Kristam:
- UM BATALHÃO...isso...não pode ser.
Horoshi:
- vai ser uma batalha interesante.
Kristam:
- quando chegar o exército, os sobreviventes serão prisioneiros, desse jeito não podemos ganhar á guerra, me diga erá só um?
Soldado#1:
- sim senhor.
Kristam:
- você tem certeza que não tinha mas pessoa envolvidas?
Soldado:
- só tinha uma pessoa SENHOR.
kristam:
- essa batalha tem que acabar nesse momento, soldado, leve Horoshi, para onde está essa pessoa.
Soldado#1:
- sim senhor.
Horoshi:
- voltarei o mais rápido possível.
(cena)
o soldado#1 e o Horoshi sobem no jipe, e começa a dirigi-lo.
Horoshi:
- uma boa batalha depois de muito tempo
(cena)
o jipe está andando e bem na frente está o Chino parado olhando o jipe, o jipe parou, o soldado#1 estava com muito medo, e apontou para o Chino.
Horoshi:
- presumo que seja você que esteja causando um grande problema para nós não é.
(cena)
o Chino dá um sorriso de leve.
Chino:
- eu iria te dizer a mesma coisa.
Horoshi:
- certo.
(cena)
Horoshi desceu do Jipe.
Horoshi:
- para min essa batalha interesante.
Chino:
- as batalhas nunca são interesante mas o contexto que faz gerar essa batalha pode ser interesante.
(cena)
horoshi desaparece, e aparece tentando atacar Chino, chino também desaparece e tirou a espada.
Chino:
- legal, mas vá mais rápido na próxima.
(cena)
Horoshi e Chino atacam com as espadas elas se empartam.
Chino:
- só isso.
(cena)
Horoshi tentar colocar mais força, Chino desparece e aparece atrás de Horoshi, o Horoshi também desaparece e desta vez aparece um pouco distante. Chino:
- você foi mais rápido, mas vou te dizer eu só vou levar á sério se você também começar essa batalha.
Horoshi:
- eu não tinha começado, usando toda a minha força, por que eu esperava que você não fosse assim tão forte.
Chino:
- esperava me derrotar no primeiro golpe.
Horoshi:
- tenho que admitir que sim.
(cena)
o horoshi colocando a sua espada para trás e ele estava dando um impulsso, Horoshi desaparece e aparece perto do Chino os dois empartaram as espadas de novo, mas desta vez ouve uma explosão de vento, os dois se afastaram, Chino desaparece e aparece atrás do Chino, e tenta atacar mais Horoshi desaparece, o Chino faz como se estiver-se enfiado a espada, o Horoshi aparece metros na frente de Chino. Horoshi:
- quase.
(cena)
Horoshi ver que a ponta da espada do chino estava com sangue muito recentemente, depois nota que o braço dele está ferido. Horoshi: - droga não fui rápido o suficiente. Chino:
- fico feliz que você esteja levando á sério.
Horoshi:
- eu tenho que levar á sério se não eu morro.
(cena)
o estômago de Chino romeça a roncar.
Chino:
-droga, como fui burro, eu não comi nada quando vim aqui.
(cena)
Horoshi aparece no lado do Chino, e ataca com a espada, mas Chino desparece e aparece mais na frente.
Chino:
- me desculpe, mas vou ter que adiar essa batalha.
Horoshi:
- por que?
Chino:
- questão alimentar.
(cena)
o estômago de Horoshi também acontece a mesma coisa.
Horoshi:
- eu concordo com a parária temporária.
soldado#1:
- O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO LUTEM.
Chino:
- tem um lugar aqui perto onde podemos comer, eu posso te levar, mas terá que a unica briga vai ser comigo.
Horoshi:
- concordo, mas pelo menos é boa.
Chino:
- é a melhor que comi em anos, e olha que sou imortal.
Horoshi:
- ok, mas você vai na frente.
Chino:
- certo.
(cena)
os dois desaparecem.
Soldado#1:
- QUE MERDA É ESSA.
(cena)
um návio está chegando na praia e derce uma pessoa com uniforme de coronel, essa pessoa é velha e é careca, tem olhos castanhos, com um rosto pouco enrugado, estava se aproximando onde estava o Kristam, quando ele chegou, o Kristam bateu continência.
Coronel:
- eu queria vim aqui, saber como está toda a nosso situação.
Kristam:
- nesse local estamos perdendo.
Coronel:
-O QUE?
Kristam:
- perdemos muitos soldados, só estamos ganhando nessa praia, as tropas que avançaram mais estão mortos.
Coronel:
- eu não sabia que os japoneses tem um exército tão poderoso.
Kristam:
- na verdade todo o estrago foi causado por uma pessoa.
Coronel:
- você está falando que o exército dos ESTADOS UNIDOS está sendo derrotado por um homem.
Kristam:
- sim senhor, mas por que se impressionar as tropas daqui foi quase a mesma coisa. coronel:
- eu vou ver como estão os outros generais.
Kristam:
- todo o poderia dessa praia é passado a min.
Coronel:
- do que você está falando?
Kristam:
- que todas as informações são passadas a min.
Coronel:
- por que você se acha no poder.
Kristam:
- por que se ninguém me obedece o Horoshi fará o favor de matar todos que são contra a minha ordem.
Coronel:
- isso é traição.
kristam:
- todos viram que o Horoshi pode fazer, eles têm medo de que eu mande atacar eles.
Coronel:
- mas você está do nosso lado.
Kristam:
- eu sempre estive do lado que eu acho certo.
Coronel:
- eu devia mandar prender você.
(cena)
Kristam desaparece e aparece atrás do Coronel.
Coronel:
- como você fez isso.
kristam:
- eu estava aqui á muito tempo no passado, quando estavamos entregando armas mais mordenas para o japoneses, daí, eu tive um professor chamado Chino, ele me ensinou um técnica chamada shinsen.
Coronel:
- shinsen?
Kristam:
- é como ele chama o poder que está em nosso redor, ou que vocês chamam de magia, e se você aprende esse poder e bem você pode até se tornar imortal.
Coronel:
- por que você não ensina isso para as nossas tropas para que elas também fiquem fortes, como você e possam dominar o mundo.
Kristam:
- por que eu não quero que idiotas aprendam isso.
coronel:
- eu devia...
Kristam:
- o que, mandar me prender?
coronel:
- sim.
Kristam:
- e as chance de dos americanos perderem vai ser maior.
Coronel:
- desgraçado.
Kristam:
- só fique vendo o que nós podemos para ganhar essa guerra.
(cena)
o coronel apontou a arma para o Kristam.
Kristam:
- você tem alguma noção do que está fazendo?
Coronel:
- eu iria te fazer a mesma pergunta?
Kristam:
- você veio de longe e esperá em entender toda a situação e ainda tenta controlar tudo a força, que rídiculo.
coronel:
- eu vou te tirar do poder.
(cena)
a arma desaparece na mão do coronel, e aparece de novo na mão de kristam.
coronel:
- como?
Kristam:
- eu devia matálo por esse desacarto que você fez, ameaçar um general so seu próprio páís.
coronel:
- eu sabia você está completamente louco.
Kristam:
- mediante as cincustâncias, eu acho quem está mais louco é você, sabia do que eu sou capaz e resolveu me desafiar do mesmo jeito.
Coronel:
- eu vou sair daqui.
(cena)
o Kristam aponta a arma para o coronel.
Kristam:
- eu não sairia daqui agora.
Coronel:
- você está apontando a arma para um coronel.
Kristam:
- eu sei que você é uma das mais altas patentes que existe por aqui, mas o seu real poder aqui, não passar de um méro soldado comun.
Coronel:
- você quer me matar me matar.
(cena)
Kristam atirou na cabeça do Coronel, o coronel morreu bem na hora.
Kristam:
- bem já que essa converça acabou eu vou embora.
(cena)
o kristam saiu no local encontrou dois soldados.
Kristam:
- vocês peguem o corpo do coronel e entregue-o de volta digam que foi morto por um japonês.
(cena)
o horoshi e o Chino chegam na casa do Kubaraki, lá o Kubaraki estava fazendo chá para a Sakura, o Chino se supriende ao ver ela.
Chino:
- eu não sabia que você iria vim.
Sakura:
- e eu não sabia que você ia participar dá guerra.
Chino:
- bem eu não vou revelar todos os detalhes do meu plano, esse cara aqui(apontando para o horoshi)- me desculpe mais qual é o seu nome?
Horoshi:
- meu nome é Horoshi.
Chino:
- Horoshi essa é Sakura.
(cena)
Horoshi faz a referência, e a Sakura também faz a referencia ao Horoshi.
Sakura:
- ele é um novo aluno seu?
Chino:
- não ele faz parte de um dos meus inimigos.
Sakura:
- O QUE? você convida um inimigo para cá?
Chino:
- nós todos somos amigos, na hora de comer.
Sakura:
- isso é inaceitavel.
Chino:
- acalme-se Sakura, nós só estamos querendo comer, não é nada demais.
(cena)
Chino aponta para a casa do Kubaraki.
Chino:
- bem vamos comer.
Horoshi:
- eu não sei de devia?
Chino:
- estamos aqui para comer uma boa comida então vamos fazer.
(cena)
todos estavam na kasa de Kubaraki todos estavam de joelhos e Kubaraki estava fazendo a comida, que é tofu.
Sakura:
- como você pode permitir isso.
Chino:
- se nós dois lutarmos vai ser uma batalha sem vencedores, e queremos que pelo nessa batalha tenha um vencedor.
Sakura:
- você me parece japonês.
Horoshi:
- eu fui criado aqui, mas depois de um tempo eu vim para os estados unidos por causa do meu mestre, estou lutando nessa batalha por causa dele.
Chino:
- eu entendo você está cumprido ordens isso é completamente aceitavel.
Horoshi:
- eu sei que provelmente Desonrei a minha familia ao fazer isso.
Chino:
- não se preocupe, eu acho que eles estão felizes por você realizar muito bem o seu trabalho.
Horoshi:
- será.
(cena)
Chino dá um soco na rosto de Horoshi.
Chino:
- DEIXA DE BESTEIRA,você veio aqui, realizar o seu trabalho, E NUNCA tenha segundos pensamentos do que você deve fazer.
Horoshi:
- obrigado.
(cena)
kubaraki estava colocando a comida na mesa, todos estam se servido com a comida e todos estavam adorando.
Horoshi:
- você tem razão a comida daqui é muito boa.
Chino:
- por isso seria uma pena se todos os americanos vinher-sem atacar por aqui, se não perderiamos essa comida para sempre.
Horoshi:
- quando vamos começar a lutar.
Chino:
-se você não ver grandes problemas eu gostaria que fosse nessa tarde.
Horoshi:
- eu vou vencer.
Chino:
- bem você tem que ter esse pensamento por que seria um disperdicio de talentos se você já comerçar-se a luta com o espirito que perdeu.
Horoshi:
- isto é verdade.
Sakura:
- se não fosse pelo meu mestre Chino eu atacaria você nesse momento.
Horoshi:
- é melhor eu começar por você por você se você está tão disposta para lutar.
Chino:
- nehum de vocês vai começar a lutar agora, vocês estão me entendendo.
Horoshi:
- eu vim aqui simplesmente me deu vontade, não fale comigo como se fosse meu mestre.
Chino:
- você está certo eu não tenho nenhum direito de controlar á sua vida, mas pelo menos faça alguma coisa descente, não fique aceitando provocação de qualquer um que aparecer, isso não é atitude de um guerreiro digno isso parece mais coisa de um brigão, esses tipos de pessoa não tem nenhum tipo de honra, e não pense o contrário, tudo o que você está fazendo á aceitando briga com qualquer um, eu sei que ela é minha aluna, mas para você, é só mais uma pessoa no mundo que quer briga.
Horoshi:
- entendo o que você quer dizer.
Chino:
- ainda bem que você entende.
Horoshi:
- mas quando eu te matar, provavelmente eu irei lutar com ela.
Chino:
- mas você deve controlar seu desejo por batalhas, isso não vai deixar você muito forte.
Horoshi:
- eu acho que você tem razão.
(cena)
na base dos americanos apareceu duas pessoas que estavam com carpas pretas e um capuz cobrindo inteiramente os rostos, um deles tira o capuz e estava com uma mascará de ferro toda riscada, tirou a capa, e tinha roupa de samurai toda rasgada, e ele tinha um machado, e ele estava atacando os americanos, essa pessoa estava atacando com uma velocidade, enorme matando qualquer um que estiver-se no caminho.
soldado#1:
- meu deus de onde vem tanto poder.
(cena)
Kristam foi ver o que estava acontecendo, o Kristam desaparece e aparece na frente da pessoa segurando o machado da pessoa.
Kristam:
- quem é você?
Skar:
- Meu nome é Skar, e você estão atacando o nosso terrítório vocês vão ter que sair daqui, se não vamos acabar com todos vocês.
Kristam:
- você sabe que você não estar com tanta vantagem.
Skar:
- eu vou matar todos vocês, mesmo sabendo que corre um risco da minha morte.
Kristam:
- vocês pensavam que iam nos vencer com tanta rapidez.
(cena)
o Kristam dá um soco, mais o Skar esquiva, depois Skar faz com que o Kristam solte o machado dele.
Skar:
- quer tentar de novo.
Kristam:
- é você que tem causado muitos danos no nosso exército?
Skar:
- bem nós estavamos acabando com qualquer do seu exercito que estava passando, eu acho que isso seria de fato considerar que estavamos causando algum dano.
Kristam:(falando em voz baixa)
- droga o pior que não estou com a minha arma isso faz com que ele fique na vantagem.
Skar:
- eu não vou demorar muito.
(cena)
o Skar se aproxima de Kristam, ele atacou com o machado, o Kristam só estava se afastando.
Skar:
- o que foi não consegue lutar.
Kristam:
- você se importaria se eu pegar-se a minha arma para lutarmos de igual para igual eu tenho certeza que assim a sua luta comigo ficaria mais divertida o que você acha.
Skar:
- eu não estou procurando uma lutar divertida eu estou só querendo matar as pessoas que estão fazendo o mal para o meu país.
(cena)
O Kristam saiu correndo para a base dele, o Skar estava perseguindo, o Kristam.
Kristam:
- to vendo que ele não vai me dá tempo.
(cena)
Kristam chega na base e ele encontram a espada dele que estava em cima de uma mesa, Kristam pega a espada, ele pega a espada e aponta para o Skar, o Skar ataca com muita velocidade com o seu machado, o Kristam conseguiu defender o golpe.
Skar:
- vejo que encontrou á espada, agora você vai ter que lutar de verdade.
(cena)
o Skar ataca incansavelmente com o machado não dando nenhuma trégua, o Kristam estava defendendo os golpes com muita dificuldade.
Kristam:
- você não consegue fazer melhor do que isso.
(cena)
Uma energia estava saindo de Skar e estava passando para o machado, á energia do machado empurra Kristam fazendo o Kristam cair no chão, mas o Kristam se levanta bem na hora, o Skar apareceu no Lado do Kristam e tentou atacar com o machado, conseguiu ferir só um pouco do rosto.
Kristam:
- se concentre ele não é um...
(cena)
Skar conseguiu dá um chute na Barriga do Kristam, fazendo com que o Kristam sinta muita dor, Kristam corre só para manter distância.
Skar:
- levem esses imundos com vocês e saiam dá nossa praia.
Kristam:
- lutamos muito para ficar aqui.
Skar:
- e por isso vocês devem fica, que besteira essa terra não pertence á vocês.
Kristam.
- por que o seu amigo não vem te ajudar.
Skar:
- o meu amigo é Kurunsan, a pessoa que está quase do mesmo nível do nosso mestre, eu acho que o meu amigo sabe que você não seria grande adversário para ele.
Kristam:
- então ele estar errado.
Skar:
- esse meu amigo é mais forte do que eu, ele me venceria brincando e você está tendo muita dificuldade comigo, imagina com ele.
(cena)
chino e os outros estavam comendo.
Sakura:
- eu acho que devíamos chamar Skar e kurunsan, para caso você perca.
Chino:
- esses dois podem fazer o que quiserem dá vida.
Kubaraki:
- eu me lembro como o Skar era um estourado.
Chino:
- ele é um exemplo de brigão á que eu estava falando.
Kubaraki:
- por que ele usar aquela máscara.
Chino:
- quando eu estava treinando ele, nunca usava aquela máscara, mas agora fica usando sempre.
Kubaraki:
- você acha que ele sente algum tipo de vergonha.
Chino:
- eu acho que o maior problema dele, é que ele ficou louco, e nesse caso é um grande perigo por que ele é um louco imortal, um louco muito poderoso, isso não ajuda ninguém, e isso não tornar nenhum tipo de vantagem.
Horoshi:
- essa pessoa é forte?
Chino:
- se ele me ouvisse, ele ficaria bem, mas forte, mas como eu falei ele é um brigão ele não têm paciência para nada.
Horoshi:
- e o tal do Kurunsan?
Chino:
- ele chega á ser o mais forte de todos os meus alunos.
Horoshi:
- até dessa mulher.
Kubaraki:
- o maior problema dele é que ele não se diverti é sempre muito sério.
Sakura:
- por isso o Skar e o Kurunsan são os melhores amigos, os dois só estão interessados em uma coisa na luta, apesar de os dois terem pensamentos diferentes de como agir, os dois sempre levam muito á sério quando o terma é luta.
Chino:
- uma pessoa que só quer batalha, me dá pena por no máximo que essa pessoa quer é morte e sangue, e ainda se consideram honrados.
Horoshi:
- o que você quer dá vida.
Chino:
- eu quero que as pessoa aprendam á salvar os outros, sem precisar fazer muito sacrifícios, por exemplo como eu fiz hoje de manhã, eu não me orgulho do que fiz, quem me dera houvesse outro jeito, pensei em todos os meios possíveis de evitar esse banho de sangue, isso não é uma coisa digna de uma herói, isso só serve para os vilões que matam vários para poder salvar poucos.
(cena)
Kristam e Skar estavam lutando sem parar.
Skar:
- quando você vai desistir.
Kristam:
- eu acho que nunca.
(cena)
os dois se distânciam os dois estavam muito cançado.
Skar:
- (falando isso baixo)droga eu devia ter acabado logo essa luta, agora se aparecer outro mais forte eu perderei a luta muito fácil.
Kristam:
- (falando baixo) estou muuuito cansaçado e ainda para lutar tem esse tal de Kurunsan que por respeito eu acho ainda não começou a lutar.
Skar:
- se você está querendo parar, desista logo, eu cortarei a sua cabeça eu juro vai ser rápido.
Kristam:
- por que está de máscara?
(cena)
o Skar vai em direção ao Kristam.
Skar:
- SHINSEN.
(cena)
o machado do Skar fica vermelho, e quando atacou, deu um golpe no chão e toda a terra estava tremendo, o Kristam deu um pulo, mas á areia dá praia começou a fazer fomato de machado, e ficou atacando Kristam, Kristam estava defendendo os golpes com a espada, mas não estava adiantando muito, ele foi golpeado várias vezes e caiu no chão e estava sangrando.
Skar:
- eu não devia ter brincado com você fazendo você pensar que teria alguma chance de ganhar.
Kristam:
- droga, ele também conhece a tecnica do meu méstre.
(cena)
Kristam estava se levantando devagar.
Skar:
- você ainda tem coragem de lutar.
Kristam:
- SHINSEN.
(cena)
a espada do Kristam desapareceu.
Skar:
- você também consegue fazer o Shinsen, eu não aconselharia, por que você está muito ferido, e o Shinsen, absorve e muito a nossa força.
Kristam:
- por que está usando uma máscara.
Skar:
- isso é por que eu era casado, depois quando a minha mulher morreu, coloquei uma máscara, para nenhuma outra mulher olhar para o meu rosto.
Kristam:
- você parece um homem bem devotado.
Skar:
- por isso eu me concentro na luta, para eu não me apaixonar por outra mulher.
Kurunsan:
- que exelente extratégia deles, estão puxando papo para que a energia aumente, eu devia acabar logo com esse americano, para facilitar um pouco nossas vidas.
(cena)
no lugar onde estava o chino.
Chino:
- bem eu já estou bem alimentado.
Horoshi:
- também.
(cena)
os dois estavam saindo da casa de Kubaraki, o Horoshi já estava com a espada pronta.
Horoshi:
- eu não entendo por que você sempre luta, mas não gosta muito disso.
Chino:
- por que tem sempre pessoas que querem fazer o mal, e eu tenho que ter força suficiente para essa pessoa parar de fazer maldade.
(cena)
kubaraki o Sakura estavam vendo o Chino e o Horoshi indo embora.
Sakura:
- tomara que o chino ganhe.
Kubaraki:
- se o chino ganhar essa batalha com certeza vai salvar milhares de vidas.
Sakura:
- eu me lembro que um dos ensinamentos do mestre chino, era dá valor á vida.
Kubaraki:
- quando ele me contou dessa parte, eu não queria mais treinar.
Sakura:
- isso acontecia depois dá pessoa se torna imortal.
Kubaraki:
- á lição que ele dava é depois de conseguir á imortalidade, vá e tenha uma vida com uma mulher e seja feliz, e volte a treinar comigo, depois que essa mulher mortal, ter morrido.
Sakura:
- no meu caso foi um homem mais á situação não muda.
Kubaraki:
- eu não entendi por que ele fazia esse treino?
Sakura:
- eu demorei a entender, mas eu entendi, nós quando somos imortais, nós nos achamos deuses, como se nenhuma lei mortal pudesse nos atingir, nós termos que criar laços em emocionais com alguém, para ter a humanidade, e saber, realmente o valor de perder alguém, tudo isso só para a gente não sair por ai matando.
Kubaraki:
- o quanto dolorido foi para você?
Sakura:
- eu não conseguia perdoar o Chino por me pedir realizar esse tipo de treino, mas com o tempo eu apreendi o que ele queria.
Kubaraki:
- o pior de ser um imortal, é que você não só se apega á uma pessoa na vida.
Sakura:
- por isso eu tento sempre treinar, para não pensar em se apaixonar de novo.
Kubaraki:
- mas é inevitável.
Sakura:
- eu acho que no fundo ele queria que todos fossem imortais.
Kubaraki:
- você acha que só assim todo sofrimento desaparecia.
Sakura:
- não posso garantir todos.
Kubaraki:
- nem se imagina quantos amigos você perde com o tempo.
Sakura:
- bem o melhor á fazer é sempre aproveitar cada pedaço de tempo, que essa pessoa está presente.
Kubaraki:
- isso é verdade.
(cena)
Na praia estavam vindo vários caças, o Skar estava vendo isso.
Skar:
- esses desgraçados não podem passar.
Kurunsan:
- não se preocupe com eles, só se preocupe com a sua luta.
Skar:
- você tem razão.
Kristam:
- tenha certeza que eles vão atacar todo o Japão.
(cena)
Kurunsan desaparece e três caças explodiram logo depois, de repente todos os caças estavam sendo destruídos.
Skar:
- essas armas modernas, são lixo comparado ao nosso poder.
Kristam:
- (falando em voz baixa) droga esse cara é extremamente rápido, nem consigo ver como ele realiza os ataques.
(cena)
Um machado aparece ao lado de kristam, e o Kristam se esquivou.
Skar:
- você ainda tem noção de que estamos brigando.
(cena)
Quando os avios estavam caindo estavam caindo perto deles, o kristam e o Skar desapareciam toda vez que um avião estava se aproximando deles.
Skar:
- gostaria que pelo menos ele pensar-se nos outros.
(cena)
um vento faz um formato de espada, dando para ver pela areia e estavam chegando perto de Skar, e ele faz machados aparecem pela areia defendendo o golpe, depois uns 10 machados vão na direção de kristam, quando chegam perto atinge o chão Kristam desaparece no ar, e aparece de novo, fazendo um vendaval de espadas, mas o Skar ficava defendendo todos os ataques.
Skar:
- tente atacar mais forte.
(cena)
um pedaço de avião estava chegando perto, do skar, o Skar faz os machados atacarem o caçar, na fumaça, saíram milhares de espadas feitas pelo vento, um desses fez uma rachadura na máscara de skar, mas os outros, skar fez a defesa com o machado.
Kristam:
- era desse tipo de golpe que você estava falando!
Skar:
- como pude deixar essa passar, não seja um idiota Skar.
Kristam:
- pelo visto atingir á sua máscara.
Skar:
- um golpe de sorte.
Kristam:
- não é questão de sorte mais de ser bom.
(cena)
Em um dos porta aviões, um comandante, estava vendo como estava indo os ataques, o comandante, é careca, com uma roupa de comandante, com várias medalhas de honras.
Comandante#2:
- como estamos perdendo tantas pessoas?
(cena)
A pessoa de óculos, com a roupa típica da aeronáutica, ficava impressionado, com que estava vendo, e essa pessoa se chama Steven.
Comandante#2:
- diga Steven, isso é o exército do Japão, nos atacando.
Steven:
- olha senhor eu não sei dizer, mas parece não, que não é um exército, os pilotos não estão relatando nenhum tipo de exército.
Comandante#2:
- será que isto só estar acontecendo com a gente?
Steven:
- senhor eu acho melhor nós desistirmos.
Comandante#2:
- mas o que está havendo na praia ouvimos dizer que eles conquistaram aquela área.
Steven:
- Senhor, talvez ouvimos á informação errada.
Comandante#2:
- eu só queria saber o que está havendo?
Steven:
- então senhor eu peço para cancelarem o ataque?
Comandante#2:
- se você der essa ordem você será um homem morto.
Steven:
- o que você quer que eu faça?
Comandante#2:
- ligue para os outros vejam se eles estão confirmando á mesma coisa que a gente.
(cena)
o Steven conecta á rádio e fala:
- alo todos os porta aviões, vocês podem nos informa como está a situação dos seus carças.
Voz na rádio:
- todos os nossos caças estão sendo destruídos.
Comandante#2:
- algum de vocês podem confirma o que está havendo?
Voz na rádio:
- até agora nós não termos nenhum informação o que está havendo com eles para todos estarem sendo destruídos.
Steven:
- senhor, acho melhor nós recuarmos.
Comandante#2:
- nós somos americanos, não vamos desistir, pense na sua pátria.
Steven:
- mas todos eles estão morrendo, continuar com isso é loucura.
Comandante#2:
- nós estamos em guerra, não podemos perder.
(cena)
Todos os parta aviões estavam explodindo um atrás do outro.
Comandante#2:
- mas essa loucura não tem fim.
(cena)
ele estava vendo um dos porta aviões ficava ouvido tiros que vinha de lá, e o porta-aviões sendo destruídos de pouco em pouco.
Steven:
- senhor eu devo fazer alguma coisa?
Comandante#2:
- se seja o que for vinher aqui precisaremos de toda ajuda possível.
Steven:
- como poderemos ajudar os outros.
Comandante#2:
- me deixe pensar só um segundo.
(cena)
Os porta aviões estavam sendo afundados de pouco em pouco.
Comandante#2:
- peça para todos os homens se preparar para o que seja o que está vindo.
(cena)
O steven estava com o microfone ligado estava avisando a todos sobre o que estava acontecendo.
Steven:
- senhor devo pedir para todos eles tirarem os caças daqui.
Comandante#2:
- eu acho que seja o que for não vai deixar, as naves partirem em paz.
Steven:
- eu devo fazer alguma coisa, estamos ficando sem o que fazer, eu devo informa para a nossa base sobre o ocorrido.
Comandante#2:
- você sabe o que é essa coisa?
Steven:
- não senhor por que?
Comandante#2:
- vamos esperar seja lá o que for aparecer nesse navio, daí avisaremos á base.
Steven:
- sim, senhor.
(cena)
mais porta aviões estavam sendo destruídos.
Steven:
- e se for só essa área.
Comandante#2:
- do que você está falando?
Steven:
- e se esse ataque só está acontecendo nessa área, onde iríamos atacar esses japoneses?
Comandante#2:
- as chances de perdemos essa guerra seria grande.
Steven:
- qual é a nossa esperança de vencer essa guerra.
Comandante#2:
- eu não sei.

“Kurunsan ataca com força total”

(cena)
O kurunsan aparece no navio todos em volta ficam muito impressionados com essa pessoa que de repente apareceu no navio, alguns reagem de primeira atacando, o Kurunsan com tiros, mas nenhum desses tiros acerta ele, fica acertando nos lugares em volta, o comandante#2 estava vendo tudo por que tudo isso estava acontecendo no navio dele.
Comandante#2:
- como foi que ele apareceu no nosso navio.
Steven:
- você acha que é ele, que está derrubando todo nosso exército?
Comandante#2:
- não pode ser só ele, tem que ter outras pessoas junto com ele só assim esse tipo de coisa possa acontecer.
(cena)
O kurunsan retira a espada e aponta para a esquerda, nele estavam algumas pessoas, quando ele apontava alguns membros de pessoas estavam sendo cortados, o comandante pirá com essa situação, ele liga o microfone e fala por parta aviões inteiro.
Comandante#2:
- escute pessoas saiam da frente do navio.
Steven:
- senhor por que você acha que ele vai deixar todo mundo em paz só por sair da frente do navio.
Comandante#2:
- você está com alguma idéia em mente?
Steven:
- estava planejando sair daqui.
(cena)
O vidro que estava na frente deles quebra.
Steven:
- mas o que.
(cena)
O Steven ver todo mundo que estava na frente de repente estavam todos mortos.
Comandante#2:
- faça alguma coisa.
(cena)
Algumas pessoas estavam indo para frente do navio, era mais de uma pessoa que estava com metralhadora, todos não paravam de atirar.
Aeronauta:
- não faz sentido.
(cena)
Kurunsan pula e ele faz movimentos como se estiver-se cortando 5 segundos depois o navio é cortado ao meio.
Aeronauta:
- eu acho que algum submarino nos atacou.
Aeronauta#2:
- não ouvirmos falar de nenhum submarino se aproximando.
Aeronauta:
- você está sugerindo que ele cortou esse porta-aviões com uma espada com apenas um golpe.
Aeronauta#2:
- eu na verdade não estou sugerindo nada.
(cena)
O Steven estava verificando os estragos.
Steven:
- senhor foi um prazer servi o senhor.
Comandante#2:
- droga, será que o Kristam foi morto.
(cena)
2 dias atrás, o Kristam estava vendo toda uma papelada, o Comandante#2, estava entrando na sala.
Comandante#2:
- qual as chances de vencermos essa guerra.
Kristam:
- por um lado eu estou otimista.
Comandante#2:
- o lado que não está otimista, é maio do que o pessimista?
Kristam:
- pode apostar.
Comandante#2:
- eles são o mal e o bem sempre triunfa sobre o mal.
Kristam:
- no momento em que pessoas inocentes começarem a morrer, não será questão que é do bem ou do mal, vai ser tudo questão de quem consegue ser o mais malvado.
Comandante#2:
- eu não entendo?
Kristam:
- o que você não entende?
Comandante#2:
- como uma pessoa como você que parece sempre querer a paz está fazendo no exército dos Estados Unidos?
Kristam:
- eu entrei no exército para garantir a segurança do meu país.
Comandante#2:
- e matando esses japoneses vamos garantir a nossa própria segurança.
Kristam:
- nós só recebemos um ataque?
Comandante#2:
- o que você quer dizer com isso?
Kristam:
- eles nos atacaram só uma vez no nosso país, e estamos atacando várias vezes o país deles, isso que a gente está fazendo é um massacre não uma guerra.
Comandante#2:
- que pensamento ridículo.
Kristam:
- eu estou sabendo que vai ser você que vai nos levar para lá?
Comandante#2:
- você está muito bem informado.
Kristam:
- não fique perto da praia.
Comandante#2:
- por que você quer que eu faça isso.
Kristam:
- por que eu conheço o lugar onde vamos atacar, e se não me estou enganando pode haver japoneses com forças muito alem do que você pode imaginar.
Comandante#2:
- eu acho que a maioria das maquinas mais avançadas estão com os alemães, mais eu sei que esses japoneses são um povo muito determinado.
Kristam:
- e é essa determinação é que pode ser um perigo para a nossa nação.
Comandante#2:
- mas o nosso povo também está determinado, pelo o que aconteceu com a gente.
Kristam:
- não seja o ataque não foi com todos eles, os americanos podem querer essa guerra, mas poucos estão realmente determinados a luta, e isso pode ser a vitória deles.
Comandante#2:
- você parece que se esquece que nós termos um enorme poder de fogo.
Kristam:
-mas a questão principal não é exatamente poder de fogo, eu estou falando de uma força que seja capaz de cortarem mares ao meio.
Comandante#2:
- você está viajando completamente nesse assunto, vamos logo.
(cena)
O navio estava afundando, e Steven entregou o colete salva-vidas, para o comandante.
Comandante#2:
- finalmente vi o que você estava querendo falar para min.
(cena)
O kurunsan fica vendo o porta aviões afunda.
Kurunsan:
- isso é pelo o que vocês fizeram com a gente.
(cena)
Depois de um tempo, o porta aviões afunda, e tinham milhares de pessoas na água, o kurunsan estava matando, uma por uma até finalmente chega no Steven e o comandante.
Kurunsan:
- ainda não acabei.
“chino treinando kurunsan”
Kurusan:
- você sempre queria defender todo mundo.
100 anos atrás.
(cena)
O kurunsan estava perseguindo uma pessoa, quando chegou perto apontou a espada, no pescoço da pessoa, essa pessoa tem cabelos grande muito despenteados, uma roupa de samurai, e estava com os olhos vermelhos de ressaca, o pessoa estava tremendo de medo.
Kurunsan:
- você é Tomoró, é esse o seu nome?
Tomoró:
- sim sou eu, lhe peço para que tenha piedade de min. Eu não fiz nada errado.
Kurunsan:
- isso é o que você acha seu desgraçado, você só quer fica tomando esse saquê e não presta atenção nas besteiras que você faz.
Tomoró:
- qual foi à besteira que eu fiz?
Kurunsan:
- você espancou sua mulher seu covarde.
(cena)
O tomoró começa a chorar.
Tomoró:
- me desculpe eu estava totalmente bêbado eu não sabia o que estava fazendo, eu juro que eu não queria fazer isso, eu juro eu amo a minha mulher.
Kurunsan:
- eu não tenho pena em acabar com desgraças iguais a você.
Tomoró:
- por favor, tenha piedade de min.
Kurunsan:
- você deu a mesma piedade para a sua mulher seu desgraçado.
Chino:
- do que vale acabar com a vida dele.
Kurunsan:
- assim eu livro a cidade de desgraçados iguais á ele.
Chino:
- assassinos, eu acho que eles têm o mesmo pensamento que você.
Kurunsan:
-DO QUE VOCÊ ME CHAMOU.
Chino:
- se você quer que faça justiça, não é assim que resolve tudo, você simplesmente deve levar ele preso.
Kurunsan:
- para que ele bata de novo na esposa.
Chino:
- eu soube que o que ele fez foi uma coisa de uma vez, para nunca mais fazer, disso eu tenho certeza.
Kurunsan:
- você quer salvar esse homem?
Chino:
- você tem a determinação de um herói, isso pode ser muito útil para salvar milhares de pessoas, mas a sua crença de como salvar as pessoas, pela minha convicção eu sei que a sua maneira é errada, a única coisa que você faz, é que todo vilão faz matar milhões só para se justificar.
Kurunsan:
- você é simplesmente uma pessoa louca.
Tomoró:
- o que ele está falando é verdade eu dó razão á ele.
Kurunsan:
- VOCÊ É QUE DEVE CALAR Á BOCA.
(cena)
Quando o Kurunsan iria enfiar a espada na garganta de tomoró, o Chino empurra o Kurunsan a uns 3 metros de distância.
Chino:
- resumindo, eu não acho que certo você matar esse homem.
(cena)
Kurunsan iria enfiar á espada em chino, mas o Skar aparece de repente e detém o Kurunsan, e ele fez isso com o machado e empurrou o Kurunsan.
Skar:
- desculpe cara, mas você não vai atacar o meu mestre.
Kurunsan:
- eu devo acabar com vocês três.
Skar:
- eu não acho que você seja tão forte para poder me derrotar.
Chino:
- não Skar, se esse cara quer uma luta, que seja comigo.
Skar:
- más mestre.
Chino:
- eu sei exatamente o que estou fazendo.
Skar:
- como o senhor queira.
(cena)
O Skar desaparece.
Kurunsan:
- e ai, ainda tem, mas alguém escondido que eu não saiba?
Chino:
- não se preocupe com isso.
Kurunsan:
- você vai precisar de seu amigo nessa batalha.
Chino:
- se você quer tanto essa batalha, eu irei fazer com uma condição você será o meu aprendiz se eu ganhar, mas se você ganhar você poderá matar esse homem.
Kurunsan:
- me parece ser uma boa aposta.
(cena)
O kurunsan ele dá uma corrida a toda velocidade, e ataca com a espada, tentando atacar o pescoço de chino, mas o chino defende o ataque com as palmas das mãos, depois coloca a espada dele de lado e dá uma cotovelada no rosto de Kurunsan, o nariz de kurunsan estava sangrando.
Kurunsan:
- eu fui com muita pressa nesse ataque.
(cena)
O Kurunsan tentou enfiar a espada nas pernas de chino, mas o chino pegou uma pedra no chão, e ficou defendendo os golpes da espada com uma pedra, e chutou a perna de kurunsan fazendo se desequilibrar e cair no chão.
Tomoró:
- VAI, SEJA LÁ QUEM FOR.
Kurusan:
(falando com raiva)- ele não pode ser tão rápido, e o pior ele nem pegou a espada dele, e já está conseguindo me vencer.
Chino:
- você também pode atacar rápido e ter calma.
Kurunsan:
- por que você quer se arriscar, para salvar esse homem.
Chino:
- um herói sempre tem que está disposto a salvar as pessoas não importa o que aconteça, e principalmente não importando quem vai salvar.
Kurunsan:
- pense com calma, e ataque direito.
(cena)
Quando o Kurunsan iria realizar o outro ataque, chino parece com á espada na garganta de kurunsan.
Chino:
- eu acho que você perdeu.
Kurunsan:
- DROGA.
Chino:
- você deve ter calma quando luta, se você lutar de cabeça quente, não existe a menor possibilidade de você conseguir vencer uma batalha.
Kurunsan:
- como você conseguiu ser muito rápido?
Chino:
- isso é com anos de prática.
Kurunsan:
- eu não acredito como você me derrotou tão fácil.
Chino:
- nenhuma das minhas batalhas é fácil.
Kurunsan:
- diz quando começa meu treinamento?
Chino:
- você não percebeu já começou.
Tomoró:
- valeu, senhor, muito obrigado.
Chino:
- tente cuidar muito bem da sua esposa certo.
Tomoró:
- será que ela vai me perdoar.
Chino:
- não vai ser fácil, mas é melhor você tentar muito, trazer o perdão dela de volta.
Tomoró:
- sim, senhor.
"A luta de Chino e Horoshi"
(cena)
o Chino ele se posicionar pronto para o ataque, o Horoshi com uma mão ele aponta a espada para o Chino.
Horoshi:
- agora.
(cena)
Horoshi desaparece por alguns segundos aparecendo ao lado de Chino, o Chino posionar o corpo todo para defender o ataque que veio do lado esquerdo, fazendo com que o Chino consiga defender o ataque por completo, Depois Chino desaparece a aparece em cima de Horoshi e ataca, verticalmente, o Horoshi puxar a espada para defender o que pode do ataque, isso fez um impacto no chão, depois o Horoshi faz um movimento circular com a espada, causando uma pequena vertania, empurrando o Chino enquanto ele estava no ar, quando o Chino ia cair, ele faz um movimento enfiando a espada no Chão, fazendo um impacto que levitar-se o chino de novo, depois ele desaparece, aparece nas costas de Horoshi, atacando com o cotovelo nas costas de Horoshi, o Horoshi desaparece, e aparece caído no Chão.
Horoshi:
- droga me desequilibrei.
(cena)
Chino aparece perto do Horoshi e faz um movimento vertical, causando uma grande vertânia, fazendo alguns cortes no Horoshi, quando o Horoshi está no ar, ele pula, depois ele faz um movimento com a espada de modo circular, fazendo um grande tornado, o Chino, ele aguenta o impacto, fazendo um turfão de vento circular, fazendo com o terreno ao redor receber-se o impacto, Chino desparece a aparece na frente de Horoshi, e faz um corte no ombro de Horoshi, o Horoshi desaparece por um estante, e aparece um pouco mais distante da batalha.
horoshi:
- eu estou muito atento em todos os detalhes, mas isso parece inútil, ele é mais rápido do que eu imaginava, a minha perna está doendo muito, o pior é que eu sinto que ele não está lutando para valer.
(cena)
o Chino aparece na frente de Horoshi:
Chino:
- me diga você vai desistir enquanto ainda estamos no meio da batalha.
Horoshi:
- eu não vou desistir.
(cena)
o horoshi faz uma ataque, mas o Chino defende com o braço erguido.
Chino:
- isto foi um ataque.
(cena)
Chino de distância um pouco, e o Horoshi sofre um corte profundo no meio do peito dele.
Chino:
- eu espero que você saiba que estamos lutando?
Horoshi:
- você acha que eu não sei disso.
Chino:
- quando você está no meio desse tipo de luta, você não pode fraquejar, dando um ataque qualquer.
Horoshi:
- pare de fica falando.
(cena)
o horoshi desparece e aparece, depois aparece nas costas de Chino quando ia realizar o ataque o Chino desaparece, depois aparece um pouco distante.
Chino:
- você está agindo lento.
Horoshi:
- você acha isto lento?
(cena)
o horoshi faz um ataque e o chino desaparece, e se distância, o horoshi persegue, e eles ficam fazendo a mesma coisa, até o Chino fazer um movimento com a espada atacando os pés de Horoshi, e acertou, os pés do Horoshi estavam sangrando.
Chino:
- continua assim e você vai morrer o mais rápido possível.
Horoshi:
(falando baixo)- droga, cada ataque que eu faço, ele se distância, como eu posso vencer essa.
Chino:
- á melhor coisa que você pode fazer agora é desistir.
Horoshi:
- vai sonhando que um dia eu direi isso.
Chino:
- você é um bom rapaz, mas você devia por juizo nessa sua consiência.
Horoshi:
- eu estou oberdecendo ordens, e uma das minhas ordens é ajudar a vencer essa guerra, ENTÃO PARE DE...
(cena)
Chino aparece enfiando a espada no ombro de Horoshi, e ele ficava parado lá.
Chino:
- parar de ser educado, eu nunca tento parar de ser educado, mesmo quando eu realizo coisas terríveis, mas você tem que encarar uma situação, você tem uma espada longa, essas espadas só servem se for para esmagar o inimigo, mas quando a pessoa está perto demais a espada se inutilaz, não importando quanto a pessoa seja forte, essas espadas são lentas.
Horoshi:
- eu sempre vencias as batalhas assim.
Chino:
- isso não importa.
(cena)
horoshi tentou dá um soco, mas o Chino esquivava, e quanto mais socos o Horoshi dava, mais o Chino prescionava a espada, á dor foi tanta que o Horoshi largou a espada.
Chino:
- o que você faz nessa situação.
Horoshi:
- por que você não me matar logo.
Chino:
- o que você faz nesse tipo de situação.
Horoshi:
- como você ainda quer me ensinar algo.
Chino:
- bem eu sou um professor.
Horoshi:
- desculpe mas eu já tenho um mestre.
Chino:
- na vida sempre temos que ter mais de um tipo de mestre.
Horoshi:
- eu não sei.
Chino:
- você não pode fica parado numa batalha.
Horoshi:
- SHINSEN.
(cena)
uma energia estava crescendo, e empurrou o Chino.
Chino:
- eu não entendo essa é minha tecnica.
(cena)
a espada do Horoshi torna-se pequena e volta para as mãos dele.
Chino:
- QUEM É O SEU MESTRE?
Horoshi:
- isso não importa.
(cena)
o horoshi se multiplica, e todos ficam atacando o Chino, e chino fica se defendendo dos ataque sem parar, mas alguns golpes escapavam, e deixavam feridas, mas o ataque estava vido de todos os lados, impossíbilitando o Chino, de sair, é o ataque não parava, e ainda alguns ataque atinginham o Chino.
Chino:
- SHINSEN.
(cena)
a energia expulsa todos os Horoshi de perto, todo o Chino ficou vermelho, até a espada.
Horoshi:
- é só isso que você faz fica vermelho?
(cena)
todos os horoshis ficaram feridos, de um golpe repertino.
Horoshi:
- eu não entendo ele não se mecheu?
(cena)
o Horoshi tentou se multplicar mais, o negocio que quando isso acontecia todas as copias, já sofriam vários cortes e morriam, o Horoshi estava tremendo.
Horoshi:
-COMO? eu nem vi ele se mechendo, meu deus ele é um monstro.
Chino:
- o que você vai fazer?
Horoshi:
(falando em voz baixa)- droga, eu não posso me multiplicar, que ele já matar elas, como iriei vencer(falando em voz alta)- o que você está fazendo?
Chino:
- o meu golpe só se baseia na velocidade.
Horoshi:
- e você deve ter muitos anos de prática.
Chino:
- pode se dizer que sim.
Horoshi:
(pensamento)- ele é tão rápido que nem vejo ele se movimentando, como se consegue vencer um inimigo desses.
Chino:
- se quiser desistir essa é hora.
Horoshi:
- Cala-se.
(cena)
Horoshi se multiplicar várias vezes, mais rápido do que antes, mas desta vez todas as cópias e o próprio Horoshi receberam o ataque.
Horoshi:
- eu perdi.
(cena)
o Horoshi caiu incônsiente no Chão.
(cena)
o Chino volta ao normal.
Chino:
- tenho que te entregar pos americanos, mas eu gostaria de saber quem é o seu mestre.
"noticias voam"
na base americana, Um homem estava com toda uma papelada do que estava acontecendo, e ele tinha uma roupa de comandante, e ele foi para a sala do prezidente dos estados unidos.
Comandante#3:
- ola senhor prezidente eu sou o comandante Falco, estou recebendo as noticias do que está acontecendo no japão.
prezidente:
- o que você tem para me contar?
Falco:
- bem uma parte do nosso exército, está sendo aniquilada.
Prezidente:
- será que são mais kamikazis?
Falco:
- não estão relatando isso.
Prezidente:
- eu mandei um dos que consideravam aqui, como a melhor força que termos.
Falco:
- bem pelo relatórios parece que essa força não é o suficiente.
prezidente:
- eu devia ter colocado esse tal de Kristam no comando de tudo.
Falco:
- o homem que é louco pela cultura japonesa, eu não sei por que muitos idolatram ele.
Prezidente:
- simplesmente pelo fato dele saber muito mais do inimigo do que a maioria de nós.
Falco:
- bem eu fui informado, que ele estava na rota onde está acontecendo a nossa aniquilação.
Prezidente:
- você sabe que armas o exército japonês tem, que está fazendo tanto estrago.
Falco:
- bem eu recebo esses relatórias mais nenhum deles faz muito sentido.
Prezidente:
- do que você está falando?
Falco:
- me informão que antes das destruições, aparece só um homem e ele está matando todas as nossas tropas.
Prezidente:
- isso não pode ser possível, esse homem deve ser só uma distração para a principal pessoa que está fazendo esses estragos.
Falco:
- você acha que esse tal de Kristam, sabe que tipo de forças é que estamos lidando.
Prezidente:
- eu tenho certeza.
6 dias antes
(cena)
Kristam chega para o prezidente o Horoshi estava por perto.
Prezidente:
- você é o Kristam certo.
Kristam:
- sim senhor prezidente.
Prezidente:
- você está aqui por que sabe o que vamos atacar o japão com força total.
Kristam:
- eu lhe-perso senhor, que o senhor não realize esse ataque.
Prezidente:
- eles nos atacaram eu acho que é hora de revidarmos.
Kristam:
- isso que a gente vai fazer é revidar, e depois ser massacrados.
Prezidente:
- você não confia na força dos nossos homens.
Kristam:
- eu tenho que dizer que seus homens são muito fracos.
Prezidente:
- acabamos de derrotar a alemanha.
Kristam:
- não tente comparar japão com alemanha.
Prezidente:
- eu sei por que você não quer atacar-los, por que o seu colega é japonês.
Kristam:
- eu queria dizer para vocês deixarem a alemanha em paz, nós é que realizaremos o ataque.
(cena)
o prezidente dá uma rizada alto, aponto de fica batendo na mesa.
Prezidente:
- vocês só podem está brincando!
Kristam:
- não senhor prezidente, podemos lhe garantir que podemos derrortar o japonêses, sem nenhuma ajuda.
Prezidente:
- você vão realizar o ataque, e meus soldados também.
Kristam:
- isto seria adequado, se a gente atacar-se primeiro para enfraquesselos e muito, até vocês realizarem os ataques.
Prezidente:
- não, vá relizar á suas ordens.
Kristam:
- sim senhor.
tempo atual da historia.
(cena)
o prezidente estava sentado na cadeira.
Prezidente:
- você sabe se esses ataque estão se aproximando?
Falco:
- infelizmente sim.
Prezidente:
- eu quero que avise a todos para reforçarem as bases de um possível ataque.
Falco:
- é senhor tenho outra noticia para o senhor.
Prezidente:
- qual.
Falco:
- já está pronto o projeto Manhatan.
"o novo soldado"
o Falco estava vendo toda uma papelada, de repente ele escuta alguém bater na porta.
Falco:
- quem seria?
voz:
- meu nome é Jonh Holavi.
Falco:
- pode entrar.
(cena)
o Jonh Holavi chega na sala, ele tem uma aparência rigida, com uma pequena cicatriz na cara, e tinha uma barba mal feita, ele estava com uma roupa de soldado comun, e ele tinha uma espada de samurai nas costas.
Falco:
- o que o senhor quer senhor Holavi?
Holavi:
- eu soube que meu mestre está no comando de uma operação para atacar o japão, esta informação está correta?
Falco:
- quem seria o seu mestre?
Holavi:
- nome dele é Kristam.
Falco:
- eu não conhecia o senhor.
Holavi:
- o meu mestre pensou que seria justo se nessa guerra, ele levar-se um dos aprendizes dele mais forte.
Falco:
- eu ouvir parece que o nome dessa pessoa se chama Horoshi, mas me diga, se esse tal de Horoshi, não conseguiu por que você acha que vai conseguir alguma coisa.
Holavi:
- por que eu acredito que conseguir desenvolver a minha força sendo mais forte do que os dois.
Falco:
- eu não estou entendendo?
Holavi:
- eu e meu mestre te vemos nossas desavenças no passado, e eu tenho certeza de que eu conseguir ser mais forte do que eles dois juntos.
Falco:
- por que você acha?
Holavi:
- quer que eu te faça uma demonstração de poder.
Falco:
sim.
(cena)
os dois sairam da base, o Holavi tirou a sua espada da bainha, e fez um imenço corte, causando uma grande destruição, fazendo um corte no céu.
Falco:
- como você conseguiu fazer isso?
Holavi:
- é que eu sou muito poderoso.
Falco:
- depois dessa demonstração, eu não tenho duvida de quanto você seja forte.
Holavi:
- e senhor eu soube que um homem está causando grande destruição as nossas tropas, para min seria de um imenço prazer, ajudar nós o povo americano.
Falco:
- eu seria um idiota se eu não deixar-se você entrar na guerra, você o que sabe sobre esse japonêses?
Holavi:
- eu não sei muito, mas pode contar com o meu ódio por eles.
150 anos atrás.
(cena)
o Horoshi e o Holavi estava disputando uma briga de espadas, só que as espadas eram de madeira, eles ficavam atacando e defendendo, até um golpe que o Horoshi atingiu a espada no peito dele, fazendo o Holavi se afastar, nisso fez com que ele ficar-se um pouco sem ar, e ele largou a espada, tentou atacar com o soco, e nesse soco que iria na cara de Horoshi, o Horoshi esquivar, e dá uma golpe de espada na barriga de Holavi, fazendo sair sangue da boca de Holavi, o Kristam estava vendo a distância.
Kristam:
- posso te pergunta por que você largou a espada?
Holavi:
- desculpe mestre foi só uma raiva repentina que eu tive.
Kristam:
- quando você está em batalha você não pode ter uma raiva repentina, você viu que isso só causou a sua derrota, quando você está batalhando você tem ter calma.
Holavi:
- eu não farei isso de novo.
(cena)
uma aluna que estava com a roupa de samurai foi por horoshi, ela tinha cabelo loiro, e tinha olhos azuis, o Horoshi olhou para ela com um sorriso no rosto.
Horoshi:
- ola, Karen.
Karen:
- bem eu acho que o treinamento acabou, já está na hora.
Kristam:
- ela tem razão está um pouco tarde é melhor descançarem.
(cena)
o Horoshi encosta na Kare de leve, e dá um beijo na boca da Karen.
Holavi:
- você deve estar muito feliz que ganhou essa.
Horoshi:
- eu estou feliz por que eu ganhei essa.
(cena)
o Holavi estava treinando e muito com espada, estava treinando, desde de manhã, e o Horoshi só ficava namorando a Karen, fazendo sexo, e o Holavi só ficava no treinamento, quando chegou no outro, dia o Holavi foi desafiar o Holavi.
Kristam:
- vocês dois estão prontos?
Horoshi, Holavi:
-sim, mestre.
Kristam:
- começem.
(cena)
o Holavi começou quando ia fazer o ataque, o Horoshi se esquiva, e taca a espada na cabeça de Holavi fazendo desmaiar imadiatamente, duas horas, depois o Holavi estava numa cama de uma cabana.
Holavi:
-COMO(falando com raiva)COMO AQUELE DESGRAÇADO ME VENCEU, eu treinei duro e esse desgraçado, me vence como, COMO?
atualmente.
Falco:
- pelo visto você é diferente, do seu mestre que parecia ter uma facinação por eles.
Holavi:
- eu não entendo isso.
Falco:
- certo vou te mandar, para lá.
Holavi:
- muito obrigado senhor.
(cena)
o Skar e o Kristam estavam se atacando sem parar, mais só dava em grandes defesas e grandes explosões fora isso não estava causando nada demais.
Voz de Chino:
- eu não acredito meu dois alunos se encontraram.
(cena)
o Skar o Kristam viu o Chino andando com o Corpo de Horoshi.
Kristam e o Skar:
- mestre.
Kristam:
- eu me supriendo por que você ainda está vivo isso me supriende bastante.
Chino:
- eu já vivi bastante poucas coisas eu me supriendo, mas uma coisa que é difícil de acontecer é ver dois meus alunos lutando contra outro.
Skar:
- mestre você ensinou os americanos nossos inimigos as nossas tecnicas, por que você fez isso.
Chino:
- isso foi muito antes dos Estados unidos entrarem em guerra com nosco, eu estou feliz por ver você aqui.
Kristam:
- bem mestre eu estou na jonada com os americanos tentando fazer com que vocês percam a guerra.
Chino:
- eu posso dizer que eu queria matar todos os americanos que estavam aqui na praia mas mudei de idéia quanto á isso.
Kristam:
- o que você fez com o meu aluno?
Chino:
- ele estava querendo me derrotar, eu provei que ele não podia, eu via ele como inimigo, eu estou feliz que você tenha ensinado uma pessoa tão bem.
Kristam:
- muito obrigado mestre, não sabe o que sua palavras representam para min.
Chino:
- bem quando todos os elogios se acabaram o que vai restar, você e eu ou o Skar teremos que batalhar com você?
Kristam:
- eu vim aqui com uma missão.
Chino:
- eu vim aqui para matar todos os americanos mas mudei de idéia já que um deles é um dos meus melhores alunos.
Skar:
- me diga eu posso batalhar com ele.
Chino:
- eu digo não, eu tenho respeito pelos meus dois alunos mas isso só depende de você se você respeita ele tanto para parar uma batalha.
Skar:
- bem isso só depende desse americano.
Kristam:
- eu pensava que eu podia lutar com você, mas eu sei que eu te respeito demais.
Chino:
- é bom ouvir isso de aluno.
Kristam:
- obrigado mestre.
Chino:
- você não pode deixar sua tropa atacar o meu lugar.
Kristam:
- como quiser mestre.
(cena)
holavi estava reunindo vários soldados, ele fez com que todos sentarse numa sala, holavi ficou na frente deles.
Holavi:
- bem senhores como todos vocês estão sabendo a nossa tropa no japão estão sendo terrivelmente masssacrados sem nenhum tipo de piedade, pensem nisso por que quando vocês chegarem lá, eu quero que vocês não demonstrem nenhum tipo de piedade, TODOS VOCÊS ENTENDERAM.
todos os soldados:
- SIM SENHOR.
soldado#7:
- senhor quando vamos realizar o ataque?
Holavi:
- os ataques vão ser realizados logo na manhã seguinte.
soldado#7:
- senhor você sabe o que realizou o ataque neles, eu gostaria de saber contra o que nós estamos lutando.
Holavi:
- eu vou dizer a verdade eu também gostaria de saber contra o que vocês vão enfrentar mas como você eu não tenho a menor idéia do que está causando esses ataques, estamos ivestigando pelas trasmisões recebidas de que tipo de força estamos lidando, eu sei que o tal ataque, não está vindo de caças isso eu posso dizer, por que nenhuma das nossas trasmições, fala nada de caças.
Soldado#7:
- isso que está nos atacando está pelo menos fora do nosso alcance?
Holavi:
- de acordo com as nosssas informações, essa coisa está se aproximando cada vez mais, estamos com um medo real que isso possar atacar as nossas bases, daquo dos estados unidos.
Soldado#7:
- alguma outra esquipe está cuidando dessa coisa?
Holavi:
- infelizmente não, a nossa é a unica equipe á atacar está coisa.
Soldado#7:
- MAS COMO, o nosso governo não está nem aí para que essa coisa possa fazer?
Holavi:
- pelo que eu sei quase não tem mais tropa para mandar para lá, nós somos a unica esperança que esse país tem de vencer essa guerra.
(cena)
o Chino estava andando em uma plantação e a Sakura estava com ele.
Sakura:
- então você está me dizendo quem estava comandando as tropas dos americanos é um ex-aluno seu.
Chino:
- você acertou, mas nos meus olhos ele sempre vai ser o meu aluno eu não considero ninguém como ex-aluno.
Sakura:
- você acha que essa guerra vai acabar?
Chino:
- eu não posso dizer com certeza quando vai acabar, talvez nós só tenhamos salvado o nosso lugar.
Sakura:
- então nós podemos descansar em paz?
Chino:
- eu espero que esse momento de paz chegue para todos aqui.
Sakura:
- eu soube que o Skar está lutando contra os americanos que entraram no nosso país.
Chino:
- o que você ouviu está certo.
Sakura:
- esses americanos mal sabem o que está por vim.
Chino:
- eu queria poder salvar a todos, mas pelo menos podemos ficar em paz.
Sakura:
- eu queria dizer uma coisa nesse momento de paz.
Chino:
- pode falar.
Sakura:
- é que eu sou apaixonada pelo senhor.
Chino:
- por essa eu não esperava.
Sakura:
- só no pensamento que você podia ser morto pelo aquele guerreiro, erá um pensamento muito assustador.
Chino:
- não se preocupe, eu vou viver em paz com você.
Sakura:
- você sente a mesma coisa comigo?
Chino:
- eu sempre achei você uma aluna especial, eu gosto de você.
(cena)
o chino se aproxima mais da Sakura.
Chino:
- eu GOSTO e muito de você.
(cena)
chino dá um beijo na boca da sakura.
Sakura:
- eu estou feliz.
(cena)
kurunsan chegou em uma das bases americana, o Holavi foi avisado que um invasor estava na base então o Holavi foi ver, ele viu e era o Kurunsan, correu para pegar a espada, e voltou em direção á ele.
Holavi:
- você é um invasor, você tem que ir preso.
(cena)
o Kurunsan ficou olhando para ele, alguns soldados chegavam perto de kurunsan para prendélo, o kurunsan ficava matando os soldados que apareciam, Holavi puxou a espada.
Holavi:
- como você invadiu a nossa base?
Kurunsan:
- eu vim do japão exatamente para invadir a sua base.
Holavi:
- foi uma longa viagem mas foi uma viagem perdida.
(cena)
o Holavi correu a toda velocidade, em direção ao Kurunsan, mais o Kurunsan desapareceu e apareceu na frente das tropas, a cabeça do Holavi.
(cena)
na casa de Kubaraki onde estava todo mundo que estava no japão.
Kristam:
- quem você acha que é vilão nessa historia.
(cena)
mostrou o Kurunsan matando todos os americanos os soldados.
(cena)
na casa de kubaraki.
Chino:
- somente a pessoa que queria lutar com objetivo de matar.
(cena)
numa base subterânia kurunsan matando umas pessoas e uma delas deixa uma pasta cai dizendo"projeto manhattan".
(cena)
na casa de de Kubaraki:
Chino:
- que se sente bem quando está coberto de sangue.
(cena)
na rua de nova york o Kurunsan matando pessoas.
(cena)
na casa de Kubaki.
Chino:
- esse é o vilão da historia.
(cena)
kurunsan matando o prezidente dos estados unidos.
narração: a guerra acabou, mas a que custo.
FIM