segunda-feira, setembro 27, 2010

Cyberman ep:02

(cena)
um avião estava em pleno ar, mas ele estava se aproximando um do outro.
piloto do avião que se aproximava:
- atenção o seu avião estar se apróximando, mude a rota.
piloto do avião:
- o que eu não consigo escultar você direito?
piloto do avião que se aproximava:
- Eu disse que afaste o seu avião.
piloto do avião:
- eu não consigo ver no radar, acho que ele estar com defeito.
piloto do avião que se aproximava:
- mude a rota agora.
piloto do avião:
- eu estou detectando ao no radar que parece um foguete.
piloto do avião que se aproximava:
- mude a rota nós estamos em rota de colisão.
(cena)
as assas do avião se batem, um dos aviões se distânciou um do outro, o primeiro avião estava caindo.
piloto do avião:
- mayday, mayday estamos caindo.
(cena)
o Cyberman aparece e segura o avião, ele aciona os foguertes nas costas estava se esforçando muito para segura-lo, ele estava tendo difilculdades.
piloto do avião:
- mayday, mayday, apareceu uma coisa na frente do avião.
torre de comando:
- você consegue ver como ele é?
piloto do avião:
- parece um homem de metal escuro.
torre de comando:
- o que?
piloto do avião:
- eu não estou brincando, parece um homem de ferro preto.
(cena)
o cyberman conseguiu segurar o avião e conseguiu colocar o avião no chão.
piloto do avião:
- não acredito.
torre de comando:
- o que?
piloto do avião:
- ele conseguiu.
torre de comando:
- o que foi que ele conseguiu?
piloto do avião:
- ele segurou o avião eu repito ele segurou o avião e o colocou no chão.
(cena)
o outro avião já estava chegando no Chão o Cybeman foi até lá a toda velocidade, foi na parte de baixo do avião tentando segurar o avião como o tal avião estava se aproximando muito do Chão o Cyberman conseguiu usar toda a força do foguetes que tem nas costas e conseguiu segurar o avião e colocou no chão.
Cyberman:
- tem que haver uma maneira mais fácil de segurar um avião.
(cena)
ele saiu voando.
(cena)
vários assaltantes invadiram uma grande loja, todos os assaltantes estavam com as máscaras pretas.
assaltante01:
- todos vocês entregam as sues obejtos de valores, quem resistir não resistirar por muito tempo.
(cena)
os assaltantes estava realizando o assalto, de repente os assaltantes caiam subitalmente.
assaltante01:
- o que estar acontecendo?
(cena)
todos eles estavam caindo um por um.
assaltante01:
- se ninguém me falar o que estar acontecendo vou matar todo mundo.
Cyberman:
- o que estar acontecendo simples sou eu.
(cena)
Cyberman bate nele que ele saiu voando e tacou no chão perto da parede.
as pessoas:
- obrigado.
cyberman:
- estou feliz em sevir vocês.
(cena)
ele saiu da loja e voou.
(cena)
um prédio estava peguando forgo, as pessoas estavam gritando desesperadas.
pessoa01:
- SOCORRO.
(cena)
os bombeiro estavam fazendo o que pordiam para apagar o fogo, ficavam jogando a água, usavam as escadas mas tinham pessoas presas num andar muito acima, os helicopeteros não estavam conseguindo chegar perto.
bombeiro01:
- droga como iremos salvar aquela pessoas?
bombeiro02:
- não será presciso um milagre.
bombeiro01:
- olhe aquilo.
bombeiro02:
- o que?
(cena)
O cyberman estava voando chegando perto das vitimas, pegava o máximo que podia umas 4 ou 5 pessoas ficavam trazendo ela para baixo, ele ficava fazendo isso direto, quando não havia mas pessoas para salvar nos andares de cima, Cyberman chegou perto dos bombeiros.
Cyberman:
- pronto, podem continuar.
bombeiro01:
- obrigado, quem é você mesmo?
cyberman:
- eu sou cyberman.
bombeiro01:
- obrigado.
cyberman:
- estou sempre disposto a ajudar vocês.
bombeiro01:
- queriamos que tiver-semos mais pessoas como você.
cyberman:
- é eu tambem(falando baixo)
bombeiro01:
- o que?
cyberman:
- nada, continue com o trabalho.
(cena)
ele saiu voando.
(cena)
quando Trevon estava chegando em casa, ele estava chegando com uma sacola de compras, abriu a porta e colocou o saco na mesa da cozinha.
Trevon:
- DERVELIN.
(cena)
Trevon estava andando na casa e estava procurando o Dervelin.
Trevon:
- DERVELIN.
(cena)
ainda procurando ele.
Trevon:
- deve estar salvando o mundo.
(cena)
ele esculta um barulho vindo do laboratôrio.
Trevon:
- DERVELIN VOCÊ ESTAR BEM?
(cena)
Trevon entra no láboraTôrio e ver o Dervelin de armadura de cyberman, mas estava sem a máscara.
Trevon:
- DERVELIN.
(cena)
ele vai para a cozinha, pega um copo com água, vai até o láboratôrio, vai até o local, e joga a água na cara de Dervelin e ele acorda no susto.
Trevon:
- OH MEU DEUS VOCÊ É O CYBERMAN!
Dervelin:
- não enche.
Trevon:
- e ai o que estava fazendo?
Dervelin:
- você sabe salvando o mundo, você sabe o de sempre!
Trevon:
- conseguiu pegar alguma garota.
Dervelin:
- por incrível que pareça não.
Trevon:
- sério?!
Dervelin:
- sério, as garotas não ficam tão agredecidas como nos filmes.
Trevon:
- você usou aquelas frases padrão de super-heroi?
Dervelin:
- frases?
Trevon:
- eu não conseguiria sem a sua ajuda, não foi nada, você sabe coisa do tipo.
Dervelin:
- tenho que dizer que sim as vezes eu parecia um idiota.
Trevon:
- mas sério as garotas não ficam sérelerpes e saltitantes quando você salvar elas.
Dervelin:
- não, e eu achava que isto realmente acontecia.
Trevon:
- você vai parar de ir por aí como super-heroi.
Dervelin:
- não foi exatamente para pegar garotas que eu descidir salvar o mundo.
Trevon:
- eu sei pelo bem da humanidade e coisa do tipo.
dervelin:
- isso mesmo.
trevon:
- mas você não acha que já estar ajudando o mundo em pequenos passos fazendo estas roupas para ajudar os bombeiros e policiais, e ainda partes mecânicas para pessoas com deficiência igual a você.
Dervelin:
- toda vez que eu faço algo pequeno para ajudar a humanidade provavelmente
aguém já deve ter feito o oposto e destruindo completamente o que eu fiz.
trevon:
- você consegue se levantar?
(cena)
Dervelin apoiar as mãos no chão tenta se levantar e não consegue, e caiu.
Dervelin:
- não.
Trevon:
- por que estar tão exausto?
Dervelin:
- já tentou salvar brasil, inglaterra, japão e por ai vai.
Trevon:
- você realmente estava tentando salvar o mundo inteiro.
Dervelin:
- sim.
Trevon:
- seu idiota, quando os herois falam que vão salvar o mundo eles se concentram em uma aréa em expecifica, não querem dizer que sai mundo a fora salvando as pessoas.
Dervelin:
- mas eu quero ser o tipo que salvar o mundo.
Trevon:
- devo lembrar você que você estar vestindo uma roupa de metal, e que você não é feito de metal, qualquer um se esgortaria em pouco tempo.
Dervelin:
- eu não sou qualquer um.
Trevon:
- ual, por que você não se levantar e dar uns pulos!
Dervelin:
- você me entendeu.
Trevon:
- você do jeito que estar não vai ajudar ninguém.
Dervelin:
- mas eu tenho que salvar as pessoas.
Trevon:
- sim, mas de um local, você não vai conseguir salvar o mundo.
(cena)
eles estava comendo um almoço, e a tv estava ligada, e os dois estavam de traje normal.
Dervelin:
- odeio ser uma pessoa limitada.
Trevon:
- você não é de ferro e ninguém é.
Dervelin:
- queria ter um poder mas útil.
Trevon:
- você estar se esquecendo que não é só o Cyberman que ajuda as pessoas.
Dervelin:
- talvez.
Trevon:
- você deveria sair mais.
Dervelin:
- mas já estou saindo.
Trevon:
- me refiro como Dervelin não como Cyberman.
Dervelin:
- Talvez.
Trevon:
- á e uma coisa.
Dervelin:
- o que?
Trevon:
- nunca fale que você é amigo do Cyberman.
Dervelin:
- por que não?
Trevon:
- por que todo super-heroi inventa esta desculpa.
Dervelin:
- você estar se esquecendo de uma coisa.
Trevon:
- o que?
Dervelin:
- que eu sou um super-heroi de verdade, eu acho que estas coisas de quadrinhos, a pessoa pode falar a vontade que não vai desconfiar de nada.
Trevon:
- de qualquer jeito, eu não aconselho isso.
Dervelin:
- você també me aconselhava a não ser um super-heroi.
Trevon:
- mas quando vi que erá impossível tirar estar loucura da sua cabeça.
Dervelin:
- você estar certo.
jornalista da tv:
- existe outro super-heroi.
(cena)
Trevon e Dervelin olharam para a tv e viram alguém totalmente vestido de uma roupa azul, que cobria todo o corpo, e ele evitava assaltos.
jornalista da tv:
- o Tyber-man não é o unico super-heroi.
Dervelin:
- TYBERMAN.
Trevon:
- cara ela disse Tyberman.
Dervelin:
- disse sim.
Trevon:
- BOA!
Dervelin:
- como foi que essa desgraçada errou o meu nome?
Trevon:
- eu falei que o som que você faz as vezes parece que você estar falando mesmo Tyberman.
Dervelin:
- mas eu falei o meu nome tantas vezes.
Trevon:
- vai ver essas tantas vezes que você falou, tenha falado o nome errado.
Dervelin:
- que droga.
Trevon:
- você tem que adimitir que é engraçado.
(cena)
o Dervelin olha com raiva para o Trevon.
Trevon:
- não olhe para min, mas para ela.
Dervelin:
- eu acho que eu deveria ir lá.
Trevon:
- você estar dizendo que você quer vestir a armadura e ir lá e corrigir o nome.
Dervelin:
- sim.
Trevon:
- cara isto é muita loucura.
Dervelin:
- você tem razão.
Trevon:
- agora vamos ver a noticia.
Dervelin:
- certo.
Trevon:
- ok.
Dervelin:
- VÁDIA DISSE O MEU NOME ERRADO.
jornalista da tv:
- o nome do tal heroi misterioso, é o Dêmonio azul, o entrevistamos para perguntar o por que deste nome.
Dervelin:
- que desgraçado.
Trevon:
- o que?
Dervelin:
- ele parar para fazer entrevistas.
Trevon:
- o que isso tem de mal?
Dervelin:
- quando se para para fazer entrevista só quer dizer uma coisa?
Trevon:
- o que?
Dervelin:
- que esse cara só quer aparecer.
(cena)
mostrando os microfones no dêmonio azul, o cara com a mascára quase toda mostrando os olhos e a boca.
jornalista:
- qual é o seu nome?
dêmonio azul:
- ora dêmonio azul.
jornalista:
- por que você tem esse nome?
dêmonio azul:
- por causa que dêmonio é o que eu quero parecer na cara dos bandidos, para eles terem muito medo de min, e o azul, simplesmente por que o nosso céu é azul, e este céu sempre passar para nós uma tranquilidade quando nós olharmos para ele, é isto que eu quero passar para as pessoas comuns.
Trevon:
- muito melhor que a sua explicação.
Dervelin:
- cale a boca.
Trevon:
- não fique com raiva dele pelo menos ele também estar salvando as pessoas.
Dervelin:
- enquanto ele fez este discurço do por que o nome ele poderia ter salvo mais pessoas.
Trevon:
- o que estar com inveja dele?
Dervelin:
- não é isso.
Trevon:
- o que então?
Dervelin:
- é o tipo dele que eu não gosto.
Trevon:
- deixa ele aparecer na tv.
Dervelin:
- você não ver que ele não estar levando a sério.
Trevon:
- ele estar salvando as pessoas?
Dervelin:
- sim.
Trevon:
- então deixa ele.
Dervelin:
- só não gosto deste tipo de pessoa.
Trevon:
- querendo aparecer ou não pelo estar salvando alguém.
Dervelin:
- você tem razão.
Trevon:
- pelo menos o nome dele é legal.
Dervelin:
- o que dêmonio azul?
Trevon:
- sim é um nome legal.
(cena)
alguém bate na porta.
Dervelin:
- o que pode ser agora?
Trevon:
- algum aqui-inimigo querendo vingança.
Dervelin:
- tá certo!
(cena)
devertin abre a porta e é um homem de terno e gravata, com uma barbixa, e cabelos castanhos não muito grande, e olhos castanhos.
Dervelin:
- ola Tervelin.
Tervelin:
- ola irmão.
Trevon:
- Tervelin e Detvelin!
Tervelin:
- nossos pais não foram criativos nos nomes.
Trevon:
- dá para ver.
Dervelin:
- o que veio fazer aqui?
Tervelin:
- não vai ao menos me convidar á entrar?
Dervelin:
- me desculpe entre.
(cena)
o Tervelin entra e o Dervelin fecha a porta.
Tervelin:
- você antes erá bem educado.
dervelin:
- você perde á educação quando acabar de perde o braço.
Tervelin:
- não sei por que eles sentem vontarde de ver o tio perdedor deles.
Dervelin:
- desgraçado, você estar perdindo não é
Tervelin:
- se você quer bater no seu irmão venha.
Dervelin:
- eu deveria...
Trevon:
- vocês dois parem com isso.
Dervelin:
- certo.
Tervelin:
- você deveria trabalhar para min.
Dervelin:
- pulxa como eu quero trabalhar para um chefe tão bom quanto você!
Tervelin:
- pelo menos você ganharia mais do que agora.
Dervelin:
- chega.
(cena)
o Derveli saiu de casa com raiva.
(cena)
uma mulher de cabelos longos olhos castanhos, um rosto bonito, estava usando um vesito azul, e estava carregando uma bolça também azul, um homem de máscara preta pega a bolça e sai correndo.
a mulher:
- ele roubou a minha bolça.
(cena)
quando o ladrão estava correndo ia passar no lado de Dervelin o Dervelin dar um soco no ladrão fazendo o cara desmaiar na hora a Mulher chega perto de pega a bolça, e dar um chute no bandido.
a mulher:
- obrigada morço.
Dervelin:
- de nada.
(cena)
o Dervelin dá uma olhada no rosto da mulher.
Dervelin:
- Tamará.
a mulher:
- você me conhece?
Dervelin:
- nós formos colegas de sala.
Tamará:
- oi.
Dervelin:
- você não se lembrar de min, certo?
Tamará:
- não.
Dervelin:
- eu sei.
Tamará:
- me desculpe.
Dervelin:
- não é presciso se desculpar, eu sempre na sala fui muito calado mesmo.
Tamará:
- o que você faz da vida?
Dervelin:
- eu sou inventor.
Tamará:
- inventou alguma coisa muito conhecida.
Dervelin:
- estar vendo este braço.
(cena)
ele estendeu o braço rôbotico.
Dervelin:
- eu fiz estes modelos de braço que são um dos mais avançados que existem.
Tamará:
- ual.
Dervelin:
- eu sei é incrível.
Tamará:
- como foi que você perdeu o braço?
Dervelin:
- acidente de carro.
Tamará:
- alguém estava bêbado.
Dervelin:
- não.
tamará:
- como foi então?
Dervelin:
- uma explosão na auto-estrada.
Tamará:
- algum caminhão?
Dervelin:
- não.
Tamará:
- do que foi a explosão.
Dervelin:
- não sei explicar.
Tamará:
- anda me conta.
Dervelin:
- foi tipo um meteoro, ou algo do tipo acho que foi algum poder de alguém.
Tamará:
- poderes como o Tyberman.
Dervelin:
- CYBERMAN.
(cena)
ela se assusta com o grito de Dervelin.
Dervelin:
- me desculpe.
tamará:
- ok.
Dervelin:
- certo.
Tamará:
- vamos sair daqui antes que esse bandido acorde.
Dervelin:
- vamos.
(cena(
os dois sairam correndo do lugar, depois quando eles estavam distante do bandido.
Dervelin:
- estamos em um distância segura.
Tamará:
- você tem razão.
Dervelin:
- você anda trabalhando?
Tamará:
- sim.
Dervelin:
- a onde?
Tamará:
- eu trabalho em um lanchonete conhece "o burgers".
Dervelin:
- conheço.
Tamará:
- poisé.
Dervelin:
- eu via você na classe erá sempre tão cheio de energia, pensava que você iria acabar num emprego mais importante.
tamará:
- parece que perdi a energia.
Dervelin:
- algo sempre pode aparecer.
Tamará:
- como um ex-colega com um braço rôbotico!
Dervelin:
- tipo isso!
tamará:
- você parece uma boa pessoa.
dervelin:
- é!
Tamará:
- queria ter te conhecido na época.
Dervelin:
- e eu na época queria ter falado mais.
(cena)
um caminhão estava descontralado e batendo nos carros em voltar.
Dervelin:
- cuidado.
(cena)
eles entraram em um loja, o caminhão bateu na loja ao lado, mas o Dervelin e a Tamará estava longe da zona de perigo.
Dervelin:
- o que aconteceu com esse cara.
Tamará:
- alguém devia para ele.
dervelin:
- que droga que eu não consigo ultilizar a armadura do cyberman de baixo da minha roupa(ele falou isso baixo).
Tamará:
- o que?
dervelin:
- nada.
(cena)
eles sairam da loja e viram o caminhão sendo parado pelo dêmonio azul, ele segurou o caminhão com um braço, simplesmente o caminhão parou.
Tamará:
- aquele é o Dêmonio azul.
(cena)
uma multidão se apróximou dele, todos ficaram tirando fortos.
dêmonio azul:
- obrigado, obrigado.
Tamará:
- ele não é demais.
Dervelin:
- ele é super.
Tamará:
- será que ele é mais forte que o Tyberman.
Dervelin:
- é Cyberman (falou baixo)
tamará:
- dêmonio azul me levar.
(cena)
dervelin ficou com a cara na mão.
Dervelin:
- que vergonha.
(cena)
uma garota chegar perto dele.
garota:
- posso te dar um beijo.
Dêmonio azul:
- claro.
(cena)
o dêmonio azul beija a garota na boca.
Dervelin:
- que desgraçado, o que estou fazendo de errado?
um senhor:
- métido;
dêmonio azul:
- o que?
um senhor:
- eu disse que você é um métido, que só quer salvar para fazer pose.
(cena)
ele se aproxima do senhor, ele segura o senhor pela camisa vermelha dele.
Dêmonio azul:
- você deveria ter mais réspeito sobre min.
um senhor:
- o que você estar fazendo?
dêmonio azul:
- agora você estar tendo respeito.
Dervelin:
- lá vem problema.
(cena)
o dêmonio azul joga o senhor para longe, á multidão começar a vaiar ele.
dêmonio azul:
- eu parei este caminhão e é assim que vocês me tratão.
(cena)
o Dervelin se afasta da multidão, ele pegar o celular e ligar para o Trevon.
Dervelin:
- éeeee...problema.
Trevon:
- o que você quer que eu faça?
dervelin:
- na nossa garagem tem uma vã, e dentro dela, tem a minha armadura.
trevon:
- você quer que eu a vista?
Dervelin:
- não, eu quero que voce traga esta vã para perto da nossa casa na rua j.vicente.
trevon:
- tou indo.
(cena)
ele pegar o caminhão.
dêmonio azul:
- vocês querem isso então tomar.
(cena)
dervelin chegar perto dele, e dar um soco na car do Dêmonio azul, ele na raiva dar um chute que o Dervelin atraversa uma vidraça.
Tamará:
- oh meu deus.
(cena)
ela vai para perto do Dervelin.
tamará:
- você estar bem?
dervelin:
- tirando o fato de ter sido chutado por alguém de força sobre-humana, é estou bem!
Tamará:
- nunca mais façar isso.
(cena)
a vã do Dervelin parar bem em frente a loja.
dervelin:
- eu não posso prometer isso.
tamará:
- ele vai te matar.
dervelin:
- depois disso vamos nos encontrar onde você trabalhar certo?
tamará:
- certo.
(cena)
o dervelin se levanta e vai para a parte de trás da vã, a vã é toda preta com o metal reforçado, ele entra numa da armadura.
dervelin:
- dá para você não ficar parado.
trevon:
- ok, chefe.
dervelin:
- agora vou dar umas porradas nele.
trevon:
- como você vai chamar esta vã vãcyber ou cybervã.
Dervelin:
- não interesar.
Trevon:
- então boa sorte.
(cena)
a porta da vã se abre e sai o cyberman que taca a primeira ver no chão.
Dervelin:
- eu tenho que praticar mais isso.
(cena)
o cyberman voa com os forguetes para perto do dêmonio azul.
Cyberman:
- pare com isso você não estar fazendo o que um heroi deve fazer.
dêmonio azul:
- tinha que aparecer você para alegrar o meu dia.
cyberman:
- não machuque as pessoas.
Dêmonio azul:
- cansei de vocês.
(cena)
o Dêmonio azul, voa em direção ao cyberman, o cyberman dar dois socos na cara do dêmonio azul, mas ele consegue abraçar o cyberman e sai voando, quando chega muito alto vai descendo e taca o cyberman no chão, causando uma grande clatera.
Dêmonio azul:
- isto é que acontece com as pessoas que não fazem o que eu quero.
(cena)
o dêmonio azul fica recebendo vários socos mas não consegue ver de onde estão vindo.
dêmonio azul:
- apareça covarde.
(cena)
um raio de energia taca nas costas do dêmonio azul e ele vai para o chão, o cyberman aparece em pé ao lado dele.
cyberman:
- me chamou de covarde, e quanto jogar um caminhão nas pessoas isto também não e um ato de covardia.
(cena)
cyberman dar vários socos na cara do dêmonio azul, e ele com um chute faz com que o cyberman bate em uma parede.
dêmonio azul:
- é só isso que você pode fazer.
cyberman:
- não seja idiota, controle-se.
dêmonio azul:
- você tem medo de min não é.
cyberman:
- eu quero ajudar de herois, este mundo é grande demais para um super-heroi, este mundo já tem problemas demais com vilões, não é presciso um super vilão para piorar as coisas.
(cena)
o dêmonio azul vai para perto do cyberman, e os dois começam dar uma série de socos, um mais devastador que o outro, eles param um pouco.
cyberman:
- você é um heroi não se torne um vilão.
dêmonio azul:
- eu salvo a vida deles por que eles me tratam assim.
cyberman:
- se você quer ser sempre bem visto, então pare de ser um super-heroi você não vai todo tempo ouvir que as pessoas gostam de você, alguns vão até odiar, até chegar esquecer até ao ponto de dizer o nome errado, um heroi simplesmente salva o povo indêpendente da opinião dos outros.
dêmonio azul:
- não posso ser o vilão.
cyberman:
- então simplesmente saia daqui.
dêmonio azul:
- não posso vou parecer um covarde.
cyberman:
- não seja idiota e simplesmente vá.
dêmonio azul:
- cale a boca.
(cena)
os dois começaram a dar socos um no outro, até que o Cyberman deu um raio na cara de Dêmonio azul, fazendo com que ele caia no chão, cyberman foi para ele e deu vários socos, até que parou.
cyberman:
- você devia ter ido embora.
(cena)
o dêmonio azul chutar o cyberman para longe.
dêmonio azul:
- quem você pensar que é?
cyberman:
- eu sou o CYBERMAN.
dêmonio azul:
- cyberman nos encontraremos na próxima.
(cena)
o dêmonio azul saiu voando, vôou tão rápido que desapareceu da vista.
cyberman:
- eu espero que você não venha de novo como vilão.
(cena)
o dêmonio azul estava voando até chegar em uma floresta, e ele tirou a máscara e erá o tervelin.
Tervelin:
- DROOOOOOOOGA.
(cena)
na casa de Dervelin o dervelin estava no sofá com o saco de gelo na cara, o Trevon chegou perto.
Trevon:
- como foi receber aqueles socos.
Dervelin:
- foi uma expériência dolorosa.
trevon:
- como foi dar vários socos na cara do "Dêmonio azul".
dervelin:
- foi horrível, por que eu estava batendo numa pessoa que erá um heroi.
trevon:
- fala sério.
Dervelin:
- gostei!
Trevon:
- ainda bem que você colocou um aparelho localizador no seu braço, que dava para ver onde você estava.
Dervelin:
- é mesmo.
Trevon:
- o que você vai fazer?
dervelin:
- o que eu vou fazer enquanto ao que?
Trevon:
- você percebe que essa não é a maneira mais rápida para se salvar alguém.
dervelin:
- eu soube disso na hora.
Trevon:
- aquele cara pode ter matádo qualquer um.
Dervelin:
- eu não posso fazer nada, não posso simplesmente carregar a armadura por todo canto.
Trevon:
- que dia hein!
Dervelin:
- o dia na verdade foi bom.
Trevon:
- tem alguma coisa que eu não estou sabendo.
dervelin:
- tem.
Trevon:
- o que?
dervelin:
- que me lembra que eu tenho que ir á um certo lugar.
(cena)
na porta do restaurante "Burger".
dervelin:
- será que eu devo dizer que eu sou que sou um tipo de super-heroi será que ela vai cair nos meus braços, droga que eu faço.
(cena)
ele entra senta em uma cadeira, a Tamará foi até.
tamará:
- onde você tinha ido.
Dervelin:
- eu tinha que resolver algumas coisas.
Tamará:
- eu achei legal aquela vã que você entrou.
dervelin:
- mesmo?
tamará:
- fiquei preocupada com você.
dervelin:
- não deveria.
tamará:
- você foi um heroi hoje, você enfrentou aquele "dêmonio azul" mesmo ele tendo te chutado para longe, você foi o mais corajoso de todo ali.
Dervelin:
- essa coragem é por ajuda do meu amigo.
tamará:
- que amigo?
dervelin:
- é o...




Fim do episodio.

Nenhum comentário: