quarta-feira, abril 27, 2011

star monster ep:23

sombrati vai em direção ao tridents
tridents fica na posição de defesa
quando sombrati chega perto da um purlo
tridents não entende
uma sombra de tridents dar um chute no tridents
tridents se afastar
sombrati encosta no chão e vai ao tridents
tridents olhar para os lados
sombrati:
- estou aqui.
sombrati dar muitos socos no tridents
tridents segura um dos socos
dar uma olhada com raiva para o sombrati
dar uma joelhada no sombrati
sombrati sente o imacto
tridents se apróxima para dar um soco
sombrati tentar se afastar
dar um mal jeito na perna.
sombrati olhar para perna
sombrati:
- droga.
tridents dar um soco forte no sombrati
sombrati se afastar um pouco.
sombrati dar uma cabeçada no tridents
tridents:
- droga.
sombrati dar 3 socos
tridents dar um chute e afasta o sombrati
sombrati prepara um poder.
tridents se posiciona
tridents leva uma rasteira de uma sombra tridents
tridents:
- que droga.
um sombrati lançar um poder no tridents.
tridents:
- não tenho como...
o poder acerto o tridents
ocorre uma explosão
sombrati olhar por zebrati.
sombrati:
- ei alan.
zebrati:
- o que foi?
sombrati:
- já pode ir para casa.
zebrati:
- preste atenção na luta.
sombrati:
- eu vou acabar com qualquer um dar familia dele que descida aparecer aqui.
zebrati:
- você estar realmente louco.
tridents:
- concordo com o seu amigo.
sombrati:
- ainda resiste.
tridents:
- os ferimentos não são nada.
sombrati:
- não fique convencido.
tridents:
- vamos ver.
sombrati solta o poder no chão
tridents:
- o que?
os sombrati soltava poder por todo canto
tridents:
- você estar errando e feio.
sombrati continuava jogar poder por todo lado.
tridents:
- o que ele estar fazendo?
a fumaça estar por todo canto.
tridents:
- mais o que?
sombrati:
- ficou impressionado.
tridents:
- fiquei.
sombrati:
- obrigado.
tridents:
- com estar loucura que você fez.
sombrati:
- você vai entender.
tridents recebe trêz socos
tridents fica olhar para os lados.
tridents:
- desgraçado.
tridents começa uma ventania
logo muitos poderes fora para o chão
tridents:
- droga.
rodrigo:
- o que estar havendo?
zebrati:
- eu não estou vendo nada.
rodrigo:
- o que você acha que ele planejou?
zebrati:
- o labirinto de espelhos.
rodrigo:
- labirinto de espelhos.
zebrati:
- quanto tem duas pessoas no labirinto de espelhos fica muito dificíl encontrar o original.
rodrigo:
- esta foi boa.
zebrati:
- só espero que uma coisa não aconteça.
rodrigo:
- o que?
um poder vem em direção ao zebrati e rodrigo.
zebrati:
- cuidado.
zebrati empurra o rodrigo
zebrati vai para o lado oposto ao rodrigo
e acontece uma explosão.
zebrati se protege
zebrati:
- maldito.
zebrati:
- rodrigo.
zebrati se levanta
zebrati:
- RODRIGO.
RODRIGO SE LEVANTAR
DEPOIS CAI DE JOELHOS
ZEBRATI:
- RODRIGO.
ZEBRATI VAI AO RODRIGO
ZEBRATI:
- VOCÊ ESTAR BEM
RODRIGO:
- MEU ESTADO NÃO IMPORTA MUITO
ZEBRATI:
- O QUE?
RODRIGO:
- SE ESTE IDIOTA PEDER AGA E VOCÊ TAMBEÉM TODOS MORREM
ZEBRATI:
- OU PEDIR AJUDAR DESESPERADAMENTE.
RODRIGO:
- SEMPRE TEM O MAIS FORTE.
RODIRGO OLHAR PARA CIMA.
ZEBRATI:
- O QUE FOI?
RODRIGO:
- SE O ANDRÉ NÃO VINHER EU MARTO ELE
ZEBRATI:
- SERÁ QUE ELE SABER QUE ELE ESTAR AQUI.
RODRIGO:
- ACHO MUITO DIFICIL
ZEBRATI:
- TOMARA QUE O SINAL NÃO SEJA UMA PLANETA EXPLODINDO
RODRIGO:
- MAIS VAI SER.
ZEBRATI:
- O QUE?
RODRIGO:
- O PLANETA DO DESGRAÇADO.
zebrati:
- ele tem que tomar mais cuidado.
rodrigo:
- você acha que o outro se impora com a gente!
zebrati:
- eu queria dizer o charles.
rodrigo:
- á.
tridents estava com machucados
ficava olhando de um lado para o outro.
tridents:
- você não pode se esconder.
tridents levar um chute
sombrati:
- é assim que eu vou vencer.
tridents prepara um poder
tridents(pensamento)
- se eu ao menos souber-se de onde estão vindo a vozes.
tridents levar um chute no braço
o poder desaparece
tridents:
- droga.
tridents não parava de levar soco
tridents caiu no chão
tridents lançar um poder
só atraverssar pela fumaça
tridents:
- maldita fumaça.
lanças mais um poder
mais o poder não atinge nada
tridents tentar se levantar
mas levar um chute
tridents caiu
tridents dar um golpe no chão
tridents:
- ao menos se...
tridents ver uma sombra
tridents:
- estar ai.
tridents energiza o poder na mão
tridents:
- você não vai escapar.
lançar um poder
ocorre uma explosão
tridents:
- atingir o maldito.
a rizada de sombrati fica no local todo
tridents:
- o que foi?
sombrati:
- acredite se você estiver-se no meu lugar você ia dar risadas.
tridents lançar mais três poderes
tridents:
- vou achar você.
sombrati:
- ao menos você sabe onde eu estou.
tridents:
- ao onde.
tridents levar três
sombrati:
- aqui.
tridents se levantar
dar uma olhada para cima.
tridents:
- como eu não pensei nisso antes.
tridents começa a voar.
tridents:
- vou tirar a sua vantagem.
tridents voa mais alto
tridents sente milhares de poderes em volta dele
ocorrendo muitas explosões
tridents cai no chão
sombrati dar mais risada
tridents:
- maldito.
sombrati:
- você percebe que estar morto não é.
tridents:
- o que?
sombrati:
- se você me vencer ainda tem o meu amigo.
tridents:
- e.
sombrati:
- do jeito como você estar parece que você não aguentaria uma outra briga.
tridents:
- não teria tanta certeza.
sombrati:
- você percebeu né.
tridents:
- o que?
sombrati:
- se você fosse mais forte você já teria me vencido.
tridents:
- não pense que estar ganho.
o peito de tridents começa a doer.
tridents:
- o que?
tridents recebe vários socos
tridents lançar um poder
este golpe não atinge nada
tridents de levantar.
sombrati:
- você estar cada vez mais fraco.
tridents(pensamento)
- droga estou mais cançado que o normal.
tridents fica de joelhos no chão
começa a sentir uma forte dor de cabeça
tridents:
- DROGA.
tridents se levantar devagar
tridents:
- maldito dask.
tridents fica em pé.
tridents:
- eu devia ter esperado um tempo antes de vim para cá.
tridents fica emposisão de luta
tridents:
-não é hora para se arrepender.
tridents olhar para frente
tridents:
- você já sabia o resultado desde o inicio.
tridents fecha a mão com força
tridents:
- isto não é hora de desistir.
tridens segura um soco
tridents:
- você vai se arrenpender.
tridents soltar um poder forte
acontece uma grande explosão
tridents se afastar
tridents:
- acertei você maldito.
tridents não consgue se mecher.
tridents:
- mas o que?
tridents tentar se mexer
tridents:
- tem algo agarrando meus pés.
tridents recebe muitos poderes
explosões apareceria direto.
o tridents estava no chão
tridents move as pernas
tridents:
- aquele desgraçado.
sombrati:
- você nunca deveria ter vindo aqui.
tridents:
- estas sãos as minhas criaturas.
sombrati:
- não são mais.
tridents:
- todos vocês iram devolver.
sombrati:
- você só vai conseguir implorando.
tridents fica olhando de um lado para o outro
tridents:
- devolva-os.
sombrati:
- você quer?
tridents:
- lógico.
sombrati:
- venha pegar.
tridents:
- eu vou derrotar...
tridents caiu no chão
tridents:
- mais o que?
a barriga de tridents começar a sangrar
tridents:
- o que?
tridents olhar para as feridas de tem formato de garra
tridents:
- maldito ele fez um ultimo golpe.
tridents fica com a mão na barriga
tridents:
- droga.
tridents solta um poder
o poder não atinge nada.
sombrati:
- você sabe que comerteu um grande erro.
tridents levar 3 socos
tridents lançar um poder
mas não atinge nada
tridents:
- que tipo de erro.
sombrati:
- você não esperou para se recuperar.
tridents:
- estou notando.
sombrati:
- até um lutador experiente prescisar de tempo.
tridents recebe 2 socos
tridents recebe um chuete
sombrati:
- e isto não vamos te dar.
tridents:
cala...
tridents fica de joelhos
tridents:
- droga.
tridents levar um chute na cara
tridents cai no chão
sombrati:
- volte para o seu planeta e nunca mais volte.
tridents fica sentado.
tridents:
- droga.
tridents se levantar
tridents:
- vocês ficaram fortes em pouco tempo.
tridents se afastar um pouco
tridents:
- até que uma coisa eles tinham razão.
tridents dar um sorriso
tridents:
- droga.
tridents dar uma risada forte
tridents:
- o pior que no final de tudo meu irmão vai ficar com tudo.
tridents pisar no chão
tridents:
- e tudo que eu fiz até agora.
tridents olhar com raiva
tridents:
- e tudo terá sido em vão.
sombrati:
- idiota.
tridents:
- o que?
sombrati:
- o seu irmão nunca vai governa a terra.
tridents:
- meu irmão é muito mais forte.
sombrati:
- sei de alguém que vai derrotar-lo.
tridents:
- estar delirando.
sombrati:
- se você conhecer-se ele.
tridents:
- quem seria?
sombrati:
- o meu amigo andré, ele sempre enfrentava inimigos muio fortes.
sombrati dar uma pequena risada
- na verdade impossíveis de se vencer e sempre o derrotava.
tridents:
- você estar maluco.
sombrati:
- ele não vai deixar a terra ser dorminada.
tridents:
- por que confiar tanto nele.
sombrati:
- por que eu vi o poder dele.
tridents:
- o que?
sombrati:
- ele antes soltava um poder que eu pensava que erá da criatura mais eu tenho certeza que erá dele.
sombrati dar um sorriso
- e derrotava qualquer criatura sua com um golpe.
tridents:
- só nós somos tão fortes.
sombrati:
- é que vamos ver.
tridents:
- mais antes.
tridents fica em pé
tridents:
- vou te derrotar antes.
sombrati:
- boa sorte.
tridents:
- eu sei que acontece.
sombrati:
- duvido.
tridents:
- neste local não tem só você.
tridents olhar ao redor
tridents:
- eu aposto que várias sombras minhas.
tridents dar um sorriso
tridents:
- fiz você para fazer as contruções no meu planeta mais rápido.
tridents fica olhando para os lado
tridents:
- não pensei muito bem sobre isto.
tridents solta o poder
tridents:
- devia ter limitado o poder dessa espercie.
sombrati:
- me esqueci você é um criador.
tridents:
- nunca mais vou dar tanto poder a alguém.
sombrati:
- vou te agradecer pelo poderes.
tridents:
- estou esperando!
tridents energiza o braço
tridents:
- vamos.
tridents levar um chute
tridents solta o poder na direção do chute
ocorreu uma explosão
tridents:
- gelark maldito.
tridents bate o pé no chão
tridents:
- ele deu a deixa para vocês treinarem.
tridents solta o poder
tridents:
- não imaginei o quão forte vocês ficariam.
tridents solta um poder.
tridents:
- se vocês tiver-sem a força de agora o gelark não voltaria inteiro.
tridents levar um soco
tridents se afastar um pouco
tridents soutar um poder
tridents:
- pare de se esconder.
tridents recebe dois poderes na cabeça
acontece uma explosão
o tridents fica no chão
tridents:
- mas o que?
tridents fica com mão na cabeça
tridents:
- desgraçado minha audição.
tridents olhar para um lado para o outro
tridents:
- não tem outro jeito.
o poder se reune em voltar de tridents.
tridents:
- DESTINATION MAX.
uma grande explosão acontece
e toda a fumaça desaparece
sombrati estar caindo no chão
sombrati levantar
sombrati:
- o que foi isso?
aparece tridents muito machucado
tridents:
- meu golpe destination max.
sombrati:
- por que você não usou este golpe antes.
tridents:
- na verdade não e um bom golpe.
sombrati:
- se eu tiver-se muito perto teria perdido a luta.
tridents:
- o golpe é forte mais...
o braço esquedo do tridents muito machudo
tridents:
- não é muito bom se você quer vencer uma luta.
Sombrati:
- eu entendo o por que?
Tridents:
- isto seria mais um golpe suicida.
Sombrati:
- saiba quando desistir.
Tridents dar uma risada.
Tridents:
- mesmo com um braço eu vou te derrotar.
Sombrati:
- VENHA.

segunda-feira, abril 25, 2011

A biografia de um bebâdo.

Estão numa cadeira, Vinicius estava com um livro na mão, e usa calça marrom, camisa social preta, o outro Erick estava de calça jeans, camisa social branca os dois estava sentados em cadeiras.
Vinicius:e-e-e é assisisim que a histototoria termina(Vinicius coloca o livro no joelho e olhar para Erick) o que acho-o-o-ou da histo-to-toria.
Erick coloca as mãos na cara e dar um grito abafado e o Erick se levantar, vai até a parede e bate a cabeça nela.
Vinicius:- Ru-ru-ruim asi-si-sim.
Eick:(ele tira a mão do rosto) você me pediu só para eu te ajudar na sua historia, e dar uma opinião.
Vinicius: - sim.
Erick: - quando perdem para fazer isto a pessoa não ler o LIVRO TODO(ele levantar as mãos de raiva) MEU DEUS.
Vinicius se levantar e vai para o Erick.
Vinicius: mas você gosto-to-tou.
Erick sufoca o Vinicius.
Vincius:suponho que isso seja um não.
Erick larga o Vinicius.
Erick:sabe uma das piores partes.
O Erick fica andando.
Vinicius:qual?
Erick dar uma parada brusca.
Erick: seu livro tem 500 PAGINAS.
Erick fica com gestos de enforcar.
Vinicius: e qu-qu-qual é o pro-po-blema.
Erick chega perto de Vinicius e dar um tapa na cabeça dele.
Erick: VOCÊ ESTAVA LENDO PARA MIN E VOCÊ É GAGO.
Vinicius engole a seco.
Vinicius: você tem problema por eu ser gago.
Erick: e ainda por cima BURRO.
Erick fica andando mais um pouco.
Vincius: não me cha-cha-me-me assim.
Erick: mas você é gago.
Vinicius: me refi-fi-ro a bu-burro.
Erick: mas você é burro.
Vinicius: então vo-você, não tem opi-pi-pinião sobre o meu livro.
Erick: você contando a historia fica impossível.
Vincius vai para a cadeira e fica de cabeça baixa.
Erick: o que você estar fazendo?
Vinicius: estou tri-tri-triste.
Erick chega perto de Erick:
Erick: você quer que peça desculpa?
Vinicius: sim.
Erick:ok.
Erick dar um tapa na cabeça de Vinicius.
Erick: se levanta idiota.
Vinicius: mudando de assunto.
Erick: certo.
Vinicius: eu soube que-que você esta-ta-ta escreven-vendo para os o o outros.
Erick: sim.
Vinicius: quem é o aza-za-rado-do.
Erick: é o Matheus de Jovan.
Vinicius: MATHEUS DE JOVAN.
Erick: pelo visto conhece ele?
Vinicius: é uma-ma-ma longa-ga histori-ria, quer-que ouvi-vi.
Erick: NÃO.
Vinicius: ma-mas eu que-que-queria contar.
Erick: você tem noção que ninguém vai as suas palestras.
Vinicius: não se-se-sei o po porque disso.
Erick:(Erick faz uma cara sacástica) jura que você não sabe.
Vinicius: qual o-o-o traba-balho.
Erick: escrever.
Vincius: não, não é i-i-isso, vo-você vai escre-ve-ver nove-vela ou o que?
Erick: ele quer que eu escreva uma biografia dele.
Vinicius morre de rir.
Erick: (olha estranho por Vinicius) o que foi?
Vinicius: ele é o Ca-ca-cara mas bêbado-do-do da ci-ci-cidade.
Erick: não pode ser.
Vinicius: poisé ver-veda-de-de.
Erick: ou droga.
Vinicius: co-como-mo você vai escrever a bi-bi-biografi-fi-fia dele se-se-se ele esquece-ce de tudo.
Erick: no que eu fui me meter.
Erick senta na cadeira.
Erick: estou ferrado.
Vinicius: é mesmo.
Erick olhar com raiva por Vinicius
Vincius:( dar uma afastada de Erick) o que foi só concode-de-dei contigo-go.
Erick: droga.
Vincius: quanto é que ele-le-le vai PA-pa-pagar?
Erick: 2 mil.
Vinicius: 2MIL?
Erick: é.
Vincius: até eu escre-ve-veria para ele.
Erick: ok, eu vou amanhã.
Vinicius: é.
Erick: tomara que ele esteja sóbrio.
Vinicius: eu que-que iria ir com você.
Erick: por que?
Vinicius: por que isto-to-toseria engraçado.
Erick: e depois quem sabe você poderia ler para ele.
Vinicius: ok, não esta-ta aqui quem falou.
Erick olhar o Vinicius.
Vinicius: o que foi?
Erick: você ainda estar aqui.
Vincius se aproxima de Erick com um sorriso.
Erick: o que?
Vinicius dar um tapa mas o Erick se abaixa e o Vinicius dar um tapa de si mesmo.
Erick: alem de gago é burro.
Na casa de Matheus de Jovan o Matheus estava no chão e o Erick estava quase entrando na casa Erick diz: senhor, Matheus será que eu poderia entrar, eu espero quero que você não esteja fazendo nada com que eu queira ir embora só de olhar.
Erick entrar na casa e ver o Matheus No chão e diz: bem esse é uma das situações que eu estava me referindo, senhor Matheus, MEU DEUS(ele cobre a boca) espero que ele não tenha morrido, quando ele me pagar assim ele pode morrer mas não antes disso, vamos senhor levantar.
Erick chega perto de matheu e cutuca ele: senhor, acorde, por favor não morra não antes sem me pagar, eu sei que eu não fiz nada até o momento, mas mesmo assim, uma graninha ia bem.
Matheus olha para o Erick e diz: você é um anjo, que merda, eu esperava que fosse uma anja mulher sabe, para pelo menos eu ir para o céu com um sorriso no rosto.
Erick faz cara de raiva: só me faltava essa, só faltava este bêbado não me pagar e ainda vou ser xingado.
Matheu fixa o olhar: o senhor veio me roubar, por favor roube tudo que eu tenho aqui, quer dizer não tudo você pode deixar a bebida de fora.
Erik afasta de Matheus: eu não vim te roubar, seu, seu, eu vim aqui por que você me contratou para fazer a sua biografia (erik dar uma respirada) apesar que eu já esteja me arrependendo dessa idéia.
Matheus se levantar e vai numa cadeira: como eu posso saber que você não é um espião, você quer saber tudo da minha vida(Matheus levanta bruscamente) pois eu não vou te contar nada, você me ouviu.
Erick olhar estranho por Matheus: mas você me contratou para eu falar sobre a sua vida, e colocar-las no livro.
Matheus se senta na cadeira: vamos meu jovem me conte tudo que você sabe sobre min, como foi a minha infância.
Ekik dar uma respirada com raiva: O SENHOR NÃO ME CONTOU NADA AINDA SOBRE A SUA VIDA.
Matheu fica na posição de pensador: poisé isto vai ser um grande problema para você meu jovem, um grande problema.
Erick: DAR PARA VOCÊ ME CONTAR.
Matheus: por que ?
Erick: PARA ESCREVER A PORRA DO LIVRO.
Matheus: não precisa fica com raiva.
Erick: por que eu escolhi este trabalho.
Matheus: quanto eu vou pagar por tudo?
Erick: me lembrei.
Erick sentar na cadeira ao lado de Matheus: vamos Matheus.
Matheus: para onde?
Erick fica coma cara na mão: eu quero dizer você poderia me dizer algo sobre a sua historia para eu poder escrever o seu maldito LIVRO.
Matheus: você não precisa fica com raiva.
Erick: EU PRECISO se não ninguém faz nada.
Matheus: ok, senhor se prepare que eu vou lhe contar toda a minha historia desde quando eu era bebê.
Erik fica esperando e Matheus nada de falar: e.
Matheus: o que?
Erik: você vai me contar ou não.
Matheus: contar o que?
Erick: a sua historia.
Matheus: e por que faria isso?
Erick: para o MALDITO LIVRO.
no local sozinho estava o erick com o caderno na mão: eu nunca irei acabar com isso, acabar com a minha vida do que acabar isto.
a Silvia ela tem uma camisa decotada vermelha e calça jeans preto ela entra de vagar.
Silvia: quem seria o senhor?
Erick: meu nome é erick estou escrevendo a biografia do Matheus.
Silvia: o que coneseguiu até agora.
erick levantar o caderno com a pagina aberta: ou meu nome é matheus.
silvia: e o que mais?
Erick: na verdade ele só disse isso.
Silvia: tem certeza que ele contratou você para escrever a biografia dele.
erick: eu não sei mais.
Silvia: boa sorte.
erick: obrigado.
Silvia: OBRIGADO PELO QUE?
Erick: eu só estava sendo educado.
Silvia: E POR QUE ISSO POSSO SABER EM.
erick: é que.
Silvia chega perto de erick e dar um tapa.
Erick: por que você fez isso.
Silvia: fez o que?
Erick: o que estar havendo?
Erick: você derepente começar a gritar.
Silvia: á eu sei o que estar havendo.
Erick: eu sei todo mundo pirou de vez.
Silvia: não é bem isso é que eu dupla personalidade.
erick: o que?
silvia: é que as vezes eu sou outra pessoa as vezes sou valéria a mulher irritada, mas aqui você estar vendo agora é silvia.
Erick: que bom alguma explicação.
silvia abre os braços: venha me desculpe.
Erick: ok.
Erick chega perto da Silvia e ela dar um tapa nele.
Erick: o que?
Silvia: tarado você queria escostar a mão no meu peito.
o erick bate a cabeça no caderno.
Erick: onde eu fui me meter.
Silvia: que METER o que, aqui você não mete em ninguém.
Erick: não é bem isso.
silvia: não é isso o que?
Erick: é melhor eu ficar calado.
erick: mas quem é você?
silvia: eu sou Silvia.
Erick: não, eu quero dizer o que você é do matheus.
Silvia: namorada.
Erick: a quanto tempo você namorar ele?
Silvia: namoro quem o DESGRAÇA.
Erick: o matheus.
Silvia: eu não namoro ninguém (ela puxa o erick para perto) você estar me ouvindo.
Erick: sim senhora.
Silvia: SENHORA O QUE, EU SOU UMA JOVEM.
Erick: tá bom.
Silvia: ok.
Erick: o que você é dele?
Silvia: já falei namorada.
Erick: mas você disse agora que não namorar ele.
Silvia: é a valéria ela não se considerar namorada do Matheus.
Erick: não vou nem pergunta como isso funciona.
silvia: nós termos um relacionamento bem normal.
Erick: para os loucos isto é perfeitamente normal.
Erick se levantar e dar uma respirada.
Erick: tenho que termina logo tudo isso.
na casa inicial onde estava o erick e vinicius, vinicius estava sentado na cadeira.
erick:
ele fica andando de uma lado para o outro.
- como eu peguei um trabalho desse.
Vinicius:
chega perto do Erick e segura ele para parar.
- ma-ma-mas o que esta-ta havendo-do.
erick:
erick se afastar de Vinicius:
- eu vou lhe explicar o que acontece.
erick grita de raiva.
- aquele cara estar me deixando louco, eu vou morar no hóspicio depois disso.
Vinicius:
vinicius segura uma rizada.
- o que fo-fo-foi?
erick:
o erick senta numa cadeira.
- é impossível trabalhar com o cara.
vinicius:
vinicius dar um rizada.
- eu te-te-te falei que iria se-ser dificíl traba-ba-balhar para ele.
erick:
olhar com raiva para o Vinicius.
- difícil.
se levantar com raiva.
- trabalhar lar é impossível.
vinicius:
vinicius olhar preocupado por erick.
- ma-ma-ma-ma...
erick:
erick chega perto de vinicius e dar um tapa das costas dele.
Vinicius:
- mas o que foi?
dar uma pequena respirada.
Erick:
levatan os braços com raiva.
- é que não é só ele que é louco lar.
vincius:
fica com o olhar estranho por erick.
- ma-mas que é, é?
erick:
erick dar uma respirada e anda um pouco.
- a namorada dele.
vincius:
dar um sorriso.
- eu sei o que acontece.
dar mais um passo.
- ser o que aconte-te-tece na sua cabe-be-beçinha.
erick:
erick olhar desconfiado.
- o que poderia ser.
Vincius:
ele senta numa cadeira.
- você estar gostando dela.
Erick:
vai até a porta.
- eu não gosto.
Vinicius:
dar um pequeno sorriso e som de rizo.
- adimita.
erick:
Erick olhar por vinicius irritado.
- ela namora ele.
vinicius:
se levantar.
- vai até ela e diga que gosta.
Erick:
erick levanta os braços.
- eu não gosto dela.
ele se encosta na parede.
- e alendo mais ela é maluca.
vinicius:
vinicius levantar os ombros.
- e da-da-dai.
Erick:
erick aponta o dedo para o vinicius com raiva.
- meu pai só tinha medo de duas coisa a segunda erá fantasmas e a primeira é mulher maluca, aí é que morar todo o perigo.
Vinicius:
vinicius dar risada.
- isto é verdade.
fica com uma cara séria.
erick:
se sentar.
- nunca vou namorar ela.
Vinicius:
vincius dar uma respirada.
- aliás ela estar na-na-na morando-do outro.
erick:
se levanta.
- na verdade.
vinicius:
estranha o erick.
- na-na-na verdade o que?
erick:
erick olhar com raiva por vincius.
- ela é e não é ao mesmo tempo.
vinicius:
vincius achar estranho.
- ma-ma-ma-ma...
erick:
chega perto de vinicius e dar um tapa na cabeça dele.
vincius:
ele andar um pouco para frente.
- mas como é po-po-posível.
erick:
erick fica pensativo.
- é que...
erick anda um pouco.
- ela tem dupla personalidade, e uma estar namorando ele e a outra não estar, á outra parece ser do tipo que gosta de fica com raiva.
vinicius:
fica pensando.
- por que você não na-na-namora ela?
erick:
estranha o que ele falou.
- eu já disse que ela tar namorando ele.
erick fica andando.
- e eu não sou o tipo de cara que vai em mulher que estar namorando outro.
vinicius:
olhar estranho.
- e aquela vez que você ficou com uma das que eu tava namorando.
erick:
erick fica parado e engole a seco.
- foi só uma vez.
Vinicius:
- e aquela outa vez que...
erick:
- não vou fazer mais.
vinicius:
vinicius fica pensando.
- por que você não continou com a ultima.
erick:
fica um tempo calado.
- ela peidava durante.
vinicius:
dar um sorriso.
- é por isso que eu não fiquei com raiva de você dessa.
erick:
erick ficou com a mão na cabeça.
- meu deus e como ela peidava.
vinicius:
vinicius olhar com raiva.
- ela não peidava tanto.
erick:
olhar com raiva por vinicius.
- os peidos dela poderiam encher um dirigivel.
vincius:
ficou um tempo pensando.
- é mesmo.
erick:
erick tremeu.
- o horror.
vinicius:
vinicius fica com sorriso.
- pe-pe-pensando-do-do bem obrigado-do.
Erick:
erick tremeu.
- o meu deus o horror.
vinicius:
ficou pensando.
- ei.
vinicius foi para perto do erick.
- ma-ma-mas você fi-fi-ficou com ela du-duas vezes.
erick:
fica andando.
- ela peidava, mas ela sabia o que fazer na cama.
vinicius:
fica supresso.
- você fo-foi mesmo sa-sabendo que ela pe-peidava.
erick:
erick dar uma respirada.
- sim.
vinicius:
estranhou a situaçõa.
- mas como.
erick:
erick dar um pouco de tremida.
- bem na primeira vez que nós fizermos ela peidava mas pelo menos saia o barulho já na outra vez ela soutou um que não tinha barulho.
vinicius:
fez cara de nojo.
- o silêncioso.
erick:
ficou com a cara na mão.
- sim o maldito silêncioso.
vinicius:
cruza os braços.
- e você não prefe-fe-fere namorar a mulher com du-du-dupla persoanalidade.
erick:
dar um tapa na cabeça de vinicius.
- a que acha que não namorar ele é a que sente raiva o tempo todo.
vinicius:
dar outro sorriso.
- você sabe o que dizem de sexo raivoso.
Erick:
erick fica com cara de raiva.
- é eu sei.
erick andar mais um pouco.
- muito bem.
vinicius:
fica pensativo.
- é me-mesmo.
fica com mão na testa.
- eu me-me lembrei.
dar uma pequena respirada.
- ela erá fogo.
erick:
fica com uma cara de sarcasmo
- não brinca.
senta na cadeira.
vinicius:
andan um pouco.
- o caso com a-a-a luta-ta-tadora de boxe.
erick:
olhar com raiva.
- quando ela queria um tipo de sexo selvagem, não imaginava que ela realmente batia, e cara ela batia muito forte.
encosta a mão na barriga.
- e como doeu.
vinicius:
dar uma risada.
- e você não sai de casa por dois dias.
erick:
olhar com raiva por vinicius.
- é eu sei.
erick se levantar.
- por que EU ESTAVA LÁ.
vinicius:
se assusta.
- ok se acalma.
erick:
dar uma rspirada forte.
- ok, vou me acalmar.
vinicius:
dar uma risada.
- eu ti-ti-tinha pensando-do-do que você ficou este do-do-dois dias fazendo fazendo-do-do sexo com ela.
erick:
bate o pé no chão.
- eu estava me recuperando eu não podia levantar.
vincius:
fica pensativo.
- eu esta-ta-tava pensando-do-do.
anda mais um pouco.
- você gosta do-do-do sexo de-de-dela.
erick:
mexe o corpo.
- tá maluco.
vincius:
olhar por erick por um segundo.
- eu soube-be-be que você fez mai-i-is de du-du-duas vezes com ela.
vincius bate no ombro de erick.
- em, me conta-ta.
bate mai uma vez no ombro de erick.
- vai me respoda-da-da.
erick:
fica com cara de raiva.
- não erá isso eu como sou mais fraco que ela toda vez que ela queria fazer sexo eu tinha que fazer.
vinicius:
- sério.
erick:
- num destes sexo eu fui para o choveiro chorar.
vinicius:
- você não fez nada-da-da.
erick:
- ela é mais forte que eu quase tentei usar a lei marinha da penha.
vinicius:
- você estar exagerando-do-do.
erick:
- não.
vinicius:
- como vocêr te-te-terminou com ela.
erick:
fica um tempo calado e anda um pouco.
- é que.
anda em circulos.
- você sabe.
para um pouco.
- é.
vinicius:
- o que?
erick:
- eu ainda...
vinicius:
- conti-ti-tinua com ela.
erick:
- isto não é...
vinicius:
- ainda esta-ta-tar com ela.
erick:
fica um pouco de cabeça baixa.
- sim.
vinicius:
- você é masoquista-ta-ta.
erick:
- não.
vincius:
olhar sério por erick.
erick:
- eu não sou masoquista.
vinicius:
- ok.
erick:
- você termina com ela por min.
vinicius:
- se depender de min você se casa com ela.
erick:
- grande amigo.
na cena estão matheus e erick os dois estavam sentado em cadeiras, o erick estava com o caderno em mãos.
matheus:
- obrigado por ser paciênte comigo.
erick:
- desculpe-me a pergunta.
matheus:
- o que é?
erick:
- quando você começou a beber?
matheus:
- desde sempre.
erick:
- entendo na adolecência.
Matheus:
- na verdade desde de sempre.
Erick:
- o que você quer dizer com isso.
matheus:
- desde de sempre.
erick:
- eu me refiro desde de criança.
matheus:
- sim.
erick:
- quem são os malucos desegeredos que dão alcool para crianças.
matheus:
- meus pais.
erick:
dar risada.
- você é muito engraçado.
erick olhar para a cara de sério de matheus.
- me desculpe.
matheus:
- muitos se chocam com isso.
erick:
- não fico supresso.
matheus:
- mas isto é um comportamento normal.
Erick:
- o senhor tem filhos.
matheus:
- não.
erick:
- quando você tiver me avisar.
matheus:
estranha isso.
- por que?
erick:
- nada.
dar um sorriso desconfortavel.
- só para eu chamar o juizado de menores.
matheus:
dar risada.
- você é muito engraçado.
erick:
- é!
matheus:
- mais isto é o comportamento normal dos pais.
erick:
- é sim.
matheus:
- viu.
erick:
- NA PRISÃO.
matheus:
- você acha errado.
erick:
olhar supreso.
- MAS É CLARO QUE EU ACHO ERRADO.
Matheus:
- seu pai fazia isso.
Erick:
- CLARO QUE NÃO.
matheus:
- uou.
erick:
dar uma pequena respirada.
- agora podermos começar.
matheus:
- a bebêr claro.
se levantar.
erick:
- eu queria dizer o tal livro.
matheus:
- atá.
fica com a mão na boca por um tempo.
- mas eu posso beber.
Erick:
- faz o que você quiser.
matheus:
- obrigado.
erick:
- eu não presciso fazer a dorga do livro mesmo!
fecha o caderno com raiva.
- vamos se acalme.
foi pegar um bebida.
- tomara que isso me ajude.
matheus:
- você deve bebêr ajuda muito.
erick:
olhar por matheus.
- você devia ficar longe do alcolicos anônimos.
matheus:
- a bebida não faz mal.
erick:
- os alcolicos anônimos só estão lar por diversão.
matheus:
berbe um pouco.
- agora podermos...
erick:
- cair de bebâdos?!
matheus:
fica um tempo calado.
- isto também mais escrever o livro.
erick:
- o que?
matheus:
- vamos escrever o livro.
erick:
- FINALMENTE.
matheus:
- ok.
erick:
- começe.
matheus:
- a bebêr?
erick:
joga o caderno no chão.
- O MALDITO LIVRO.
erick pega o caderno.
- parece que você me contatou para infernizar a minha vida.
anda mais um pouco.
matheus:
- ok.
matheus se senta na cadeira.
erick:
- graças a deus.
matheus:
- vamos.
erick:
se sentar.
- agora comece.
matheus:
- a falar do livro?
erick:
- não a começar a bebêr!
matheus:
berbe um corpo.
erick:
coloca as mãos na cara e dar um grito.
matheus:
- ok.
erick:
- vamos começe.
matheus:
- como você deve ser o livro?
erick:
- o que?
matheus:
- do que você acha que deve ser o livro.
erick:
- o senhor queria que fosse uma biografia.
matheus:
- será que eu devo colocar dragões.
erick:
- na sua vida teve algum dragão de verdade?
matheus:
- não.
erick:
- ENTÃO NÃO PODE.
matheus:
- mas por que não é um auto-biografia.
erick:
- isso quer dizer a historia da sua vida.
matheus:
- erá isso?
erick:
- desde quando?
erick:
passa a mão na testa de raiva.
- desde de SEMPRE.
matheus:
- ok, não é presciso gritar.
erick:
- ou eu grito ou marto alguém.
matheus:
- ok.
erick:
- pode começar.
matheus:
- mas pode ter uma dragão.
erick:
erick bate o pé no chão.
matheus:
- ok, não vai ter.
erick:
- vai
matheus:
- capitulo:1.
erick:
começa a escrever.
matheus:
- eu estava inda para a minha escola eu fiquei trêmulo ante de entrar na sala de aula isto na terceira série, capitulo:2 entrei na sal de aula e...
erick:
- é matheus.
matheus:
- o que foi?
erick:
- os capitulos demarca um evento, não é como parágrafo.
matheus:
- é mesmo.
erick:
- sim.
matheus:
- certo.
erick:
- senhor vou ter que cobrar mais.
matheus:
- por que?
erick:
- por que eu vou pagar muito terápia depois disso.
na primeira casa estava o vinicius e Erick, o erick estava dormindo na cadeira com caderno e larpis na mão e o vinicius estava chegando.
vinicius:
olhar estranhamente para o erick.
- o será que aconte-te-teceu?
sacorde o erick.
- ei acorda-da-da.
erick:
- que foi?
vinicius:
- você estar dormido-do-do.
erick:
- é aquele cara que cara ele é impossível.
vinicius:
- se de-de-dermita.
erick:
- por enquanto não estou me dando no luxo de fazer isto.
vinicius:
- acorde-de.
erick:
- bem, provavelmente quando eu fica famoso vou para ums hospicio.
vinicius:
- se anime-me.
erick:
- provavelmente na cadéia por ter matado alguém.
vinicius:
- este é o espiritu-tu-tu.
erick:
- como foi a sua apresentação do livro.
vinicius:
- foi bo-bo-boa.
erick:
- quantos ficaram no final de tudo.
vinicius:
- uma.
erick:
- você leu de novo todo o livro na apresentação?
vinicius:
- sim.
Erick:
- tá explicado.
vinicius:
- ela ficou até o ultimo-mo-mo capitu-tu-tulo.
erick:
- ela é surda ou o que?!
vinicius:
fica um tempo calado anda um pouco.
- ela su-su-surda.
erick:
- isto explica muita coisa.
vinicius:
- não sei o que ela esta-ta-tar fazendo la-la-lar?
erick:
- ela surda ela pode ler o seus livros já cêga seria difícil por que você não audio-bookes.
vinicius:
- aliás o nome dela é Lia.
Erick:
se levanta e dar um sorriso.
- como vocês sabe?
vinicius:
- eu conve-ve-verçei com ela no fina-na-nal.
erick:
- legal.
vinicius:
- eu pe-pe-peguei o numero do-do-do celular de-de-dela.
erick:
- você falou que ela é surda?
vinicius:
- sim.
erick:
- então por que o celular.
vinicius:
- ela anota-ta-ta os nomes, e se alguém vai visita-ta-tar tem que ligar para ela ai ela atende-de-de.
erick:
- que garota esperta.
vinicius:
- é.
erick:
- quando vou ver ela.
vinicius:
- hoje-je.
erick:
- você convidou ela para hoje.
vinicius:
- e ela é a surda-da.
erick:
dar um tapa em vinicius.
- estar ficando esperto demais.
vinicius:
- ela vai chega-ga-gar.
erick:
- onde vocês vão comer?
vinicius:
- aqui.
erick:
- você já perdiu alguma comida?
vinicius:
- não.
erick:
- não seria bom perdir algo?!
vinicius:
- seria.
fica um tempo parado.
erick:
- ENTÃO LIGA LOGO.
Vinicius:
-ok.
a compainha torca.
vinicius:
- será ela-la-la?
erick:
- não, é um ladrão, mas antes de assaltar ele toca a compainha!
vinicius:
- não, precisar falar assim.
erick:
- vai fazer a ligação.
vinicius:
- ja-ja vou.
erick:
atende a porta.
vinicius:
foi para um telefone.
erick:
abre a porta e estar a Lia parada, ela com saia longa vermelha e camiseta regata preta.
- você é a Lia.
lia:
- SIM.
erick:
- um pouco mais baixo.
Lia:
- EU AS VEZES TENHO PROBLEMA DE ABAIXAR A MINHA VOZ.
erick:
- estou vendo.
Lia:
- POSSO ENTRAR.
erick:
- diminua a voz.
Lia:
- JÁ DIMINUIU?
Erick:
- não.
lia:
ela entra na casa.
- obrigado por me deixar entrar.
erick:
fica confuso.
- mas eu não falei que podia entrar.
vinicius:
vinicius beija a lia na boca, os dois começar a se pegar, e estavam iniciando o sexo.
Erick:
- PESSOAS NA SALA.
vinicius:
ele separar da lia.
- me desculpe-pe-pe.
erick:
- faça isto no quarto.
vinicius:
- qual é problema-ma de fazermos aqui na sala com você de-de-dentro.
erick:
- pergunte isso de novo e te dou um soco.
vinicius:
- como você esta-ta-tar?
erick:
- pulto da vida.
vinicius:
- eu falei com ela idididiota.
erick:
dar uma olhada com raiva.
- você vai ver.
lia:
- eu vou ótima.
vinicius:
- o que você quer para co-co-comer?
lia:
- eu quero uma vida com você.
vinicius:
- eu disse para co-co-comer.
lia:
- o que você quiser meu gato.
beija o Vinicius na boca.
vinicius:
- vo-vo-você po-po-pode fazer o perdido-do-do.
erick:
- como ela vai fazer o perdido?
vinicius:
- de-de-desta vez eu tava fa-falando com você idiota-ta-ta.
erick:
olhar com raiva.
- eu vou matar ele.
vinicius:
beija a Lia.
- você gosta-ta-tar dos meus li-li-livros?
erick:
foi para o telefone.
- não ela foi para a sua palestra pelo doce de pessoa que você é!
vinicius:
- calado-do.
Lia:
- eu amo todos os seus livros.
erick:
- pelo menos alguém ama!
Vinicíus:
- CALADO.
Lia:
- eu sinto que todas elas estão falando sobre min.
vinicius:
- que bom que se sinta-ta-ta assim.
Lia:
- me sinto bem.
vinicius:
- não foi o que disse?
lia:
- eu disse que me sinto bem meu amor.
dar um beijo no vinicius.
erick:
erick fica no telefone.
- alou eu queria uma pizza quatro queijo, sim no nome de erick, ok pode vim entregar.
desliga o telefone.
- eu não gosto da pizza deles por que eu fico ligando para eles.
lia:
- vamos para algum lugar romântico hoje?
vinicius:
- hoje fi-fi-fica aqui por enquanto-to-to.
Lia:
- vamos ficar aqui por enquanto.
erick:
erick estranha.
- que tipo de surda ela é.
vinicius:
- do ti-ti-tipo que não se esculta na-na-nada.
erick:
- eu acho que ela também é do outro tipo de surda.
vinicius:
- como assim?
erick:
dar uma pequena respirada.
- dar do tipo que só esculta o quer.
vinicius:
ele faz uma cara de reprovasão.
- co-co-como assim?
erick:
- eu acho que ela só esculta o que quer?
vinicius:
- não seja ridi-di-diculo.
erick:
- só faltava essa uma surda que só esculta o quer?
Lia:
- oi amor.
vinicius:
- ola.
lia:
- a onde nós vamos depois.
vinicius:
- eu di-di-dise que a gente ficari-ria aqui.
lia:
a aponta por erick.
- e ISTO vai ficar aqui?
erick:
- alem de surda é metida.
levanta as mãos para cima.
- deus que me mande um bomba.
a campainha toca.
- deus você estar atendendo em adormicilios?1
vinicius:
- po-po-pode atender a porta.
lia:
- sim.
erick:
- eu te dou umas cascudos.
lia:
- vai me dar um que?
erick:
- mas eu acabei de dizer.
lia:
- muito obrigada.
vinicius:
- ra-rápido.
erick:
- vocês dois se merecem.
vinicius:
- obrigado-do.
erick:
- não foi um elógio.
erick abre a porta e tá uma lida entregadora de pizza.
- me lembrei.
no local estava só Silvia e erick ERICK estava na cadeira olhando as anotações.
silvia:
olhando para o erick.
- conseguiu trabalhar.
erick:
- graças a deus que sim.
silvia:
- quantos foram hoje?
erick:
- uns 8 capitulos.
silvia:
- O QUE VOCÊ ESTAR FAZERNDO?
erick:
- eu acabei de dizer.
silvia:
- estar por um acaso me chamando de LERDA.
erick:
- não.
silvia:
- você sabe que aconteceu com a ultima pessoa que me chamou de lerda.
erick:
- você o matou?
silvia:
- na verdade correu de min o DESGRAÇADO erá rápido.
erick:
dar uma risada.
- você é muito engraçada.
silvia:
- COMO ASSIM EU SOU ENGRAÇADA.
erick:
- você estar fazendo a cena do "os bons companheiros".
silvia:
- o que?
erick:
- você sabe o filme do martin scorsese.
silvia:
- não sei do que você estar falando PORRA.
Erick:
- sério?!
silvia:
-sim.
erick:
- me desculpe.
silvia:
- nunca vi um PORRA como você me desafiar tanto.
ela agarra e levantar o erick.
- você não medo de morrer.
erick:
- eu sou um cara tão medroso vai que eu tenho medo disso também.
silvia:
- você é engraçadinho né seu PORRA.
erick:
- bem se você diz.
silvia:
- sabe o que eu faço com os homens que me desafiam.
erick:
- você os deixa correndo.
silvia:
- isto.
os dois se beijam na boca.
- gosto do seu tipo.
beija mais uma vez na boca e empurra ele e dar um tapa.
- o que você estar fazendo?
erick:
- pelo visto voltou ser a silvia.
silvia:
- como você poude fazer isto comigo.
erick:
-você quer que eu explique.
silvia:
- sim se possível.
erick:
- poisé este é o problema.
silvia:
- o que?
erick:
- eu também quero algumas explicações.
silvia:
- como ela poude fazer isto?
erick:
-é.
silvia:
- isto foi muuuuuito errado.
erick:
- tá bem que não vamos exagerar.
silvia:
- eu estou namorando a sério com ele.
erick:
- se for contar o tempo que ele estar acordado eu acho que você namorar em meio-periodo.
silvia:
- eu não sou mulher de me oferecer para qualquer um.
erick:
- EI.
silvia:
- você cale a boca.
erick:
- o que você falou?
silvia:
- CALE A SUA BOCA.
Erick:
- só queria ter certeza de que não escultei errado.
silvia:
- o que devemos fazer?
erick:
- você disse que outra não namorar ele.
silvia:
- você vai aceitar isso.
erick:
- bem eu estou numa fase do vinher é lucro.
silvia:
- mas você sabe das minhas condições.
erick:
- eu não disse que eu erá exigente.
silvia:
- eu nunca trairia ele.
erick:
- ele já te traiu?
silvia:
- o que? o desgraçado disse que me traiu eu vou matar ele.
ela procura por alguma coisa.
- eu vou matar ele.
erick:
- não ele não te traiu.
silvia:
- então por que você disse isso?
erick:
- eu estava curioso já que estou escrevendo sobre a vida dele.
silvia:
- ainda bem que você explicou.
erick:
- mas e ele te traiu alguma vez?
silvia:
- não.
erick:
- a senhora tem certeza?
silvia:
- sim.
erick:
- ele disse que não traiu?
silvia:
- e eu confio nele.
erick:
fica olhando para cima querendo dar uma risada.
- bem é...
silvia:
- nenhuma mulher veio procura por ele.
erick:
- bem não prescisar ser mulher.
silvia:
- o que você estar insinuando.
erick:
- é que você sabe que de bebâdo não tem dono.
silvia:
- ele não me traiu de nenhum meio.
erick:
- vou confiar na senhora.
silvia:
- e ai.
erick:
- o que?
silvia:
- por que você estar ai e não estar aqui.
erick:
- por que estou com medo do que possa acontecer.
silvia:
- venha aqui se você é macho.
erick:
chega perto da silvia.
- eu sou cabra macho.
silvia:
- É MESMO.
Erick:
- mais nem tanto.
silvia:
- você é engraçadinho.
erick:
- obrigado.
silvia:
- isto não foi um elorgio.
erick:
- atá.
silvia:
- você tem que ter a noção do perigo.
erick:
- eu acho que muito mais a sensação do ridículo.
silvia:
- você estar muito engraçadinho.
ela apróxima ele com as mão de forma violenta.
- e não gosto de engraçadinhos.
ela beija ele na boca.
- e tenho atração por coisas que eu não gosto.
erick:
- mais isto não faz um menor sentido.
silvia:
beija o erick e depois separar e dar um tapa.
- você é um aproveitador.
erick:
- correção isto não faz sentido.
silvia:
- você estar se aproveintando de min.
erick:
- eu realmente não sei o que eu estou fazendo.
silvia:
- ela deveria parar com isto.
erick:
- estou ficando com uma boxeadora e gosto da versão com raiva dela.
ele andar um pouco.
- tem alguma coisa muito errada comigo.
silvia:
- eu acho que você deveria sair daqui.
erick:
- só para saber quem estar falando é a silvia.
silvia:
- SIM.
erick:
- ok.
ele vai até porta.
- presciso de muita terápia.
andar mais um pouco.
- mas muita mesmo.
silvia:
vai até a porta.
- você deve ficar um pouco mais.
erick:
- você é silvia?
silvia:
- não.
erick:
- por quanto tempo você consegue se manter nessa personalidade?
silvia:
- as vezes por dias.
erick:
- é acho que eu posso ficar um pouco mais.
silvia:
- venha.
ela andar mais um pouco.
erick:
andar atrás dela.
- tem coisa muito errada comigo mesmo.
silvia:
- o que dizia?
erick:
- nada.
silvia:
- VAMOS RESPONDA.
erick:
- eu disse que tem alguma coisa errada comigo.
silvia:
- ainda bem que reconhece.
erick:
- eu gosto de ser tratádo assim só pode.
silvia:
- venha para o quarto.
erick:
- e se ela aparecer e me dar um tapa.
silvia:
- não vai ser só ela que vai te dar tapas.
erick:
dar uma risadinha.
- ouuu.
ele dar uma engulida a seco e ajeita a argola da camisa.
- você é violenta na cama.
silvia:
- pode apostar.
erick:
- qual a palavra de segurança caso você esteja indo longe demais.
silvia:
- essa é fácil.
erick:
- qual?
silivia:
- é só você parar de respirar.
erick:
- me arrependo de ter perguntado isso.
silvia:
- calma que ainda nem começarmos.
erick:
- é isto me deixa cada vez mais.
silvia:
- vamos.
erick:
- você consegue ter relacionamento separados da silvia.
silvia:
- consigo.
erick:
- e você com ninguém certo?
silvia:
- eu termino com a maioria.
erick:
- e o resto.
silvia:
- ele forgem de min.
erick:
- bem, vamos.
silvia:
- vamos baby.
na cena na casa de Erick estava o erick numa cadeira com as mãos na cara, e a Lia e vinicius juntos na outra cadeira.
vinicius:
- então você fez sexo co-co-com a lo-lo-louca?
erick:
- sim.
vinicius:
- o que você tem na cabeça?
erick:
- eu fiz sexo com uma mulher de dupla personalidade e uma delas namorar um cara , eu não tenho nada na cabeça.
vinicius:
- qual erá o mo-mo-motivo da outra personalidade termina os na-na-namoros?
erick:
- irônicamente foi pela pessoa namorar a silvia.
vinicius:
- mas elas não são as me-me-mesmas pessoas.
erick:
- sim.
vinicius:
- puxa.
lia:
- você é realmente problemantico.
erick:
- só eu sou que sou problematico?
lia:
- sim você é problemático.
erick:
- tenho que parar de fazer sarcásmos com ela.
lia:
- como você poude fazer isto?
erick:
- simples me deu vontade.
lia:
- você é mesmo um porco mesmo.
erick:
- você também tem problemas.
lia:
- eu sei que você tem problemas.
erick:
- NÃO FOI ISSO QUE EU DISSE.
vinicius:
- você sabe que não adianta-ta-ta gritar.
erick:
- saudades do tempo que eu erá o unico normal dessa casa.
lia:
- agora só tem eu de normal.
erick:
- você!
lia:
- eu já disse que erá eu.
erick:
- sarcasmo por ainda tento fazer sarcasmo com ela.
erick dar uma respirada.
- você é do tipo que só esculta o que quer.
lia:
- você não faz o meu tipo.
erick:
- você é o pior tipo de surda EVER.
lia:
- obrigado por dizer que eu sou o melhor tipo de surda.
ela beija o vinicius na boca.
- e estou com ele o melhor escrito do mundo.
erick:
- você sabia que ele não é o unico escritor aqui?
lia:
- quem mais?
erick:
- EU.
Vinicius:
- não prescisar gritar.
erick:
- eu sei que ela surda.
vinicius:
- então por que?
erick:
- seilar.
vinicius:
dar uma risadinha.
- você merece ela.
erick:
- nem comece.
vinicius:
- ela é boa de cama?
erick:
- sim.
o matheus entra pela porta.
matheus:
- onde estar o escritor?
lia:
- estar aqui.
ela apontou por vinicius.
matheus:
vai dar um tapa na cara de vinicius.
- isto é por dormir com a minha mulher.
vinicius:
- ma-ma-ma...
erick:
- como você pode dormir com a nomara dele?!
vinicius:
- de-de...
erick:
- e eu pensava que te conhecia.
lia:
- por que você estar batendo nele.
matheus:
- por que dormiu com a minha namorada.
lia:
- isto é verdade.
vinicius:
- NÃO.
erick:
- não prescisar gritar você sabe que ela é surda!
vinicius:
- de-de-de...
matheus:
- então quem foi que dormiu com a minha mulher.
vinicius:
apontou para o erick:
-ELE.
matheus:
- como você teve coragem de domir com a minha mulher.
erick:
- eu acho que nisso seria como eu seria louco o suficiente.
matheus:
- me responda.
erick:
- eu dormi com a outra personaliadade dela.
matheus:
- seu mentiroso.
erick:
- eu acho que é a primeira vez que alguém diz este tipo de mentira.
matheus:
- então não foi com a silvia que você dormiu.
erick:
- lhe garanto.
matheus:
- graças a deus.
erick:
- estamos de boa.
matheus:
- se ela tiver filhos.
erick:
- você faz com a silvia.
matheus:
- mas é claro.
erick:
- o primeiro que nascer é seu.
matheus:
- ok estar combinado.
erick:
- vai ser fácil indenficar qual é o seu filho.
matheus:
- por que?
erick:
- vai ser aquele que nascer com uma garrafa de cerveja.
matheu:
- é este tem cara de ser meu filho.
erick:
- eu sei.
silvia:
ela entrar na casa.
- não der porrada nele.
matheus:
- não se preocupe a gente resolveu a situação, e eu não dei porrada nele.
silvia:
- na verdade eu estava mais preocupada com o erik te dar a porrada.
matheus:
- O QUE?
silvia:
- mas ainda bem que você resolveu.
lia:
- então você é a maluca.
silvia:
- o que?
lia:
- a maluca que dormiu com ele.
silvia:
- sim.
lia:
- e como foi?
silvia:
dar um sorriso e coxicha no ouvido dela.
lia:
- o que?
silvia:
ela coxicha de novo.
lia:
- o que?
silvia:
- qual é o seu problema.
erick:
chega perto da silvia e dar uma cutucada no ombro.
silvia:
- o que foi?
erick:
- ela é surda.
silvia:
- estou vendo eu falando para ela e ela não entendendo nada.
erick:
- não eu quero dizer que ela realmente é surda.
silvia:
- ah.
lia:
- como foi?
silvia:
- e como eu falo com ela?
erick:
- ela consegue ler larbios.
silvia.
- ah.
ela se apróxima da lia.
- te conto mais tarde.
lia:
- tava tarde?
silvia:
- te conto MAIS TARDE.
lia:
- ok.
matheus:
- bem tudo se resolveu.
silvia:
- o que vocês resolveram?
erick:
- ele namorar a silvia e eu namoro a outra.
silvia:
- VOCÊ ESTAR SAINDO COM OUTRA.
erick:
- não.
silvia:
- ainda bem.
vinicius:
- vocês aceitam isto nu-nu-numa boa.
matheus:
- sim.
vinicius:
- até na-na-na divisão de fi-fi-filhos?
silvia:
- que divisão é esta?
matheus:
- o primeiro filho seria meu e o outro seria dele.
silvia:
- e quantos filhos vocês querem?
matheus:
- dois para cada eu acho que seria bom.
silvia:
- e vocês acham que eu sou uma maquina de fazer berbês.
erick:
- ninguém estar dizendo isso.
matheus:
- qual o problema de 8 filhos.
erick:
- é o metheus.
matheus:
- o que foi?
erick:
- você fez a conta errada.
matheus:
- certo.
deu uma pequena respirada.
- qual o problema de 16.
erick:
-É 4.
matheus:
- 4 para cada você acha que ela é o que?
erick:
- estou dizendo que dois para cada o resultado é quatro filhos.
matheus:
- á por que você não disse isto antes.
erick:
- por que você não entendia.
matheus:
- você aceita.
erick:
- é me contento com os dois.
matheus:
- eu estou falando com ela.
erick:
- ah certo.
silvia:
- vamos ver se isto vai dar certo.
na cena estão o erick e matheus na casa de matheus.
erick:
fecha o caderno.
- finalmente depois de dois anos e 5 meses finalmente termino.
matheus:
- eu gostei, você quer repetir isto.
erick:
- NUNCA.
matheus:
- me supriendo nós dois namorar a mesma mulher com duas personalidades e tudo estar indo muito bem.
erick:
- lembrar-se que o primeiro filho é o seu.
a lia e vinicius e silvia entram.
silvia:
- oi para os dois.
silvia beija na boca o erick e matheus.
erick:
- finalmente terminei.
silvia:
- que ortimo.
erick:
- como vai o casal?
vinicius:
- esta-ta-tamos indo be-be-bem, ei você quer um di-di-dia fazer a bi-bi-biografia da minha vida-da-da.
erick:
- nunca.
vinicius:
- de-de-deixa eu ve-ve-ver.
erick:
- claro.
entregar o caderno para o vinicius e se levantar.
vinicius:
senta na cadeira.
- vo-vo-vocês querem que eu le-le-leia.
erick, Lia, matheus, silvia:
- NÃO.

terça-feira, abril 12, 2011

star monster ep:22

trident e guertark vão direção ao outro
guertark tentar atingir o tridents com as garras
tridents com os braços defende os golpes
tridents se afasta um pouco com um chute
guertark segura o golpe com as mãos
tridents tentar atingir guertark com muitos socos
guertak esquiva dos golpes e desaparece
tridents:
- onde estar você.
guertark:
- chamou!
guertark dar um golpe no tridents
tridents energiza os braços
guertark:
- maldito.

star monster ep:21

(cena)
zebrat, sombrati e guertak estavam em uma praça.
zebrat:
- tomara que a gente tenha lutado o suficiente.
sombrati:
- será que o andré estar bem em jupter.
guertark:
- será que ele sobreviveu?
zebrat:
- ainda não acredito que ele foi para jupter.
sombrati:
- eu sei.
zebrate:
- será que ele não sabe que a gravidade é forte.
guertark:
- tomara que esteje bem.

star monster ep:20

(cena)
o traidents vai até o darks e dar socos mas ele esquiva de todos.
traidents:
- vou acabar com você.
espinhete:
- droga.
(cena)
espinhete ver o tridents indo para a terra.
espinhete:
- será que eu vou atrás dele ou não.
(cena)
darks dar um chute no traidents.
Darks:
- você...
(cena)
darks dar 3 socos no traidents.

star monster ep:19

(cena)
traidents estava voando por nossa galáxia.
Traidents:
- onde ele estar?
(cena)
ele para em frente a jupter
traidents:
- aqui.
(cena)
o dark aparece voando.
traindets:
- quem é você?
darks:
- meu nome é darks.
traidents:
- você é deste planeta.

star monster ep:18

(cena)
os dois começam a dar socos e chutes.
tridents(pensamento)
- não posso deixar ele vencer.

star monster ep:17

(cena)
a energia estava se reunindo em volta de dask.
tridents:
- vamos mostre.
(cena)
dask ficou todo iluminado.
tridents:
- mostre todo o seu poder.
(cena)
Dask faz uma ventania.
tridents:
- isto não assusta ninguém.
(cena)
a fumaça desaparece e mostra o dask com cauda, e três chifres na cabeça.
tridents:
- isso?!

star monster ep:16

(cena)
6 meses depois dask e o tridents ainda estavam voando.
dask:
- estou me divertindo.
tridents:
- maldito.
dask:
- vamos descer neste planeta.
(cena)
eles vão no planeta jupiter
Tridents:
- não é aqui que eles estão.
dask:
- eu sei.
tridents:
- então por que?

star monster ep:15

(cena)
traidents ver o tridents saindo
traidents:
- o que?
(cena)
ele ver o palacio destruido.
Traidents:
- desgraçado não vou perdoar essa traição.
(cena)
o raio de gelo atingiu o traidents.
Traindents:
- o que?
(cena)
traidents é congelado.
traidents:
- quem ousar.

segunda-feira, abril 11, 2011

star monster ep:14

(cena)
o disk esta parado no ar com fumaça em volta.
Disk:
- isto tem que ser o suficiente.
(cena)
a fumaça desaparece e está o tridents deitado no chão.
Disk:
- conseguir.
(cena)
o disk derce.
Disk:
- não posso acreditar.
(cena)
ele chega perto do Tridents.
Disk:
- se ele é do mesmo nível de dask isso quer dizer.

star monster ep:13

(cena)
as linhas na testa dele brilham intensamente.
tridents:
- estou vendo que você vai lutar com tudo.
(cena)
o local estava tremendo.
tridents:
- que tipo de poder é esse.
(cena)
o tridents é jogado á uma parede.
Tridents:
- não tem como...
(cena)
uma pedra veio em direção ao tridents.
Tridents?
- droga.

star monster ep:12

(cena)
no momento inicial antes da luta de gelark e desk, triden e disk estavam se prepaeando-se para a briga.
Disk:
- estou lhe avisando saia daqui.
tridents:
- eu pretendo acabar com o meu irmão.
disk:
- você percebe que isto é loucura.
Tridents:
- ele tem que pagar.
disk:
- eu só estou dando chances a você.
Tridents:
- não presciso disso.

star monster ep:11

desk:
- você vai aprender uma coisa.
gelark:
- como te derrotar.
(cena)
desk poem as mão na frente.
gelark:
- saquei.
(cena)
gelark reune as mão para frente.
Gelark:
- o ultimo golpe.
(cena)
os dois começaram a juntar os poderes.
desk:
- o ultimo golpe.

star monster ep:10

(cena)
gelark chega perto do desk e dar dois socos e um poder, jogando o desk contra a parede gelark chega perto de novo os dois começam a dara uma sequencia de socos e chutes, desk atira um poder para baixo empurrando o Desk para cima e em cima ele dispara milhares de poderes, gelark faz uma barrreira de gelo e depois da explosão gelark vai no ar e os dois começam a dar socos um no outro, quando chegaram no chão os dois dispararam poderes ao mesmo tempo e ocorre uma grande explosão afastando os dois, gelark afastado solta mais dois poderes, desk lança os poderes nele e se defendo dos golpes e desk disparou mais poderes, gelark conseguiu esquivar.
Desk:
- que desgraçado difícil.

star monster ep:09

(cena)
3 meses se passaram no planeta de tridents, Tridents sai de um ginásio, e encontrar o gelark.
Gelark:
- o senhor ainda estar pensando naquilo.
Tridents:
- desde que o desgraçado destruiu o meu planeta.
Gelark:
- depois de você fazer isso.
Tridents:
- eu vou para o tal planeta.
gelark:
- recebermos informações que aquele planeta se chama terra.
Tridents:
- o que mas sabe?
gelark:
- só que eles preferem se chamar de humanos.
tridents:
- eles tem algum aliado em outros planetas?
gelark:
- recebermos informações que sim.
tridents:
- sabe qual?
gelark:
- eles mantem essa informações em segredos entre eles.
tridents:
- como conseguiu essas informações.
Gelark:
- por que os nossos satelites invadiu algumas informações deles.
Tridents:
- alguns registros de poderes.
gelark:
- as armas deles só são de tecnologia.
Tridents:
- bom saber.
Gelark:
- só queria lembrar você de uma coisa.
Tridents:
- de que?
Gelark:
- se tentar matar o seu irmão você não vai conseguir o apoio de nenhum lugar.
Tridents:
- estou ciente disso.
Gelark:
- e ainda prefere continuar?
Tridents:
- sim.
Gelark:
- sinceramente senhor isso é suicidio.
Tridents:
- eles tem que pagar.
gelark:
- então escolha quem não é o seu aliado.
Tridents:
- todos.
Gelark:
- assim você vai morrer rápido.
Tridents:
- ao menos quero tentar algo.
Gelark:
- ok, senhor.

star monster ep:08

(cena)
o trident anda pelo palácio
Gelark:
- você vai realmente obedecer o seu irmão,
Tridents:
- pelo contrário.
Gelark:
- o que foi isso senhor?
Tridents:
- as criaturas ou Stars vão fica sobre a minha propriedade.
Gelark:
- por que você falou com o seu irmão.
Tridents:
- por que eu vou treinar por 3 meses.
Gelark:
- sim, e?
Tridents:
- eu quero que ele pense que eu estou treinando para enfrentar as pessoas desse planeta.
Gelark:
- o que pretende fazer?
Tridents:
- matar o meu irmão.
Gelark:
- você ficou louco.
Tridents:
- ele tem que ser punido por destruir o meu planeta.
Gelark:
- não me parece uma boa idéia.
Tridents:
- pelo menos o povo da terra não sabe que a gente vai voltar.
Gelark:
- não diria isso.
Tridents:
- o que você disse?
Gelark:
- eu ameaçei destrui o planeta deles na nossa volta.
Tridents:
- entendi.
(cena)
tridents dar uma joelhada no Gelark.
Tridents:
- idiota.
Gelark:
- o que foi?
Tridents:
- o que foi? O QUE FOI?
Gelark:
- eu não entendo senhor.
Tridents:
- você deixou uma brexa para eles ficarem mas fortes.
Gelark:
- me desculpe mestre.
Tridents:
- reze para eu vencer traidents fácil.
Gelark:
- sim, mestre.
Tridents:
- e quem morar naquele planeta não fique mais forte.
Gelark:
- sim mestre.

star monster ep:07

(cena)
6 meses depois André, Rodrigo, charles e alan estavam em um campo aberto.
andré:
- vamos começar.
(cena)
todos eles pegaram as Stars
André:
- espinhete.
Charles:
- sombrati.
Alan:
- Zebrat.
Rodrigo.
-guertark.
(cena)
todos eles se transformaram nas criaturas.
Guertark?
- estou adorando este emprego.
espinhete:
- por que?
Guertark:
- por que estou conseguindo pegar garotas todos os dias.
espinhete:
- eu nem acredito o quão forte ficarmos.
guertark:
- me sinto como se puder-se vencer todo mundo.
zebrat:
- estão prontos para treinar.
espinhete:
- vamos.
(cena)
o Gelark aparece no mundo.
espinhete:
- oi.
Gelark:
- o que foi?
espinhete:
- você não se importa se nos ajudar no treino.
Gelark:
- por que vocês não voltam a obedecer o povo de Tridetika.
espinhete:
- povo de que?
Gelark:
- volte para o seu mestre.
Espinhete:
- o que?
gelark:
- volte para o seu criador Tridents.
espinhete:
- você está maluco.
Guertark:
- nós só queremos um treino.
Gelark:
- PAREM COM ISSO E VOLTEM.
Zebrat:
- ok, maluco.
espinhete:
- quem é você?
Gelark:
- meu nome é Gelark.

star monster ep:06

(cena)
espinhete, e larkos ficavam dando socos um no outro
espinhete(pensamento)
- já sei.
(cena)
enroulou a cauda na cabeça de larkos e deu vários golpes na barriga
Larkos(pensamento)
- ele acha que eu sou burro.
(cena)
Larkos pega a cauda e dar um choque nela e tira a cauda da cara
espinhete(pensamento)
- minha calda.
(cena)
espinhete dar vários cabeçadas na cabeça dele
Larkos(pensamento)
- tenho que tirar daqui.
(cena)
Larkos ficacava dando joelhadas em espinhete
espinhete(pensamento)
- droga de joelhadas.
(cena)
espinhete dava vários socos e defendia os chutes.
Larkos(pensamento)
- ele sabe lutar.
(cena)
os dois ficaram numa sequência de socos e chutes.
espinhete(pensamento)
- o que ele estar fazendo este cara pode fazer melhor.
(cena)
espinhete pula e dar um chute afastando pouco dele.
larkos(pensamento)
- por essa eu não esperava muito.
(cena)
os dois começam a dar de novo uma sequência de socos e chutes.
espinhete(pensamento)
- o que tem de especial?
(cena)
espinhete deu dois socos e lançou o espinho e explodiu, e ficou em formato de bola e se afastou.
Larkos(pensamento)
- droga.
(cena)
Larkos lançar uma bola de energia azul.
espinhete(pensamento)
- vamos só isso.
(cena)
na forma de bola escapa dos golpes.
Larkos:
- me desculpe.
(cena)
o espinhete fica em pé.
espinhete:
- pelo que?
Larkos:
- por que eu só estava brincando.
espinhete:
- o que você disse?
Larkos:
- não estou levando a sério esta luta.
espinhete:
- então comece.

sexta-feira, abril 08, 2011

a floresta

Ext. floresta da Amazônia – dia
Um homem com camisa sem manga, calça curto sujo pela floresta estava correndo.
ele parar por um momento e olhar para trás, o medo se demonstrar claro nos olhos dele.
O homem olhar para o caminho de marto na frente.
Para um momento para descançar.
Pessoa:
- juro que não vou fazer mal.
Ainda olhando para os lados.
Pessoa:
- juro que não vou fazer nenhum mal.
O homem olhar para os lados e se desesperar.
Pessoa:
- eu disse que não faria nenhum mal.
O homem corre desesperado.
Enquanto estava correndo as lágrimas estavas escorrendo dos olhos.
Pessoa:
- não estou mentindo.
Ele olhar para trás de novo.
Se destrai e bate numa arvore.
Ele se levantar.
Pessoa:
- droga.
O homem levantar com as pernas tremento.
Ele se encostar em uma arvore.
Ele vira e beija a arvore.
Pessoa:
- você me ouviu.
Ele beijou a arvore de novo.
Ficou com um sorriso de desesperado e olhando para todos cantos.
Pessoa:
- você não estar vendo.
O homem estava chorando e beijando a arvore.
Pessoa:
- você não ver, não vou fazer mal.
Os olhos de homem vêm uma coisa aterrorizante.
O homem continua correndo.
Pessoa:
- me deixe em paz.
Ele ver um cabana abandonada.
Pessoa:
- ME AJUDEM.
A pessoa corre para a cabana.
Ele abre a porta .
Quando ele abre a porta imediatamente cai no chão.
Pessoa:
- não.
Ele ficava repetindo o “não” e ficava chorando.
Pessoa:
- não, por favor não.
A pessoa é sugada e desaparece.
Numa mesa de escritório um homem de terno com o cartaz atrás madeireira seu Jaime, ele estava no telefone, ele é o Jaime.
Jaime:
- O QUE TODOS.
Ele bate o telefone com muita raiva.
Jaime:
- como eles fizeram isso comigo.
Ele se levantou ficava falando baixo ainda com tom de raiva.
Jaime:
- como eles fizeram isso.
O urano chega na porta ele estar com camisa social preta e calça marrom.
Urano:
- você me chamou.
Jaime:
- sim.
O Urano fechar a porta.
Jaime:
- vamos entre.
Os dois sentaram nas cadeiras do escritório.
Jaime:
- você sabe o que aconteceu?
Urano:
- não senhor.
Jaime:
- eu não tenho sinal meus trabalhadores na Amazônia.
Urano:
- o que algum hippie atrapalhou as mardereiras.
Jaime:
- eu não recibo nenhum tipo de noticia.
Urano:
- isso quer dizer.
Jaime:
- nenhuma madeira veio da Amazônia.
Urano:
- que estranho.
Jaime bate na mesa.
Jaime:
- eu sei.
Urano:
- deve ter havido algum de mensagem.
Jaime:
- na verdade.
Jaime pega uma folha na gaveta e coloca na mesa.
Jaime:
- aqui diz.
Ele pega a folha nas mãos.
Jaime:
- a floresta estar atacando ajudem a gente.
Urano:
- isso não pode estar certo.
Jaime:
- veja por você mesmo.
Urano pega a folha.
O Jaime se reencosta na cadeira.
Urano:
- não acredito.
Jaime:
- nem eu.
Urano:
- você ainda não descobriu nada.
Jaime:
- por isso eu queria que você me ajudar-se.
Urano coloca a folha na mesa.
Urano:
- você acha que são os animais.
Jaime:
- nós termos armas para nos defender.
Urano:
- não pode ser um ataque de animais.
Jaime:
- não poderia concorda mais.
Urano:
- vou dar investigada.
Jaime:
- você vai levar uma equipe.
Urano:
- ok.
Jaime:
- é urano posso pergunta uma coisa por pura curiosidade.
Jaime se ajeitar na cadeira de novo.
Urano:
- claro.
Jaime:
- é que reparei que todas as vezes que você vai investigar algo você traz o machado com uma inscrição estranha escrita.
Urano:
- “ekdíki̱si̱” significa vingança em grego.
Jaime:
- você pretende matar alguém.
Urano:
- não.
Jaime:
- á,tah.
Urano:
- só ferir mortalmente.
Jaime:
- outra curiosidade se me permite.
Urano:
- fale.
Jaime:
- eu sei que você é da Grécia por que veio para o Brasil.
Urano:
- a pessoa que procuro estar aqui.
Jaime:
- espero que encontre.
Urano:
- bem quando vamos.
Jaime:
- pode ser o mais cedo possível.
Urano:
- e devo tomar cuidado com os animais!
Jaime:
- cuidados com os animais.
O Jaime dar rizada.
Urano:
- “o ser humano é a arma mais letal da natureza usado-os da forma certa vira uma força de defesa imbatível”.
Jaime:
- o que?
Urano:
- nada, já vou.
O urano sai da sala.
Uma mulher chegar perto do Urano
Urano olha para ela.
Urano:
- ola Jaqueline.
Jaqueline estava com um sorriso
Jaqueline:
- por que ele te chamou você se vai ser demitido.
Urano fica com meio sorriso na boca.
Ele encosta o braço nela se aproxima.
Urano:
- não.
Jaqueline:
- o que o Jaime queria com você?
O Urano se afastar.
Urano:
- ele vai ter dar uma promoção.
Jaqueline fica alegre e saltitante
Jaqueline:
- sério.
Urano:
- não.
Jaqueline bate no Urano
O Urano da risada
Urano:
- não acredito que caiu nessa.
Jaqueline:
- mas o que ele queria.
Urano:
- nós vamos fazer uma viagem.
Jaqueline:
- para onde?
Urano:
- frança.
Jaqueline:
- sério.
Ext. jipes em movimento – dia.
O Urano estava morrendo de rir no carro.
Jaqueline bateu no Urano no braço.
O urano passa a mão no local onde ela bateu.
Urano:
- não acredito que você caiu feio.
Jaqueline:
- você pode me dizer o real motivo de virmos aqui?
Urano:
- trabalhadores estão desaparecendo.
Jaqueline:
- estão pedindo emprego em outro local?
Urano:
- eu soube pelas famílias que os trabalhadores não estão voltando.
Jaqueline:
- sério?
Urano:
- sério.
A Jaqueline fica com a cara de assustada.
Jaqueline:
- você acha que alguém estar matando eles.
Urano:
- eu não sei.
Jaqueline:
- por quê?
Urano:
- olhe isso.
Jaqueline olhar a folhar.
Jaqueline:
- isto estar certo.
Urano:
- sim.
Jaqueline:
- como assim a floresta estar matando eles.
Urano:
- isto é que vamos descobrir.
Ext- local com várias cabanas – dia.
Urano sai do jipe ainda com outras pessoas.
Urano chega perto de uma cabana
Urano:
- ola.
O Urano bate na porta.
Urano:
- tem alguém ai.
Ele abre a porta da cabana.
Entra nela e ver que não tem ninguém ali.
Urano:
- TEM ALGUÉM VIVO.
Uma pessoa chega com chapéu e umas roupas de explorador é homem.
Urano olha para pessoa.
Urano:
- ola Rick.
Rick:
- Ola Urano.
Urano:
- o que estar achando disso.
Rick:
- que alguém fez merdas das grandes.
Urano:
- estou feliz que você veio me ajudar a investigar.
Rick:
- você não consegue nada sozinho.
Urano dar risada
Urano:
- eles acharam alguém?
Rick:
- meu homens estão investigando o local.
Urano:
- certo.
Rick deu uma respirada e ficou olhando os cantos
Urano foi até uma cama
Ele sentou nela
Urano:
- o que aconteceu?
Rick:
- talvez seja um alienígena?
Urano:
- alienígena?!
Rick:
- como no filme “ o predador”.
Urano:
- não acho que seja isso.
Rick:
- se lembra quando o primeiro cara foi morto pelo predador ela achava que foi a floresta que atacou quem sabe isso pode estar acontecendo.
Urano:
- não sei.
Rick:
- o que você acha que foi.
Urano:
- neste momento não acho nada.
Rick:
- você acha que foram os animais.
Urano:
- como para protestar como no filme “dr dolittle 2”
Rick:
- vai que foi assim.
Urano:
- pelo amor de deus nós termos armas.
Rick:
- tem razão.
Urano:
- nós causaríamos um massacre a eles.
Rick:
- concordo.
Urano:
- eu não entendo estes filmes os animais se reúnem para atacar as pessoas.
Rick:
- como se eles ti ver sem inteligência para tal coisa.
Urano:
- aqueles animais mal sabem direito que estão vivos.
Rick:
- mas eu penso numa outra hipótese.
Urano:
- falhe sabe o filme “fim dos tempos”.
Rick:
- sim.
Rick:
- bem eram as plantas que estavam causando mal as pessoas.
Urano:
- pode existir essa possibilidade.
Rick:
- já que eles disseram que foi a floresta que atacou eles.
Urano:
- só podermos por enquanto supor tudo.
Urano baixa a cabeça de cansaço
Urano:
- o que?
Urano olha por de baixo da cama e leva um susto
O urano cai no chão
Rick:
- o que foi?
Urano:
- uma cabeça humana.
Rick:
- não pode ser.
Rick vai até a cama
Olha por debaixo dela
Ele levar o susto
Rick:
- ou droga.
O Rick sai da cabana
Ele vomita no mato
Jaqueline ver isso
Ela entrar na cabana
Jaqueline:
- por que o Rick estar vomitando lar fora.
Urano:
- olhe por debaixo da cama e descobrirá.
Jaqueline olha estranho para cama
Ela se aproxima devagar na cama
Ela ficava olhando para os lados da cama
A Jaqueline se abaixa
Jaqueline levar o susto
Ela caiu no chão
Ela se levantou rápido
Ela colocou as duas mãos na boca
Depois passou as mãos na cabeça
Ficou respirando devagar.
Jaqueline:
- não pode ser.
Urano vai até ela
Urano:
- estar tudo bem?
Jaqueline bate no Urano
Urano:
- o que foi?
Jaqueline:
- por que você não me falou que tinha uma cabeça humana debaixo da cama.
Urano:
- seilá.
Jaqueline bate no Urano de novo
Jaqueline:
- um pequeno aviso teria sido legal.
Urano:
- vou me lembrar na próxima.
Rick chega perto deles.
Rick:
- só pode ser um assassino.
Jaqueline:
- não pode ser.
Rick:
- por que não?
Jaqueline:
- estar no relatoria que alguém falou que “a floresta” os atacou.
Rick:
- já ouviu falar na historia de Ulisses?
Urano:
- eu ouvir falar.
Rick:
- na historia o Ulisses se apresenta como “ninguém” e quando os outros ciclopes perguntaram quem foi que atacou o ciclope ficava gritando “ninguém, ninguém”, pode ser algo parecido.
Urano:
- você acha que quem estar atacando é uma pessoa chamada “floresta” .
Rick:
- estamos lidando com essa possibilidade.
Urano:
- olhe.
Urano ficou apontando por acampamento inteiro
Urano:
- ninguém é tão bom.
Jaqueline:
- você acha que alguém é um grupo.
Rick:
- um grupo chamado “floresta”?
Urano:
- eu não considero muita essa hipótese.
Rick:
- você tem que considerar algo.
Urano:
- você achar que eu não sei disso.
Rick:
- bem uma coisa é certa estão matando as pessoas aqui.
Urano:
- sério?!
Rick:
- temos que fazer alguma coisa.
Urano pega o celular
Rick:
- vai ligar para a policia?
Urano disca o celular e colocar no ouvido
Jaqueline:
- para quem ele estar ligando.
Urano:
- ola, Jaime.
Voz de Jaime no telefone:
- ola urano.
Urano:
- tem alguém matando os trabalhadores aqui.
Voz de Jaime no telefone:
- tente resolver isso o mais rápido possível.
Urano:
- por enquanto não mande mais trabalhadores para aqui.
Voz de Jaime no telefone:
- não se preocupe.
Urano:
- até.
O Urano desliga o telefone.
Jaqueline:
- você vai ligar para a policia.
Urano:
- não.
Jaqueline:
- por que não?
Urano:
- por que eu vou matar quem estar fazendo tudo isso.
Rick:
- você trouxe o machado?
Urano:
- não vai ser com o machado que vou matar a pessoa.
Rick:
- então como?
Urano:
- seila na hora eu me viro.
Rick:
- ok.
Jaqueline e Rick se afastam de Urano
Rick:
- que maluco.
Jaqueline:
- não poderia concorda mais.
Jaqueline pegar um celular.
Ficou olhando se tinha sinal
Jaqueline:
- você me espera.
Rick:
- nós vamos ficar aqui mesmo.
Jaqueline:
- ok.
Jaqueline vai para perto da floresta e fica discando
Jaqueline:
- onde eu fui me meter?
Jaqueline ver uma escopeta apontada na cara dela
Ela colocou o celular no bolso
Depois levantou a mão.
Jaqueline:
- por favor.
Jaqueline estava chorando.
Jaqueline:
- por favor não atire em min, sou linda e jovem demais para morrer.
Ela olhar para trás.
Jaqueline:
- marte eles no lugar.
A pessoa sai da floresta ainda com a arma apontada, essa pessoa estava sujo pela floresta.
Jaqueline:
- que lindo.
A pessoa se aproximava cada vez mais
Jaqueline:
- quem é você?
Pessoa:
- meu nome é Ramos.
Jaqueline:
- ola.
Ramos:
- você estar querendo salvar a floresta?
Jaqueline:
- para min. pode queimar essa floresta inteira.
Ramos abaixa a arma
Jaqueline abaixa a mão e respira aliviada.
Ramos:
- o que você veio fazer aqui?
Jaqueline:
- descobrir o que aconteceu com os trabalhadores daqui.
Ramos:
- eu sou um dos trabalhadores.
Jaqueline fica supressa.
Ela se aproxima e segura na mão dele
Jaqueline:
- você poderia esperar aqui só mais um pouco?
Ramos:
- posso.
Jaqueline:
- muito obrigada.
A Jaqueline corre para o Rick.
Jaqueline:
- encontramos um sobrevivente.
Rick:
- estar falando sério?
Jaqueline:
- sim vamos.
Todos eles estavam numa cabana sentados em cadeiras.
Urano:
- você pode nos contar o que aconteceu.
Ramos:
- eu queria muito poder explicar, mas não posso.
Urano:
- você tem que saber de algo.
Ramos:
- sabe aqueles filmes de zumbis.
Rick:
- todos eles agiam do mesmo jeito.
Jaqueline:
- ficavam procurando por miolos!
Ramos:
- eles ficavam dizendo umas coisas.
Urano:
- sabe o que eles diziam?
Ramos:
- diziam”a floresta nos mandou termos que salvar a floresta”.
Urano:
- por que disseram que foi a floresta que atacou?
Ramos:
- como eles agiam feito zumbis e só falavam da floresta nós acharmos que foi a floresta.
Jaqueline:
- por causa do desmatamento?
Ramos:
- não por que plantávamos arvore!
Todos olham para a Jaqueline
Jaqueline:
- ok não estar mais aqui quem falou.
Urano:
- o que você achar que podermos fazer?
Ramos:
- para falar a verdade eu não faço a menor idéia do que devermos fazer.
Urano faz uma cara de surpreso
Urano:
- mas como você sobreviveu todo este tempo?
Ramos:
- eu realmente não faço a menor idéia.
Rick se levantar
Rick:
- droga.
Urano:
- o que foi?
Rick:
- nosso chefe mandou Diego e Luciana.
Urano:
- droga.
Ramos:
- o que foi?
Urano:
- o Diego é um viciado em lutas ele gosta e muito de uma batalha como no Brasil não tem muita guerra ele falsificou documentos e foi para os estados unidos lutar nas guerras de lá, descobriram e colocaram ele aqui.
Urano:
- e a tal Lucina?
Urano:
- ela simplesmente gosta de explodir com tudo, ele só tem um revolver o resto é granadas, ela não gostar de sair do local sabendo que a pessoa que ela queria matar sair-se viva por isso ela gosta de uma explosão.
Rick:
- eles vão destruir a floresta da Amazônia inteiro.
Diego chega onde eles estão ele tem a roupa do exército e uma cicatriz na cara
Diego bate no ombro do Rick
Diego:
- faz tempo que eu não vejo vocês.
Rick bate no ombro do Diego
Rick:
- e por um bom motivo.
Diego dar uma pancada mais forte no Rick
Diego:
- eu gosto deste cara.
Diego se afastar
Rick vai dar um soco no Diego
Urano detêm o Rick
Urano:
- calma.
Rick:
- eu vou matar ele.
Urano e Rick dão um pulo como se alguém pegou na bunda dos dois.
Aparece a Luciana ela tinha uma chapéu do exercito, shorts jeans curto, e faixas com grana
Urano e Rick olham para ela
Luciana:
- olhem mais não toquem.
Ela abraçar os dois.
Luciana:
- eu sentir saudades de vocês dois.
Urano:
- queria poder dizer o mesmo.
Ela se afastar dos dois
E dar um pulinho
Luciana:
- estou muito feliz.
Urano:
- estamos vendo.
Luciana toca no pau de Urano na aparte de fora da calças
O Urano fica surpreso
Luciana:
- mas não vai ficar feliz demais.
Luciana dar uma piscardinha por Urano
Ela se afasta do urano
Urano fica com um sorriso sarcástico no rosto.
Urano:
- tomara que gente a resolva isto.
Rick:
- não poderia concorda mais.
Diego:
- e ai quem nós devermos matar?
Ramos:
- “a floresta”.
Diego:
- “a floresta” sério?
Rick:
- é.
Diego:
- onde eu encontro esta tal “floresta”.
Rick e Urano cobrem a cara de vergonha.
Rick:
- que burro.
Urano:
- é alguma coisa na floresta que faz acontecer o evento?
Diego:
- mas o acontece direito?
Ramos:
- todos eles ficam como se fossem zumbis.
Diego:
- legal.
Aparece dois madeireiros na porta, eles estavam com facões.
Todos se assustam.
Ramos:
- o cuidados.
Eles viram que os olhos deles tinha sangue.
Diego:
- cara o que aconteceu.
Madeireiro#1:
- saiam da floresta.
Madeireiro#2
- ela não quer mais vocês.
Madeireiro#1:
- saiam ou morram.
Diego:
- o que eu não escutei.
Diego atira na cabeça do madeireiro#1
O tiro é certeiro o madeireiro#1 caiu no chão
O madeireiro#2 avançou com o facão
Diego atira na cabeça do madeireiro#2
O tiro é certeiro e caiu no chão.
Rick olha de perto eles.
Rick:
- o que foi que aconteceu.
O Ramos se aproxima do Rick
Ramos:
- é a floresta.
Aparece mais 5 madeireiros na porta
Rick:
- droga.
Rick e ramos fecharam a porta
A porta ficava recebendo facadas
Rick:
- isto só pode ser algum tipo de doença.
Ramos:
- que doença a pessoa têm que de repente quer defender a floresta.
Luciana chega perto da porta
Luciana:
- saia de perto da porta.
Rick:
- você não vai fazer isso.
Luciana retira um pino da granada.
Rick:
- ou droga.
Rick e Ramos sai rapidamente de perto da porta
Lucina abre a porta.
Luciana:
- estar aqui um presente para a mãe natureza.
Ela joga a granada para eles
A Luciana fechar a porta
Depois se joga no chão e tapando os ouvidos.
Ocorre uma explosão,
Todos estavam vendo o que aconteceu com explosão.
Urano olhou por Diego e Luciana
Urano:
- isto é o que acontece quando você só ver filme de ação americanos.
Ramos vai até Uranos
Ramos:
- ao menos estamos vivos.
Urano:
- se ela não explodir a gente.
Ramos:
- tudo bem é só ela não ser infectada.
Urano:
- falando nisso.
Ramos:
- o que?
Urano:
- como as pessoas são infectadas.
Ramos:
- eu acho que é por alguma coisa na floresta eu realmente não sei.
Urano:
- você estar me dizendo que estar vivo por acaso.
Ramos:
- sim.
Urano:
- você cortava as arvores?
Ramos:
- sim, como qualquer trabalhador.
Urano:
- ei.
Ramos:
- o que?
Urano:
- onde você conseguiu a escopeta.
Ramos:
- bem quando isto estava acontecendo nós chamamos a policia.
Urano:
- você estar me dizendo que...
A casa sofre tiros de escopetas
Todos se abaixam
Urano:
- os policiais também?
Ramos:
- a floresta estar se protegendo com tudo.
A casa continuava recebendo tiros.
Ramos:
- queria que fossem que nem naqueles filmes que a natureza ataca com os animais, ou tiver sem algum tipo de clima sobrenatural.
Urano:
- isto séria o mesmo que nada.
Ramos:
- por quê?
Urano:
- animais nós mataríamos eles num piscar de olhos e...
Um tiro passar perto deles.
Urano:
- pode acontecer terremoto tornado seja o que for o ser humano não irar mudar o comportamento.
Diego deu alguns tiros.
Ramos:
- nós vamos morrer.
Urano:
- não seja otimista!
Diego dar alguns tiros
Acerta o policial#1 na cabeça
O policial cai imediatamente.
Todos que estão na cabana saíram dela
Diego fica atento apontando a arma de um lado para o outro
Jaqueline ficar olhando o local
Jaqueline:
- pessoal.
Rick:
- o que foi?
Jaqueline:
- onde é que estar todo mundo.
Rick:
- droga.
O local só estar eles e mais ninguém.
Rick:
- onde estar as pessoas que veio com a gente?
Urano:
- cadê eles.
Jaqueline:
- vai ver eles pediram se demitirão em massa!
Urano:
- droga.
Rick:
- como se espalhar rápido.
Urano:
- não poderiam concorda mais.
Luciana:
- pessoal.
Urano:
- temos que sair daqui.
Luciana:
- pessoal.
Rick:
- mais como?
Luciana:
- pessoal.
Urano e Rick:
- OQUE?
Luciana:
- olhem.
Ela aponta para um local
Urano e Rick olham para o local
Eles vêm muitos madeiros com facões.
Urano:
- ou droga.
Rick:
- todos voltem para a cabana AGORA.
Todos voltaram para a cabana
Diego fechou a porta.
Jaqueline:
- nós vamos morrer.
Os madeiros estavam do lado de fora a atacando com os facões
Jaqueline:
- que deus nos ajude.
Ramos:
- como vamos sair dessa.
Começa a chover.
Ramos:
- só faltava essa.
Os raios atingiam os madeiros,
Os raios vinham direto acertando os madeiros.
Rick:
- mas o que?
Ramos:
- o que foi que aconteceu?
Os madeiros foram embora
A chuva parou
Diego:
- que sinistro!
Ramos:
- a natureza estar conosco.
Rick:
- mas se a natureza estar conosco por que estar também contra nós.
Jaqueline:
- pelo menos estamos com uma boa proteção.
Depois de um tempo eles ficam olhando os cantos
O urano estar sentado numa cabana e Ramos chegar perto de Urano.
Ramos:
- poso sentar.
Urano:
- sô não muito perto.
Ramos sentar ao lado de Urano.
Ramos:
- sei que você é da Grécia.
Urano:
- você não poderia estar mais certo.
Ramos:
- ei você acredita nas mitologias gregas.
Urano:
- sim.
Ramos:
- você realmente acredita?!
Urano:
- você também acreditam na mitologia grega.
Ramos:
- não acreditamos.
Urano:
- quando vocês falam no Deus como o superior só quero lembrar-lo que deus em latim é Zeus, e vocês falam Deus como o seu nome próprio.
Ramos:
- quem você achar que estar por trás disso.
Urano:
- Gaia.
Ramos:
- a mãe terra.
Urano:
- sim.
Ramos:
- por que você achar isso?
Urano:
- por que eu sempre ouvia que a floresta da Amazônia é o jardim dos deuses.
Ramos:
- quem melhor para cuidas do jardim do que a mãe terra.
Ramos olhar para cima
Ramos:
- não sei quem estar cuidando de nós tomara que essa pessoa continue.
Urano:
- digo o mesmo.
Ramos:
- tomara que nós não estejamos no meio de uma batalha de deuses.
Urano se levanta
Urano:
- se estivermos?
Urano bate no ombro do Ramos
Urano:
- é melhor escolhermos de que lado vamos lutar.
Ramos:
- então é melhor não traímos de quem cuida do céu.
Urano:
- se trairmos tudo pode piorar.
Ramos:
- espero que tudo acabe.
Urano:
- você sabe que algo dessa magnitude não vai acabar fácil?
Ramos:
- nunca tive esperança disso.
Urano:
- tudo bem.
Estava de noite e todos estavam dormindo na cabana
Ramos se ver sozinho numa floresta de dia
Ramos ele ficava olhando em volta
Ramos:
- ola.
Ele estava andando
Ramos:
- Jaqueline.
Estava andando mais
Ramos:
- Urano.
Continuava andando
Ramos:
- ONDE ESTÃO VOCÊS?
Ramos estava correndo
Ramos:
- não acredito.
Ele corria na floresta
Parou para dar um descanso
Ramos:
- estes desgraçados me abandonaram.
Ele correu mais um pouco
Ficou parado para ver se tinha alguém em volta
Ramos:
- RICK.
Ramos estava começando a ficar preocupado
Ramos:
- DROGA.
Ele ver uma mulher de vestido vermelho
Ramos:
- o que?
Ele corre até ela
Ela desaparece
Ramos:
- o que estar acontecendo?
A mulher de vestido vermelho aparece até ele.
Ramos:
- quem é você?
A mulher de vestido vermelho:
- você sabe?
Ramos:
- não eu não sei.
A mulher de vestido vermelho:
- como você não sabe?!
Ela dar um sorriso
Ela se afastar um pouco
Ramos chegar perto dela
Ramos:
- eu devia saber quem é?
Ela encosta a mão no rosto dele
Dar um beijo no rosto
A mulher de vestido vermelho:
- pobre coitado.
Ramos pega na mão dela
Ramos:
- por que estou sozinho.
A mulher de vestido vermelho:
- por que você é o protegido.
Ramos:
- de quem?
A mulher de vestido vermelho:
- você sabe muito bem.
A mulher se afasta dele
Ele chegar perto dela
Ela se esconde atrás de uma arvore
Ramos:
- me diga tudo que você sabe.
A mulher de vestido vermelho:
- você estar vendo essa arvore?
Ramos olhar para arvore
Ramos:
- ela vai me dar as respostas?
A mulher de vestido vermelho:
- não.
Ramos:
- então o que tem essa arvore?
A mulher de vestido vermelho:
- é que essa arvore sabe o destino dela, sabe por que nasceu e quais são os seus deveres e sacrifícios.
Ela se aproxima de ramos
Encosta a mão no rosto dele.
A mulher de vestido vermelho:
- coitado.
Ela beija ele na boca
A mulher de vestido vermelho:
- pobre coitado.
Ela beija ele na boca de novo
A mulher de vestido vermelho:
- você estar perdido.
Ramos olha em volta
Ramos:
- eu não sei onde estou?
Ela dar um sorriso
A mulher de vestido vermelho:
- engraçado.
Ramos:
- o que foi?
A mulher de vestido vermelho:
- eu queria dizer na vida.
Ramos:
- você é deus?
A mulher de vestido vermelho:
- na verdade deusa.
Ramos:
- não acredito.
Ramos se afastar um pouco
Ramos:
- Gaia.
Gaia:
- finalmente você sabe o meu nome.
Ramos:
- eu não acredito.
Ela se aproximar dele
Ela dar um sorriso
Beija ele na boca.
Gaia:
- você devia achar fácil de acreditar.
Ramos:
- não acredito nisso cada vez mais.
Gaia beija ele na boca de novo
Gaia:
- minha nossa como você estar perdido.
Ramos:
- diga o que eu devo fazer.
Gaia:
- na verdade você já fez.
Ramos:
- o que?
Gaia beija mais uma vez na boca
Gaia:
- você nasceu para me encontrar.
Ramos:
- uma busca romântica.
Ela dar um sorriso
Beija ela na boca
Gaia:
- você...
Beija ele na boca de novo
Gaia:
- não poderia...
Beija ele na boca de novo
Gaia:
- estar mais...
Beija ele na boca de novo.
Gaia:
- enganado.
Ramos:
- te matar?
Gaia:
- você acertou.
Ramos fica confuso
Ramos:
- se eu vim para te matar por que estar me tratando tão bem.
Gaia:
- como eu disse você é protegido dele.
Ramos:
- de quem?
Gaia:
- do meu filho, o meu primeiro.
Ramos:
- o que?
Gaia:
- do meu primeiro filho.
Ramos:
- por isso me trata bem.
Gaia:
- eu quero você no meu lado.
Ramos:
- você matou o meu povo?
Gaia:
- sim.
Ele se afastar dela
Ramos:
-eu nunca me juntaria a você.
Gaia:
- pena que pense assim.
Ela fica com as mãos nos ombros.
Gaia:
- eu sei, como alguém como você muda de idéia.
Ela tira a roupa
Se aproxima dele.
Gaia:
- fique do meu lado.
Ela ia dar um beijo nela
O Ramos é acordado
Ramos:
- o que?
Urano:
- acorde.
Ramos coloca as mão na cara
Ramos:
- droga.
Urano:
- o que foi?
Ramos:
- eu estava tendo um sono bom.
Urano se sentou
Urano:
- do que era esse sonho.
Ramos:
- sonhei com uma mulher chamado gaia.
Urano se levanta
Urano:
- O QUE?
Ramos:
- falei que o nome dela era Gaia.
Urano:
- você tem certeza?
Ramos:
- sim.
Urano:
- não acredito.
Ramos:
- calma foi só um sonho.
Urano:
- não meu amigo não foi só um sonho.
Ramos:
- o que uma deusa queria comigo.
Urano:
- como assim?
Ramos:
- no sonho ela queria fazer sexo comigo.
Urano:
- e você se impressiona com isso?
Ramos:
- sim.
Urano:
- lembrar-se na mitologia ela fazia sexo com o primeiro filho que ela teve.
Ramos:
- verdade?
Urano:
- sim.
Ramos:
- que maluca.
Urano:
- bem naquela época ela não tinha muita escolha já que ela era só eles dois no universo.
Ramos:
- não tente amenizar isso.
Urano:
- estou falando para você não se sentir muito importante.
Ramos:
- ela me falou outra coisa.
Urano:
- o que?
Ramos:
- que eu fui escolhido pelo filho dela para encontrar ela e matá-la.
Urano deu um sorriso
Urano:
- pelo menos você fez umas das coisas.
Ramos se levantar
ele vai até uma janela
ele fica olhando para a floresta
Ramos:
- por que não é só uma doença?
Urano se aproxima de Ramos
Urano:
- o que?
Ramos:
- por que tinhas que estar no meio de uma batalha entre os deuses.
Urano:
- os humanos provocaram uma deusa.
Ramos:
- entendo que não é só uma batalha entre os deuses.
Urano:
- que bom que entende.
Ramos:
- é loucura entrar numa batalha que uma deusa estar causando.
Urano:
- ela disse que você nasceu para encontrar La?
Ramos:
- ela me disse isso.
Urano:
- era o seu destino estar aqui.
Ramos bate no vão da janela
Ramos:
- BARBOSEIRA.
Urano:
- o que foi?
Ramos:
- só por que nascermos não quer dizer que nós queremos e estarmos 100% preparados para tal coisa.
Urano:
- você não tem opção.
Ramos:
- gosto de acreditar que termos.
Urano:
- por que pretende se enganar muito?
Ramos:
- por que a verdade simplesmente pode ser insuportável.
Urano:
- que baboseira.
Ramos:
- é mais fácil viver a mentira.
Urano:
- sempre vamos enfrentar a verdade uma hora ou outra.
Ramos encosta a cabeça nas mãos
Dar uma respirada
Bate o pé no chão
E fica olhando em volta
Ramos:
- como o ser humano pode matar uma deusa.
Urano:
- você sabe a resposta.
Ramos:
- com ajuda de outro deus.
Urano:
- é só assim.
Ramos:
- então me mostre.
Urano:
- o que?
Ramos:
- você tenta nos enganar mais pelo seu nome já estava bem claro.
Urano:
- diga o que sabe?
Ramos:
- você é Urano um deus grego que personificava o céu.
Urano:
- estava muito na cara.
Ramos:
- eu pensava que você era humano.
Urano:
- o que fez abandonar essa idéia.
Ramos:
- fácil toda essa situação.
Diego praticava golpes de facas
Rick estava apontando com a escopeta do policial
Diego olhar para o Rick
Diego:
- tomara que estas armas sejam o suficiente.
Rick:
- com este brinquedo derrubo qualquer um.
Diego:
- este o problema brinquedo.
Rick:
- do que estar falando?
Diego:
- PORRA, estamos numa situação deus estar contra nós.
Rick:
- lembrar-se que alguém estar conosco.
Diego:
- estes tipos de armas só vão servir para os trabalhadores.
Rick:
- os trabalhadores zumbis.
Diego:
- será que eles estão mortos mesmo.
Rick:
- ou algum tipo de doença.
Diego:
- eu sempre...
Ele fez alguns golpes com a faca
Diego:
- ficava procurando fortes adversários.
Rick:
- mas encontrou um que é mais forte do que poderia imaginar.
Diego joga a faca no chão
Diego:
- DROGA.
Rick:
- o que foi?
Diego:
- eu sei que o adversário é forte demais, mas vou lutar até eu não conseguir mais e meu nome é DIEGO e EU NÃO DESISTO.
Ele vai um pouco em direção a floresta
Diego:
- VOCÊ ESTAR ME OUVINDO.
Diego coloca a mão perto da boca.
Diego:
- EU NÃO DESISTO.
Rick vai ao lado de Diego.
Rick:
- EU TAMBÉM NÃO DESISTO.
Diego:
- QUE VOCÊS VENHAM.
Rick:
- VENHA NOS ATACAR.
Diego:
- SUA FLORESTA DE ARAQUE.
A Jaqueline e a Luciana estavam ajeitando as unhas.
Luciana:
- eu acho que eu não deveria usar este esmalte.
Jaqueline:
- que é isso amiga estar perfeita.
Um trabalhador aparece perto do Diego
Diego pega a faca
O trabalhador mostrou o facão
O trabalhador #1 foi atacar o Diego
Diego foi ao chão e rolou
Quando parou Diego acertou o pé do trabalhador#1
O trabalhador cai no chão
Ainda no chão o trabalhador tentar atacar com o facão
O Diego ficava se esquivando dos ataques.
Diego fez um giro com a faca
Diego joga a faca
A faca acerta o rosto do trabalhador.
Diego:
- na sua cara.
Diego pegou a faca
Ele guardou a faca
Veio outro trabalhador#2 veio atrás de Diego
Diego percebeu
Pegou facão do trabalhador #1
Cortou a cabeça do trabalhador#2
Apareceu outro trabalhador#3
Diego e o trabalhador ficavam numa briga de facões
Diego acertou a barriga do trabalhador #3
O trabalhador#3 encosta na barriga sentindo a dor
O trabalhador#3 ataca de novo
O Diego esquiva do golpe
Ataca o braço do trabalhador#3 com o facão
E corta totalmente o braço do trabalhador#3
O trabalhador#3 estava gritando de dor
Diego ataca o trabalhador#3
Diegou cortou a cabeça do trabalhador#3
Diego:
- vem mais alguém.
Um outro trabalhador apareceu#4 com o facão
Diego enfiou a facão na barriga do trabalhador#4
Outro trabalhador#5 apareceu com uma moto-serra.
Diego corta as pernas do trabalhador#5
O trabalhador#5 corta sem querer ao meio o trabalhador#4
Diego corta a cabeça do trabalhador#5
Diego vai pegar a moto-serra
Outro trabalhador#6 estava se aproximando do Diego
Diego olhar para trás
Diego:
- droga
O trabalhador#6 leva um tiro de escopeta
Diego de surpreende
Diego olhar para os lados
Depois ele olhar para frente e dar um sorriso
O Rick engatilhando a escopeta
Diego:
- bom tiro
Rick:
- não á dique.
Diego pega a moto-serra
Diego:
- agora que as coisas vão ficar divertidas.
Rick se aproxima
Rick:
- legal.
Diego:
- tomara que apareça mais desses trabalhadores zumbis.
Rick:
- você estar falando sério.
Diego olhar para frente
Diego dar um sorriso grande
Rick:
- ou droga.
Diego:
- legal.
Aparece mais 6 trabalhadores
Diego:
- quem vai ser o primeiro.
Diego vai para eles
Rick:
- ou droga.
Rick fica olhando para o lado
O som da moto-serra cortando estava no ar
Rick continuava evitar olhar para frente
O som de cortando ainda estava acontecendo
Rick ficava olhando para cima
O som finalmente parou
Rick ainda olhava para cima
Diego se aproxima todo ensangüentado
Diego:
- o que foi?
Rick olhar para frente
Imediatamente tapa a boca
Rick:
- ou droga.
Diego:
- o que foi?
Rick se a fasta e vai para a floresta e começar a vomita
O trabalhado#7 aparece com facão
Rick:
- ou droga.
Uma faca aparece no meio da testa do trabalhador#7
O trabalhador#7 cai no chão
Diego de aproximar e pega a faca e guarda
Diego:
- tem que aprender a reagir.
Rick:
- é que...
Diego:
- não vamos ter sempre algum deus para nos salvar.
Rick:
- cale a boca.
7 trabalhadores se aproximavam de Luciana e Jaqueline
Jaqueline ver se assustar.
Luciana fica só olhando
Jaqueline:
- o que você estar fazendo?
Luciana:
- o que foi?
Jaqueline:
- saia de perto deles.
Luciana lançar uma granada nos trabalhadores.
A bomba explode matando todos eles.
Luciana:
- pronto sai de perto.
Jaqueline:
- o desgraçado arruma loucos para nos defender.
Luciana:
- venha.
Jaqueline:
- termos que sair daqui.
Luciana:
- eu acho que a “floresta” vai facilitar para nós.
Jaqueline:
- eu odeio esta floresta.
Luciana:
- temos que fazer algo.
Jaqueline:
- descobrir quem estar por trás disso.
Luciana:
- eu iria dizer transar com todos eles enquanto ainda é tempo, mas a sua idéia também parece boa.
Ramos ficava olhando da janela
Urano estava sentado na cama
Ramos:
- ouvir que você carrega o machado.
Urano:
- para ferir ela do jeito como ela me feriu no passado.
Ramos:
- sábia que teria que ser algo místico.
Urano:
- foi feito pelo melhor deus.
Ramos:
- o machado pode mesmo ferir ela.
Urano:
- foi feita especialmente para isso.
Ramos:
- você pode me dar o machado.
Urano:
- o que?
Ramos:
- me der o machado que eu mesmo vou encontrar ela.
Urano:
- você achar que sabe onde ela estar.
Ramos:
- sim.
Urano:
- lembrar-se não foi fácil convencer o hades a você vim aqui.
Ramos:
- por que eu estive sem memória.
Urano:
- idéia do hades para apagar a sua mente mas fica um objetivo claro na cabeça que é encontra-la.
Ramos:
- me der o machado.
Urano:
- você não estar pronto.
Ramos:
- claro que estou.
Urano:
- você já estava caindo por lado dela.
Ramos:
- você não como saber disso.
Urano:
- só um deus pode impedir a magia de outro, quando eu notei que você estava caindo eu tive que acorda você.
Ramos:
- prometo que não vou cair.
Urano:
- se você cair de novo não vou ter nada que eu posso fazer.
Ramos:
- não posso falhar.
Urano:
- você estar pronto para cumprir o seu destino.
Ramos:
- não.
Urano:
- então por que?
Ramos:
- eu não estou pronto mas vou fazer.
Urano dar um soco no Ramos
Ramos cai no chão
Urano:
- idiota.
Urano dar um chute no Ramos.
Urano:
- burro.
Ramos:
- por que?
Urano:
- você vai enfrentar uma deusa você tem consciência DISSO.
Ramos:
- EU SEI DISSO.
Urano joga o Ramos na parede.
Urano:
- têm mesmo.
Ramos:
- tenho.
Urano:
- enfrentar uma deusa, a pessoa não pode ter talvez na cabeça a ÚNICA coisa que ele pode ter na cabeça é certeza.
Ramos cospe sangue
Ramos:
- ok.
Urano:
- ok?!
Ramos:
- o que foi?
Urano:
- você deve realmente achar que estar ok, e não simplesmente dizer.
Ramos:
- eu consigo.
Urano empurra o Ramos
Urano:
- fale com vontade.
Ramos:
- EU CONSIGO.
Urano:
- finalmente estar conseguindo entender tudo fico feliz disso.
Ramos:
- você vai me dar o machado.
Urano:
- não se preocupe na hora entrego o machado.
Ramos:
- não tente me enganar.
Urano:
- a palavra de um deus tem valor humano idiota.
Ramos:
- vamos.
O Ramos fica no meio de todos da Lucina, Jaqueline, Diego, Rick
Rick:
- o que você estava querendo falar?
Ramos:
- eu sei que a causa de todos os nossos problemas estar nessa floresta.
Rick:
- você tem certeza?
Ramos:
- como nunca na vida.
Jaqueline:
- você acha que é uma pessoa.
Ramos:
- não qualquer pessoa.
Luciana:
- uma pessoa que você era apaixonado?!
Ramos:
- uma deusa.
Luciana:
- Ual.
Luciana dar uma pequena risada
Luciana:
- você realmente gostava dela.
Ramos:
- estou falando de uma deusa de verdade, sabe uma espécie de ser superior.
Jaqueline:
- quando você encontrar ela o que vai fazer implorar para que ela não nos marte.
Luciana:
- você vai implorar?!
Ramos:
- eu pretendo acabar com tudo.
Diego:
- você vai matá-la?
Urano:
- impossível.
Diego:
- eu sei essa missão.
Urano:
- não eu me falo de matar uma deusa.
Jaqueline:
- então o que pretende?
Urano:
- se ferir ela bastante, ela perde um pouco dos poderes.
Jaqueline:
- é possível um ser humano ferir uma deusa.
Urano:
- se nada disso fosse possível eu diria que é melhor todo mundo se matar agora só para ela não perder tempo.
Jaqueline:
- ok, entendi a mensagem.
Rick:
- então você quer que nós vamos nesse tipo de missão.
Ramos:
- não.
Rick:
- ok.
Ramos:
- só eu vou.
Diego dar uma risada.
Diego:
- ei garoto.
Ramos:
- o que?
Diego:
- você acha que você vai sozinho.
Ramos:
- é muito perigoso para vocês.
Diego chega perto do Ramos
Diego:
- eu fui até o Iraque, só para saber como é realmente uma guerra, e você não achar que eu vou nesse tipo de missão que pode ser a mais importante de todas.
Ramos:
- mas...
Diego:
- mas o carário eu vou.
Ramos:
- quem for pode morrer.
Diego:
- ao menos morrerei por uma deusa.
Diego pega a serra – elétrica
Ele liga ela.
Diego:
- quando podem ir para o outro lado falar isso.
Urano:
- você não vai sozinho.
Urano vai até o jipe
Ele pega o machado com a inscrição vingança
Urano olhar para o machado e dar um sorriso
Urano:
- finalmente.
Ramos:
- quem mais.
Rick:
- eu vou.
Luciana:
- deuses, zumbis, tem algo mais divertido que isso?
Lucina olha para as granadas
Luciana:
- até pode ter, mas vou com orgulho nessa missão.
Jaqueline fica calada
Todos olham para ela
Jaqueline fica supressa
Jaqueline:
- já que todo mundo vai.
Rick dar uma risada
Rick:
- quando vamos.
Urano:
- amanhã.
Ramos:
- você tem certeza.
Urano:
- ainda podermos agüentar mais um dia.
Luciana:
- então vamos aproveitar o máximo.
Rick:
- concordo.
De noite o Ramos estava na cama cansado
Urano chega no acampamento
Urano:
- ola cara.
Ramos:
- oi.
Urano senta no chão
Dar uma pequena respirada e deita no chão
Urano:
- ual.
Ramos:
- a Luciana sabe aproveitar muito bem o que pode ser o últimos dia de vida dela.
Urano:
- não brincar.
Ramos:
- estou exausto.
Urano:
- eu estou morto olha que sou um deus.
Ramos:
- acho que devemos ir depois de amanhã.
Urano:
- do jeito como ela me deixou cansado só vou na próxima década.
Ramos:
- entendo.
urano:
- eu vivi por muito tempo e ela fez coisas na cama que não vir por muito tempo.
De manhã todos ele acordam
Diego faz alguma flexões
Jaqueline chega perto do Diego
Diego:
- ola.
Jaqueline dar uma respirada
Jaqueline:
- ola.
Diego:
- você estar bem?
Jaqueline:
- considerando que eu posso enfrentar a morte imediata, estou bem.
Diego:
- infelizmente não posso te garantir que tudo vai acabar bem.
Jaqueline:
- queria que você mentir-se um pouco.
Diego:
- tudo vai ficar bem.
Jaqueline dar uma pequena risada
Jaqueline:
- sobre o que aconteceu ontem o...
Diego:
- o sexo?
Jaqueline:
- isto mesmo.
Diego:
- o que?
Jaqueline:
- eu queria que você não comentar-se com ninguém.
Diego:
- não se preocupe não vamos falar mais nisso.
Ramos estava vendo a floresta
Urano chegar perto
Urano:
- tomara que você não esteja enganado.
Ramos:
- eu estou muito confiante em saber onde ela estar.
Urano:
- ok.
Todos estavam começando a caminhar pela floresta
O Rick ficava apontando a arma
Urano:
- vejo que você estar empolgado.
Rick:
- estamos indo em um tipo de “missão impossível”.
Urano:
- se fosse impossível nem iríamos tentar.
Rick:
- você acha que o Ramos ele estar por trás de tudo.
Urano:
- o que?
Rick:
- é que ele é o único sobrevivente e ainda sabe onde estar o problema você não achar que é algum tipo de armadilha.
Urano:
- você achar que ele estar ajudando quem estar por trás de tudo isso?
Rick:
- você sabe que as pessoas fazem de tudo para viver.
Urano:
- estou ciente disso.
Rick:
- então o que acha?
Urano:
- não, eu tenho certeza que ele estar do nosso lado.
Rick:
- tomara.
Urano dar um tapa no ombro de Rick
Urano:
- não se preocupe.
Rick:
- por que ele estar com o seu machado?
Urano:
- o que?
Rick:
- por que ele estar com o seu machado.
Urano:
- eu decidir entregar para ele.
Rick:
- mas o Aldo deste machado não é a mulher que te machucou.
Urano:
- e é.
Rick:
- então?
Urano:
- decidir que quem estar fazendo isso também merece.
Rick:
- agora sim faz sentindo.
Urano:
- que bom que tirei as duvidas
A Jaqueline estava de cabeça baixa
A Lucina ver isto
Luciana se aproxima da Jaqueline
Luciana:
- o que foi amiga?
Jaqueline:
- é que ontem eu fiz uma coisa de que eu não me orgulho.
Luciana:
- mijou na cama?
Jaqueline:
- O QUE?
Luciana:
- olha mulheres da sua idade não mijam na cama, a não ser que ágüem tenha colocado a sua mão na água enquanto você dormia assim é altamente perdoado mas se nada causou...
Jaqueline:
- CHEGA.
Luciana:
- vai me contar o que houve.
Jaqueline:
- sim.
Luciana:
- tem certeza que não foi mijo.
Jaqueline:
- tenho.
Luciana:
- o que foi?
Jaqueline:
- ontem eu fiz sexo com uma pessoa.
Luciana:
- sim, e...
Jaqueline:
- basicamente isso.
Luciana:
- O QUE?
A Jaqueline fica supressa
Luciana:
- ISTO, que você sente vergonha.
Jaqueline:
- me esqueci que para você isto é normal.
Luciana dar risada
Jaqueline dar um pequeno empurrão na Luciana
Jaqueline:
- você não precisa fazer escândalo.
Luciana:
- vou te falar a verdade.
Jaqueline:
- o que?
Luciana:
- eu preferia que você contar-se que mijou na cama.
Jaqueline:
- cale a boca.
Diego:
- que bela natureza.
Rick:
- o que?
Diego:
- que bela natureza.
Rick:
- sim as arvores são bonitas.
Diego:
- e nós estamos destruindo.
Rick:
- o que você estar falando?
Diego:
- como podermos estar destruindo tudo isso.
Rick:
- cara você estar me assustando
Diego:
- só tem um jeito de parar tudo.
Rick:
- para de falar besteiras.
Diego:
- DEFENDER A FLORESTA.
Diego liga a moto-serra
Ramos:
- o que estar havendo?
Rick:
- eu acho que ele estar infectado.
Diego:
- VOCÊS É QUE ESTÃO INFECTADOS.
Diego se aproxima deles.
Diego:
- DESTRUINDO A MINHA FLORESTA.
Diego ameaçava com a moto-serra
Ramos:
- droga.
Jaqueline:
- começou.
Diego:
- COMO VOCÊS PODEM QUERER QUE ISTO SEJA DESTRUIDO.
Diego ataca com a moto-serra
O Rick se afastar se o golpe da moto-serra não acerta ele
Diego acerta uma arvore
Diego:
- NÃO.
Diego tira a moto-serra da arvore
Ele passar a mão na arvore
Diego:
- sinto muito irmã.
Rick:
- você ficou louco.
Diego:
- LOUCO?!
Diego apontou a moto-serra por Rick
Diego:
- louco.
Diego ataca com a moto-serra
O Rick dar um pulo se afastando
Diego fica com raiva
Diego:
- vocês querendo destruir a floresta isto é uma loucura.
Urano se aproxima do Diego
Diego:
- OlA.
Diego apontou a moto-serra por Urano
Diego dar uma pequena risada
Diego:
- você vai se aproxima.
Urano olhar ao redor.
Urano:
- você estar vendo?
Diego se afastar do Urano
Diego dar uma olhada ao redor.
Diego fica confuso
Diego:
- o que?
Urano:
- você estar vendo todo essa madeira.
Diego:
- estou olhando estas belas arvores.
Urano:
- tudo que eu vejo é madeira que ainda não foi cortada.
Diego se irrita
Diego:
- MALDITO.
Diego dar um golpe com a moto-serra
Urano fica se esquivando dos golpes
Urano:
- o que?
Urano fica dando risada
Urano:
- ficou com raiva foi.
Diego:
- maldito.
Diego ficou tentando atacar com a moto-serra
Urano ficou esquivando.
Urano:
- você deveria tomara cuidado.
Diego tenta acerta o golpe
Urano fica só esquivando e rindo
Urano:
- por que vem uma ventania ai.
Diego:
- o que?
O vento estava aumentando
Jaqueline ficava olhando ao redor
Foi em uma arvore e segurou
Jaqueline:
- o que estar havendo agora?
Ramos tentava resistir ao vento
Pulou e segurou em uma arvore
Jaqueline:
- isto estar parecendo um furacão.
Ramos:
- não parece.
Ramos se incomodando com o vento.
Ramos:
- é um furacão.
Jaqueline:
- isto é impossível.
Ramos:
- sério?!
Jaqueline:
- o que?
Ramos:
- depois de tudo o que acontece você ainda não é mente aberta.
Jaqueline:
- mas não estou acreditando em tudo.
Ramos:
-estamos lhe dando com deuses.
Ramos segurava mais forte na arvore
Ramos:
- literalmente de tudo pode acontecer.
Diego tinha dificuldades de segurar a moto-serra
O Urano estava muito bem só vendo a situação
Diego:
- maldito.
Uma parte da serra atingiu o Diego
Diego joga a moto-serra
Diego:
- vocês devem pagar pelo que fizeram com a minha floresta.
Urano:
- você não pode só acusar os humanos.
Diego:
- eles são os maiores culpados de tudo.
Urano:
- como os humanos podem ser culpados de algo.
Urano vai em direção ao Diego
Urano:
- se os humanos não conseguem controlar o destino, e dar risadas quando eles pensam que podem controlar.
Urano chegar mãos perto do Diego
Urano:
- lembrar-se que você irrita outros deuses.
Urano Chega mais perto do Diego
Urano:
- você irrita até poseidon.
Urano dar uma risada
Urano:
- me corrija se eu estiver errado mas a floresta não devia ser amiga das arvores.
Urano dar risada.
Urano:
- e por que as vezes as águas invadem e destroem as florestas.
Rick:
- ele estar maluco.
Urano:
- os humanos pensam que sabem sobre tudo e principalmente a quem culpar, e eles sabem que existe uma força maior, mas eles se odeiam tanto que esquecem deste fator, nós devíamos ter planejado mais o destino dos humanos, ao contrário de nos diverti com as tragédias deles.
Diego:
- belo discurso.
Diego aponta o revolver para o Urano
Diego dar uma risada.
Diego:
- o discurso acabar neste momento.
Diego leva um tiro e cai no chão imediatamente.
Urano olha para o Rick
A escopeta ainda estava saindo fumaça
A ventania parou
Rick senta no chão
Rick:
- não posso dizer que eu nunca sonhei fazer isto.
Urano olhar por Diego
Urano:
- entendo as vezes eu queria atirar nele.
Urano dar uma olhada ao redor
Urano:
- mas não neste tipo de situação.
Rick:
- algo que pode definir os rumos da humanidade.
Urano:
- eu não exageraria nisso.
Luciana estava com as mãos esticada
Luciana:
- finalmente este vento maluco parou.
Jaqueline se aproxima de Luciana
Jaqueline:
- eu não ia agüentar mais.
Luciana dar um chute no chão
Luciana:
- droga.
Jaqueline dar um pequeno abraço na Luciana
Jaqueline:
- eu sei que ele era amigo seu.
Luciana:
- que droga.
Jaqueline:
- nós sabíamos que algo assim poderia acontecer.
Luciana chora
Luciana:
- mas isto não realmente nos preparar.
Ramos olhar para todos
Se aproxima do Urano
Ramos:
- vocês acham que a gente deve parar um pouco.
Urano:
- normalmente eu diria que sim.
Ramos:
- mas isto não é normal.
Urano:
- nós podermos esperar mais e ela.
Ramos:
- isto eu não sei.
De noite todos estavam de cabeça baixa com fogo perto
Ramos:
- que droga de dia.
Ramos fecha os olhos
Ramos abre os olhos de repente
E estar na floresta sozinho de dia
Ramos:
- não de novo.
Gaia se aproxima
Ramos olhar imediatamente para a mão
Ramos:
- droga.
Gaia:
- ola.
Ramos:
- eu sei o que você fez.
Gaia:
- eu não tinha muitas opção.
Ramos:
- você não vai parar de nos atacar.
Gaia dar um sorrisinho
Gaia:
- nem um pouco.
Ramos:
- e você ainda pensa que eu vou me juntar a você.
Gaia:
- gosto mais de você agora.
Ramos:
- por que?
Gaia dar o sorriso de novo
Gaia se aproxima de Ramos
Ramos se afastar
Ramos:
- você não respondeu.
Gaia:
- é que agora.
Gaia abraça o Ramos
Gaia:
- é que você não estar mais perdido.
Ramos:
- eu sei o que eu devo fazer.
Gaia:
- você quer mesmo fazer isto.
Gaia beija o Ramos na boca.
Ramos:
- sim.
Gaia beija o Ramos na boca
Gaia:
- engraçado você estar determinado a me matar.
Gaia beija mais uma vez Ramos na boca
Gaia:
- mas quando se aproxima toda a sua vontade de me matar desaparece.
Gaia beija mais o Ramos
Gaia:
- e você não pensa duas vezes quando eu me aproximo.
Ramos:
- você estar matando os meus amigos.
Gaia:
- vamos você é especial.
Ramos:
- eu sei do meu grande dever.
Gaia:
- são poucos os humanos que REALMENTE podem escolher o destino.
Ramos:
- estar dizendo que todos nós somos manipulados.
Gaia beija ramos mais uma vez na boca.
Gaia:
- exato querido.
Ramos:
- não posso acreditar.
Gaia:
- a manipulação de vocês acontece todo dia.
Ramos:
- por que vocês permitem que poluam os rios, céus já que foram vocês que fizeram.
Gaia:
- bem as vezes na verdade muitas vezes é que algum deus fica com raiva do outro e nós usarmos vocês como cobaias.
Ramos:
- mas nós não somos como filhos para vocês?
Gaia dar risada
Gaia:
- só por que criarmos vocês não quer dizer que tratarmos vocês como filhos, imagine o seguinte, um escritor criar um personagem ele só estar interessado se este personagem vai ter uma boa historia estar pouco ligando por todo sofrimento que ele ou ela passará, é isso que vocês são meros personagens para nós.
Ramos:
- entendo você não tem controle sobre o meu personagem.
Gaia beija mais uma vez ramos na boca
Gaia:
- gosto do jeito como você entende tudo.
Ramos:
- eu não posso me deixar levar por seus encantos.
Gaia beija mais uma vez ramos na boca
Gaia:
- que pena.
Os dois ficam se olhando
Ramos beija Gaia na boca
Gaia:
- finalmente.
Os dois ficam se beijando.
O Ramos acorda
Ramos:
- droga.
Urano:
- dar um soco no Ramos.
Ramos cospe sangue
Ramos se levantar com raiva
Ramos:
- o que foi isto PORRA.
Urano:
- O QUE FOI ISSO?!
Urano dar uma risada.
Urano:
- o que foi isso?!
Urano olhar para o Ramos com raiva
Urano:
- eu é que lhe faço esta pergunta.
Ramos:
- eu só estava tento um sonho.
Urano dar um soco no Ramos
Ramos tentar revidar mas Urano esquiva
Urano empurra o Ramos na arvore
Urano chega perto
Urano dar um soco na barriga de Ramos.
Urano:
- quando é uma situação de briga de deuses não existe negocio de só um sonho, caso você não saiba cada sonho neste momento tem grande importância seu completo idiota.
Ramos:
- não ia acontecer nada.
Urano sufoca o Ramos
Urano:
- é de ante de um deus que vocês estar diante, portanto é melhor pensar duas vezes.
Urano se afastar de Ramos
Ramos:
- ok, iria acontecer alguma coisa.
Urano:
- você disse que estava pronto.
Ramos:
- mais eu estou.
Urano:
- uma pessoa morreu.
Urano se aproxima de Ramos
Ramos:
- estar lembrado disso.
Ramos se afastar de Urano
Ramos:
- eu sei disso.
Urano:
- se cair de novo talvez eu não esteja próximo para te salvar.
Ramos:
- eu vou conseguir.
Urano dar risada
Urano:
- a única coisa que você tem conseguido ultimamente foi ser um grande fracasso.
Ramos:
- tem que acreditar eu estou pronto.
Urano dar risada
Urano olhar com raiva para Ramos
Urano:
- não é questão de acreditar mais fazer.
Urano se afastar de ramos
Ramos dar um soco na arvore
Ramos dar uma respirada
Ramos:
- droga.
Luciana estava deitada
Jaqueline se aproxima de Luciana
Jaqueline:
- estar pensando em alguma coisa.
Luciana:
- sim.
Jaqueline:
- no que?
Luciana:
- no que?
Jaqueline:
- como você é pé fria.
Jaqueline:
- O QUE?
Luciana:
- estava imaginando como você é pé fria.
Jaqueline:
- por que?
Luciana:
- você entrar numa situação, que dois deuses estão brigando e a gente estar no meio.
Luciana se sentar.
Luciana:
- e mais...
Jaqueline:
- o que?
Luciana:
- a pessoa que você dormiu foi o primeiro do nosso grupo a estar infectado, eu penso isto é ter azar.
Jaqueline:
- cale a boca.
Luciana:
- mas é verdade.
Jaqueline:
- eu sei.
Luciana:
- eu estou confusa.
Jaqueline:
- com o que?
Luciana:
- a gente estar do lado do bem ou do mal?
Jaqueline:
- acredito que do bem?
Luciana:
- mas estamos concordando com um deus que aceitar destruir as florestas.
Jaqueline:
- tente não pensar muito neste assunto.
Jaqueline olhar por Diego
Jaqueline:
- nós não sabermos como isso se inicia.
Luciana:
- você tem razão.
Jaqueline:
- e pensando bem.
Jaqueline olhar para cima
Jaqueline:
- pelo menos tem alguém do nosso lado.
Luciana:
- pior se todos estivessem contra nós.
Jaqueline:
- isto não seria possível.
Luciana:
- por que você diz isso.
Jaqueline:
- se todos os deuses estivessem contra nós já estaríamos mortas agora.
Luciana:
- não poderia concorda mais.
Urano fica mais perto do grupo
Urano:
- vamos isto não vai se resolver sozinho.
Todos se levantaram
Ramos se aproxima
Urano:
- tem certeza que quer continuar.
Ramos:
- como nunca.
Urano olhar para todos
Urano:
- ok, vamos.
Todos começaram a andar
Depois de um tempo andando a Luciana parar
Todos olham para Luciana
Jaqueline:
- Luciana não é hora de parar.
Luciana:
- muito pelo contrário.
Jaqueline:
- o que?
Jaqueline se aproxima de Luciana
Jaqueline ver o olho vermelho de Luciana
Jaqueline se afastar
Jaqueline:
- ou droga.
Rick:
- o que foi?
Jaqueline:
- eu acho que ela estar infectada.
Rick:
- merda.
Ramos:
- vamos Luciana fique normal.
Luciana:
- vocês pensam em destruir tudo isso vocês são os arnomais.
Luciana dar risada
Luciana:
- vocês todos...
Luciana retira o pino da granada.
Luciana:
- são loucos.
Luciana joga a granada.
Jaqueline:
- todo mundo cuidado.
Todos se afastam
Ocorre a explosão.
Luciana se aproxima das arvores.
Luciana:
- me desculpem irmãs mais algumas de vocês têm que ser sacrificadas.
Luciana chora.
Luciana:
- me desculpem.
Luciana olhar com raiva para todos
Luciana:
- tudo isso é culpa de vocês.
Ramos:
- alguém resolva isto.
Rick:
- quem?
Ramos olhar para o Urano
Urano:
- o que?
Ramos:
- você não é o deus daqui.
Urano:
- isto eu deixo mais para vocês.
Ramos:
- droga.
Ramos bate o pé no chão.
Ramos:
- Que covarde.
Urano:
- repita isso seu desgraçado.
Ramos:
- você é um covarde.
Rick:
- CUIDADO.
Acontece uma explosão
O Ramos é jogado por uma arvore.
Jaqueline se aproxima de Luciana
Jaqueline:
- pelo amos de deus volte ao seu normal.
Jaqueline para por um segundo
Jaqueline:
- quer dizer numa loucura que não mate a gente.
Luciana:
- vocês todos devem morrer.
Jaqueline:
- me deixe viver.
Rick:
- SAI DE PERTO DELA.
Jaqueline fica de joelhos
Jaqueline chorar
Jaqueline:
- por favor pare.
Luciana:
- se eu para de atacar ai que vocês vão destruir tudo.
Jaqueline:
- prometo que não vamos.
Luciana dar risada
Luciana:
- não me faça rir.
Jaqueline se aproxima de Luciana
Jaqueline:
- vamos amiga.
Luciana:
- vocês todos vão morrer.
Jaqueline abraçar a Luciana
A Jaqueline chorar.
Rick:
- você estar maluca.
Jaqueline se afastar
Jaqueline se esconde atrás de uma arvore.
Luciana estranha
Luciana:
- mas o que?
Ocorre uma grande explosão.
Rick se aproxima do local da explosão
Rick:
- mas o que foi que aconteceu.
Jaqueline:
- uma de nós se demonstrou a pé fria.
Rick:
- mas o que?
Jaqueline:
- quando eu me aproximei dela, eu tirei um pino de uma granada dela.
Rick:
- nunca imaginei que você poderia fazer isto.
Jaqueline:
- deu certo...
Jaqueline dar uma pequena respirada
Jaqueline:
- não quer dizer que eu tenha orgulho.
Rick:
- estou orgulhoso que você esteja viva.
Jaqueline:
- por quanto tempo.
Rick:
- eu tenho certeza que vamos sobreviver a tudo isso.
Jaqueline:
- queria que isso fosse uma certeza.
Rick dar um abraço na Jaqueline
Rick:
- tenha calma.
Ramos fica olhando os dois
Urano se aproxima
Ramos:
- estamos caindo feito moscas.
Urano:
- não poderiam concorda mais.
Urano se afastar
Urano dar um soco em uma arvore
Ramos se aproxima
Ramos:
- o que foi?
Urano jogar o Ramos na arvore
Ramos:
- o que foi?
Urano chorar
Urano aponta por Rick e Jaqueline
Urano:
- aqueles dois são os meus melhores amigos.
Ramos:
- o que isto tem haver?
Urano dar um soco no Ramos
Urano:
- O QUE ISTO TEM HAVER.
Urano dar outro soco em Ramos
Urano:
- se você veio aqui só para matar eles, eu devo matar você agora.
Ramos:
- tenha calma agora.
Urano:
- você sabe que os deuses são especialistas em punir alguém.
Ramos:
- eu faço idéia.
Urano:
- lembra-se se você fracassar eu NUNCA irei perdoar você.
Ramos:
- eu sei.
Urano:
- tomara que saiba mesmo.
Ramos:
- tente proteger-los.
Urano:
- eu faço o máximo que posso.
Ramos:
- quem você achar que vai ser o próximo?
Urano:
- você se fizer estar pergunta de novo.
Ramos se afastar
Ramos:
- não estar mais aqui quem falou.
Rick se afastar um pouco da Jaqueline
Rick:
- você acha que estarmos perto.
Jaqueline:
- por que você achar disso.
Rick:
- é que só agora estamos sendo afetados.
Jaqueline:
- eu não entendo muita coisa que acontece agora.
Aparece alguns trabalhadores
Rick:
- OU DROGA.
Os trabalhadores zumbis estavam se aproximando
Rick:
- fiquem longe.
Rick aponta a escopeta para eles
Rick:
- se afastem.
Urano segurar a arma de Rick
Rick:
- cara o que você estar fazendo.
Urano olhar para o Ramos
Urano:
- precisamos saber.
Rick:
- saber o que?
Urano:
- de que lado ele estar.
Rick:
- ele estar do nosso lado.
Ramos se aproximar
Ramos:
- como você duvida que eu esteja do seu lado.
Urano:
- a questão vai ficar do nosso lado até o fim ou vai mudar de lado.
Ramos fica pensativo
Urano:
- RESPONDA.
Ramos:
- do lado de vocês.
Urano:
- você estar com o machado.
Ramos olhar por machado
Ramos:
- sim.
Urano:
- o que você estar esperando?
Ramos:
- contra eles?
Urano:
- vai lute.
Ramos:
- isto é loucura.
Urano dar risada
Urano:
- contra quem você vai lutar?
Ramos:
- contra uma deusa.
Urano:
- se você não conseguir enfrentar estes trabalhadores, então é melhor todos nós voltarmos agora.
Ramos:
- não.
Ramos olhar por machado.
Ramos:
- eu consigo.
Ramos olhar para os trabalhadores.
Ramos:
- eu consigo.
Ramos foi até os trabalhadores
Jaqueline:
- termos que ajudar-lo.
Urano:
- é contra uma deusa que ele vai lutar ele tem que se preparar.
Jaqueline:
- Droga.
Urano:
- eu sei que essa situação é difícil.
Jaqueline:
- não, não é isso.
Urano:
- do que é então?
Jaqueline:
- eu devia ter pegue alguma arma.
Rick:
- é mesmo.
Jaqueline:
- eu vou enfrentar uma deusa na mão.
Urano:
- é o trabalho dele lutar com ela.
Jaqueline:
- mas se ele falhar?
Urano:
- então acabou tudo.
Jaqueline:
- por que ele é especial.
Urano:
- ele foi o único que não virou este tipo de zumbi.
Jaqueline:
- estou odiando cada vez mais esta floresta.
Urano:
- não me diga.
Ramos vai para eles todo ensangüentado
Ramos senta no chão
Ramos:
- puxa eles deram trabalho.
Rick se aproxima do Ramos
Rick:
- fico feliz que você esteja bem.
Urano:
- ei garoto.
Ramos:
- o que foi?
Urano:
- olhe.
Tinham mais trabalhadores chegando
Ramos:
- me der um tempo.
Urano:
- você não pode ser fraco.
Ramos:
- você estar me irritando.
Ramos se levanta
Ramos:
- me der um tempo;
Jaqueline:
- não tente brigar com uma pessoa com um machado.
Urano:
- você realmente acha que ela vai facilitar.
Ramos:
- não.
Urano:
- então vá.
Ramos:
- o que me pede nesse momento é impossível.
O vento forte aparece
Começar a chover
Rick olhar para os trabalhadores
Rick:
- isto.
Os trabalhadores não estavam conseguindo se aproximar deles.
Rick:
- vão embora.
Os raios aparecem.
Rick:
- isto os atinja.
Os trabalhadores estavam se afastando
Jaqueline:
- isto.
Jaqueline e Rick pularam de alegria
Rick e Jaqueline se beijaram
Eles se estranham
Depois se afastam
Rick:
- que bom.
Jaqueline:
- é.
Os dois ficam olhando para lados diferente
Rick:
- OBRIGADO DEUS.
Ramos:
- por que não agradece ao Urano.
Rick:
- o que?
Ramos:
- por que não agradece o seu amigo Urano.
Rick:
- o que ele tem haver.
Ramos:
- ele é o deus do céu.
Rick:
- o que?
Rick fica supresso
Rick:
- eu não acredito.
Jaqueline:
- nem eu.
Ramos:
- como eu falei estamos lhe dando com deuses então seja mente aberta.
Jaqueline:
- isto é verdade?
Urano:
- sim.
Ramos:
- e quem estar causando isto é a mãe dele.
Urano:
- você estar pedindo para morrer.
Ramos:
- estou falando a verdade.
Urano dar risada
Urano pegar o Ramos pela camisa
Ramos:
- o que?
Urano:
- você finalmente tem coragem né.
Urano joga o Ramos no chão
Urano:
- você se faz de corpo mole.
Ramos:
- eu sei reconhecer que tenho limites.
Urano:
- limites sevem para serem quebrados.
Urano dar um soco no Ramos
Urano:
- tanto o seu corpo se você deixar eu lhe dar as pancadas.
Urano empurra Ramos
Urano:
- você estar enfrentando um deus.
Urano empurra Ramos de novo
Urano:
- vamos tenha a coragem.
Ramos tentar dar alguns socos no Urano
Urano só fica se esquivando
Urano:
- já estou morrendo de medo.
Urano dar um chute no Ramos
O Ramos fica no chão
Ramos tentar se levantar
Ramos:
- você estar exagerando.
Urano:
- você não estava tendo a coragem.
Ramos se levantar
Ramos:
- ainda sinto vontade de te derrotar,
Urano:
- lembra-se o que vale mais na vida são as ações.
Urano se aproxima de Ramos
Urano:
- e não palavras.
Urano dar um soco no Ramos
Urano:
- vamos.
Urano dar outro soco no Ramos
Urano:
- mostre uma reação.
Ramos:
- pare.
Urano:
- parar?!
Urano dar uma risada
Urano:
- você só pode estar brincando.
Ramos foi dar um soco no Urano
Urano segura a mão de Ramos
Urano:
- você é patético.
Ramos dar um soco na cara de Urano
Urano se afastar.
Ramos:
- droga toda estar aventura parece impossível de se vencer.
Urano dar uma pequena risada
Urano:
- eu entendo.
Ramos:
- como você pode entender.
Urano:
- eu quando me aventureis por essas terras.
Ramos:
- estar falando sério.
Urano:
- eu participei de várias aventuras.
Urano se aproxima de Ramos
Urano:
_ que parecia impossíveis mesmo.
Urano abre os braços
Urano:
- Olhe para mim agora.
Urano empurra o Ramos
Urano:
- eu estou vivo.
Urano empurra o Ramos de novo
Urano:
- vamos não desista.
Ramos tentar dar vários socos
Urano só estava esquivando
Jaqueline estava preocupada
Jaqueline:
- nós devíamos fazer alguma coisa?
Rick:
- eu sei o que devíamos fazer.
Jaqueline:
- o que?
Rick:
- não provocar deus nenhum.
Rick deu uma pequena respirada
Rick:
- e isto é fato.
Jaqueline:
- não é ele que causar os problemas NE?
Rick:
- pelo que eu entendi é a mãe dele.
Jaqueline:
- deve ser difícil para ele.
Rick:
- ELE?
Jaqueline:
- sim por Urano.
Rick:
- para ele a gente só vai enfrentar a mãe dele, e no nosso caso vamos enfrentar uma deusa.
Jaqueline:
- estou ciente disso.
Rick:
- difícil é para nós.
Jaqueline:
- é mais é uma relação de mãe e filho.
Rick fica pensativo
Rick:
- éééé...
Rick fica pensativo de novo
Jaqueline:
- o que foi?
Rick:
- nada.
Jaqueline:
- pode falar.
Rick:
- você sabe que estamos falando de deuses gregos?
Jaqueline:
- sim.
Rick:
-e a relação de mães e filhos não chega a ser sempre o que você estar pensando.
Jaqueline:
- como assim?
Rick:
- bem é que algumas vezes eles namoram.
Jaqueline:
- eu acho que vou vomitar.
Urano estava defendendo os golpes de Ramos
Urano:
- vamos você estar pegando o ritmo.
Ramos acerta um soco na barriga de Urano
Ramos:
- certo.
Urano segura as duas mãos de Ramos
Urano:
- é melhor você só atacar com o machado.
Ramos:
- entendo.
Urano:
- temos que ir.
Ramos:
- ok.
Urano foi até os outros
Urano:
- temos que ir.
Rick:
- você acha que ele estar pronto.
Urano:
- é só ele fazer o nasceu para fazer.
Rick:
- ok.
Jaqueline se aproxima de Ramos
Jaqueline:
- você estar bem.
Ramos:
- pelo menos apanhei de um deus.
Jaqueline:
- o que isso quer dizer?
Ramos:
- imagine se fosse por uma mulher.
Jaqueline bate no Ramos
Jaqueline:
- crétino.
Ramos dar risada
Jaqueline:
- isto não tem graça.
Ramos:
- até que tem.
Jaqueline:
- tomara que você morra.
Ramos:
- tenha calma.
Jaqueline:
- só vou ter calma de novo quando tudo isso acabar
Ramos parar
Jaqueline:
- o que foi?
Jaqueline se afastar
Jaqueline:
- você não estar infectado estar?
Ramos:
- PESSOAL.
Rick e Urano ainda estavam andando
Ramos:
- PESSOAL.
Rick e urano param
Urano:
- o que foi?
Ramos:
- é aqui?
Urano:
- você tem certeza?
Ramos:
- tenho.
Rick:
- onde estar ela.
Ramos:
- eu sei que ela estar por aqui.
Jaqueline:
- tomara que você não esteja enganado.
Rick:
- como você sabe disso?
Ramos:
- por que é aqui que venho tendo os sonhos.
Rick:
- de que natureza.
Urano:
- vamos dizer que é de natureza divina.
Ramos:
- é de natureza divina.
Rick engatinha a escopeta
Rick:
- será que ela vai aparecer.
Jaqueline:
- será que ela vai ficar visível para nós.
Rick:
- duvido que ela facilite.
Jaqueline:
- você acha que vai ser como naquele filme que vocês falaram?
Rick:
- “o predador”?
Jaqueline:
- este mesmo.
Rick:
- não posso afirma nada.
Jaqueline:
- ei urano.
Urano:
- o que foi?
Jaqueline:
- se você ver ela você avisar.
Urano:
- não se preocupe.
Jaqueline:
- que deus nos ajude.
Urano:
- deus nos ajude nessa batalha.
Jaqueline:
- você é cristão?
Urano:
- o que?
Ramos:
- deus em latim é Zeus.
Jaqueline:
- ah.
Rick fica olhando ao redor
Rick:
- você seja lar quem for apareça.
Jaqueline:
- APAREÇA SUA BRUXA FEIA.
Urano:
- é melhor você retirar o que disse se não ela realmente vai se irritar com você.
Jaqueline:
- por que?
Urano:
- elas levam o assunto da beleza muito a sério.
Urano dar uma pequena respirada
Urano:
- eu diria sério demais.
Jaqueline:
- ESTAR ME OUVINDO SUA BRUXA.
A Jaqueline se afastar um pouco
Jaqueline:
- EU NÃO TENHO MEDO DE VOCÊ.
Jaqueline se afastar cada vez mais
Urano olhar para os lados
Urano:
- ou droga.
Rick:
- o que foi?
Urano dar uma pequena corrida
Quando parar olhar de um lado para o outro
Urano:
- eu a perdi.
Rick:
- O QUE?
Rick dar uma pequena corrida
Quando parar olhar de um lado para o outro
Rick:
- JAQUELINE.
Rick bate o pé no chão
Rick:
- onde aquela idiota se meteu.
Ramos:
- JAQUELINE.
Urano:
- ela definitivamente estar aqui.
Rick:
- a sua mãe?
Urano:
- exato.
Urano entrar mais na floresta
Urano:
- NÃO ENCOSTE NELA SUA DESGRAÇADA.
Urano entrar mais na floresta
Urano:
- VOCÊ ESTAR ME OUVINDO.
Urano dar uma pequena respirada
Urano:
- NÃO ENCOSTE NELA.
Rick:
- vamos Jaqueline apareça.
Urano:
- vamos deixe ela ir.
Urano entrar mais na floresta
Rick:
- Urano não se afaste.
Urano:
- JAQUELINE.
Jaqueline ainda estava andando
Ela olhou em volta
Jaqueline:
- ou droga.
Ela anda mais
Jaqueline:
- OU DROGA.
Jaqueline corre
Jaqueline:
- pessoal.
Corre ainda mais na floresta
Jaqueline:
- PESSOAL.
Uma a risada da gaia fica no ar
Jaqueline:
- ou droga.
Gaia aparece
Jaqueline:
- você pode me ajudar?
Gaia:
- posso.
Jaqueline:
- é que eu me perdi dos meus amigos e...
Gaia:
- a morrer.
Jaqueline:
- ok, isto eu não quero ajudar.
Jaqueline se afastar da Gaia
Jaqueline:
- quem é você?
Gaia:
- eu sou conhecida como gaia.
Gaia dar uma pequena respirada
Gaia:
- mas alguns me conhecem como mãe terra.
Jaqueline:
- ou floresta.
Gaia:
- o que?
Jaqueline:
- é que alguns pensam quem é a floresta que estar trabalhando os trabalhadores e zumbis.
Gaia dar uma pequena risada
Jaqueline:
- que bom que achou engraçado.
Jaqueline se afastar.
Jaqueline:
- eu conheço algumas piadas...
Jaqueline afastar cada vez mais
Jaqueline:
- quer ouvir?
Gaia mostra uma adaga
Jaqueline fica assusta
Jaqueline:
- estou vendo que não.
Jaqueline faz o sinal de saída.
Jaqueline:
- bem é que eu tenho que...
Jaqueline corre
Ela olha para trás enquanto corre
Ela cai
Jaqueline:
- se levantar.
Jaqueline correu
Jaqueline se deparou com a gaia.
Jaqueline:
- meu deus vocês parece o” Jason “ da série “sexta-feira treze”
Jaqueline se afastar
Jaqueline:
- eu acho que você precisa de alguém como ele sabe.
Jaqueline corre
Se deparar de frente com a Gaia
Jaqueline se assustar
Jaqueline:
- você sabe ele defende muito bem o acampamento dele então...
Jaqueline corre de novo
E aparece a Gaia da frente da Jaqueline de novo
Jaqueline:
- ual você é rápida.
Gaia:
- sua morte não será rápida.
Jaqueline:
- eu discordo.
Gaia enfiar a adaga na Jaqueline
Jaqueline olha o sangue
Jaqueline:
- seu puta.
Jaqueline cai no chão morta.
Urano, Rick e Ramos estavam procurando a Jaqueline
Ramos:
- JAQUELINE.
Urano:
- JAQUELINE.
Rick:
- JAQUELINE RAMOS.
Urano e Ramos olham para o Rick
Rick estranha
Rick:
- o que foi?
Urano:
- quantas Jaquelines você acha que estão perdidas na floresta.
Rick:
- nunca se sabe.
Ramos:
- falei que era para ser mente aberta mas não vamos exagerar.
Rick:
- muito engraçado
Ramos:
- eu acho que vi uma coisa.
Ramos corre
Urano:
- espero que não seja...
Ramos ver o corpo de Jaqueline no chão
Urano:
- MALDITA.
Urano bate em uma arvore
Rick:
- droga.
Urano chega perto da Jaqueline
Ele fechar os olhos dela
Ele coloca duas moedas nos olhos dela
Urano:
- entregues para o barqueiro.
Urano fica com um minuto de silêncio
Urano se levantar
Urano:
- Ramos.
Ramos:
- sim.
Urano:
- eu te mato se você cair na dela de novo.
Ramos:
- entendi a mensagem.
Urano:
- gostaria de pensar que sim.
Rick:
- por que ela não transformou ela em zumbi.
Rick respirou um pouco
Rick:
- como fazia com os outros.
Urano:
- por que vocês estavam sobre a minha proteção.
Rick:
- ela só tem como opção nos matar.
Urano:
- não.
Rick:
- quais são as outras.
Urano:
- cair nos encantos dela.
Urano andar um pouco
Urano:
- ou em outras palavras fazer sexo com ela.
Rick:
- entendi.
Urano olhar ao redor
Urano:
- ela deve estar perto.
Rick apontou a escopeta para a floresta
Rick:
- sua arma tem que ser divina para fazer realmente algum estrago.
Rick:
- eu não vou desistir sem lutar irmão.
Rick e Urano apertão as mãos
Urano:
- se você morrer vai para um bom lugar.
Rick:
- fico feliz em saber disso.
Ramos:
- GAIA.
Urano:
- GAIA.
Rick:
- GAIA.
Ramos:
- venha estar aqui.
Rick:
- VENHA.
Urano:
- VENHA SUA DEUSA DE ARAQUE.
Ramos:
- estamos esperando.
Rick:
- eu tenho um presente para você.
Ramos:
- venha covarde.
Urano:
- VENHA.
Gaia aparece na frente deles
Gaia:
- não precisar gritar.
Rick dar um tiro da gaia
Gaia cai no Chão
Rick pula de alegria
Rick:
- não acredito que foi tão fácil.
Urano:
- Ramos.
Ramos foi até a Gaia
Ramos apontou o machado
Ramos:
- que tudo isso acabe.
Ele acerta um tronco de arvore
Ramos:
- CUIDADO.
Rick:
- ou droga.
Urano:
- venha.
Rick:
- você quer uma arma?
Urano olhar sério por Rick
Rick:
- me esqueci você tem os seus poderes.
Urano:
- isto já basta.
Rick:
- pelo menos você tem vantagem das grandes.
Rick fica olhando ao redor
Rick:
- ela tem que pagar pela Jaqueline.
Urano:
- não poderia concorda mais.
Ramos ficava andando
Urano:
- tomara que o moleque preste atenção.
Rick:
- você coloca sua fé nele.
Urano:
- ele nasceu para isto.
Rick:
- tomara.
Urano:
- só que as vezes não nos preparamos para que nascermos.
Rick fica sozinho na floresta
Rick:
- Urano.
Rick andando cuidadosamente
Rick:
- Urano cadê você?
Rick ficava olhando em volta
Rick:
- droga isto não é momento para desaparecer.
Rick andar mais um pouco
Rick:
- URANO.
Rick estava ficando com raiva
Rick:
- devíamos queimar toda estar floresta
Gaia dar um golpe com a adaga no ombro de Rick
Rick gritar de dor
O Rick cai no chão
Rick:
- droga.
Rick fica se arrastando
Rick:
- sua maldita.
Rick olhou em volta
Rick:
- cadê você.
Rick ficava apontado a escopeta
Rick:
- venha para cá.
Rick se levantou
Rick:
- você tem sido uma péssima mãe para o seu filho.
Rick dar um sorriso
Rick:
- ele tem até um machado esperando por você.
Rick ficava olhando para ver se via
Rick:
- eu tenho que dizer, isto é que é irritar alguém.
Gaia ataca com adaga nas costas do Rick
Rick se vira
Não consegue ver ela.
Rick:
- covarde.
O Rick ficou andando.
Rick:
- você é uma deusa e ataca as pessoas pelas costas.
Rick dar uma risada
Rick:
- que tipo de deusa é você.
Rick dando mais risada
Rick:
- umas das piores isto é certeza.
Gaia aparece na frente do Rick
Gaia:
- você tem coragem de atirar numa mulher.
Rick:
- não.
Rick atira de escopeta da Gaia ela se afastar
Rick faz sinal de não com a cabeça
Rick:
- eu não teria coragem.
Rick para um pouco
Rick:
- como você é uma deusa.
Rick atira na gaia de novo
Rick:
- e como vocês quer nos matar.
Rick atira na Gaia de novo
Rick:
- por isso eu abro uma exceção.
Rick atira mais uma vez em Gaia
Rick dar um piso forte no chão
Rick:
- é...
Rick se aproxima dela
Rick:
- é só isto que tenho a dizer.
Rick atira mais uma vez em gaia
Rick:
- vá para o inferno ou alguma coisa parecida.
Gaia:
- você acha que as armas mortais podem me ferir.
Rick dar uma risada
Rick:
- não.
Gaia:
- por que ainda tentar?
Rick:
- por que?
Rick dar uma respirada
Rick:
- por que eu não vou deixar que você me leve tão fácil.
Gaia:
- pare de lutar.
Rick:
- eu paro.
Gaia:
- ótimo.
Rick:
- se você parar com essa palhaçada que estar fazendo.
Gaia:
- estou defendendo o que crio.
Rick dar risada
Rick:
- e você achar que me importo;
Gaia:
- você ainda vai lutar.
Gaia abaixar a cabeça
Gaia:
- que pena.
Rick:
- não sinta.
Rick faz cara de raiva
Rick:
- tomara que você sofra pelo que fez com meus amigos.
Gaia:
- pobre coitado.
Rick:
- sabe de uma coisa.
Gaia:
- o que?
Rick:
- FODAR-SE.
Gaia se aproxima de Rick
Gaia:
- você vai se arrepender de ter dito isso.
Gaia enfiar a adaga na barriga
Rick atira na mão na Gaia
A adaga cai
Gaia:
- maldito.
Rick dar um sorriso
Pega a adaga
Enfiar na barriga da Gaia
Ele ver o sangue da Gaia
Rick dar um sorriso grande.
Gaia:
- seu maldito.
Rick fica de joelhos
Urano aparece
Urano:
- RICK.
Urano corre em direção ao Rick
Urano:
- como você estar cara.
Rick:
- feliz.
Rick cospe sangue
Rick:
- muito feliz.
Urano:
- só pode estar louco.
Rick:
- eu conseguir.
Urano:
- o que?
Rick:
- que ela não me matar-se com facilidade.
Urano:
- vamos resista irmão.
Rick:
- não vou resistir por muito tempo.
Urano:
- você fez alguma coisa com ela.
Rick deita no chão
Urano:
- Rick.
Rick:
- eu vou ver a Jaqueline?
Urano:
- sim.
Rick:
- que bom.
Urano:
- Hades não o leve ainda.
Urano chora
Urano:
- por favor demore a sua ida para encontrar o barqueiro.
Rick:
- eu vou estar te esperando do outro lado.
Urano:
- vamos espere.
Rick morre.
Urano dar um Grito forte
Urano:
- VOCÊ MATOU MEUS AMIGOS.
Urano se lembrar do rosto de Jaqueline
Urano:
- Jaqueline.
Urano se lembrar do rosto de Diego
Urano:
- Diego.
Urano se lembrar do rosto de Lucina
Urano:
- Luciana.
Urano segurar o Rick
Urano:
- adeus amigo.
Urano olhar para cima
Urano:
- vou estar esperando vocês do outro lado.
Urano dar um soco no chão
Urano:
- isto eu prometo.
Urano coloca as moedas no olho de Rick
Urano:
- não se esqueça de entregar as moedas.
Urano se levantar.
Urano:
- GAIA.
Urano andar um pouco
Urano:
- GAIA.
Urano bate na arvore
Urano:
- apareça.
Urano continuava andando
Urano:
- quero que apareça.
Urano olhava para os lados
Urano:
- APAREÇA VADIA.
Urano continuava procurando
Urano:
- CADÊ.
Urano:
- EU NÃO VOU TE PERDOAR POR ISSO.
Urano andar mais um pouco
Urano:
- ESTAR ME OUVINDO.
Urano andar mais um pouco
Urano:
- NÃO VOU TE PEDOAR POR ISSO.
Ramos ver o Urano
Ramos chegar perto de Urano
Ramos:
- por que você estar gritando;
Urano:
- ela matou os meus amigos.
Ramos:
- eram seus amigos mesmos ou marionetes.
Urano:
- no inicio da vida deles...
Urano fica um pouco calado
Urano:
- eles eram marionetes mas eu dei liberdade a eles.
Um raio cai no chão
Revelar-se uma espada
Urano pega uma espada
Ramos:
- que espada é essa.
Urano:
- é dos velhos tempos.
Urano anda mais um pouco
Urano:
- quando eu me aventurava aqui.
Ramos:
- bem veio acanhar.
Urano:
- obrigado Deus por me dar a minha espada de volta.
Ramos fica olhando ao redor
Ramos:
- me diga o que ela fez.
Urano:
- matou meus amigos.
Ramos:
- não, não é isso.
Urano:
- o que então?
Ramos:
- antes de você vim para cá.
Urano:
- não consigo dizer.
Ramos:
- sei segredo estar a salvo comigo..
Urano:
- enquanto transava com ela meu filho Cronos cortou meu...
Urano fica um pouco calado
Urano:
- meu “instrumento” enquanto ainda estava nela.
Ramos:
- por que não se vingar dele.
Urano:
- foi ela que deu o que corta.
Ramos:
- isto deve ter duido.
Urano olhar com raiva para o Ramos
Ramos:
- ual eu também ficaria com raiva.
Urano:
- nem me fale.
Ramos:
- por que demorou tanto para encontrar-la.
Urano:
- não é primeira vez que eu enfrento ela.
Ramos:
- o que?
Urano:
- quando um elemento do céu atinge a terra destruindo arvores, é quando nos encontrarmos e batalharmos.
Ramos:
- todos os desastres naturais.
Urano:
- normalmente por que um deus estar com raiva do outro.
Ramos:
- isto explica muita coisa.
Urano:
- mas ela sempre fugia.
Ramos:
- e desta vez você quer machucar ela de vez.
Urano:
- você também não quer.
Ramos:
- sim ela machucou os meus amigos.
Urano:
- onde estar ela.
Ramos:
- quem você achar que ela vai atrás.
Urano:
- você.
Ramos:
- acha mesmo?
Urano:
- é 50% de chance de eu errar.
Ramos:
- certo.
Ramos olhar ao redor
Ramos:
- vamos apareça.
Urano:
- estamos aqui.
Ramos:
- e não tem mais ninguém.
Ramos olhar em volta
Ramos:
- que droga.
Ramos estar sozinho
Ramos:
- urano.
Ramos andar mais pouco
Ramos:
- Urano cadê você.
Ramos andar mais um pouco
Ramos:
- droga eu sou o próximo.
Ramos olhar por machado
Ramos:
- isto não é um sonho.
Ramos taca um machado em uma arvore
Ramos:
- EI.
Ramos ataca mais uma vez a arvore
Ramos:
- ESTOU AQUI.
Ramos ataca mais uma vez a arvore
Ramos:
- ESTOU ATACANDO A SUA...
Ramos dar mais uma machadada na arvore
Ramos:
- MALDITA FLORESTA.
Ramos dar outro machadado na arvore
Ramos:
- VENHA.
Urano fica olhando em volta
Urano ver a Gaia
Ver que estava passando uma flor na barriga
Urano:
- belo presente de Rick.
Gaia olhar por Urano:
Gaia:
- ola filho.
Urano:
- ola Gaia.
Gaia:
- a quanto tempo;
Urano:
- eu não sei dizer.
Gaia:
- você quer mesmo me ferir.
Urano:
- você não imagina quanto.
Gaia:
- você não pode se envolver com os humanos.
Urano:
- você sabe que Deus se envolvia.
Gaia:
- ele sempre cometia erros.
Urano:
- ele parecia gostar dos erros.
Gaia:
- eu o criei mal.
Urano:
- não posso dizer que você me criou bem também.
Gaia:
- pelo amor dos deuses.
Gaia levantar as mãos
Gaia:
- você não ver que eu te criei bem.
Urano:
- eu estava errado em te maltratar.
Gaia:
- finalmente você desistiu.
Urano:
- ninguém vai mais atacar a floresta.
Gaia:
- estou feliz que tenha aprendido.
Urano se aproxima de Gaia
Urano:
- é eu aprendi.
Gaia:
- venha meu filho.
Urano se aproxima de Gaia
Gaia:
- nunca estive tão feliz.
Urano abraça Gaia
Gaia:
- finalmente paz.
Urano:
- é.
Urano enfia a espada no peitos de Gaia
Urano retira a espada
Gaia se afastar
Fico horrizada com que ele fez
Gaia:
- como?
Urano:
- este TRUQUE.
Urano se aproxima de gaia
Urano:
- eu aprendi com uma amiga.
Urano ataca com a espada
A Gaia esquiva
Urano:
- que você matou.
Gaia:
- como você pode me enganar assim.
Urano:
- me lembro muito bem de como você me enganou.
Urano ataca com a espada
Gaia defende o golpe
A Gaia ataca com a adaga
O urano defende o golpe com a espada.
Urano:
- você ficou fraca neste tempo todo.
Gaia:
- ainda estou aqui.
Urano:
- mas perdendo a importância...
Urano empurra a gaia
Ela cai no chão
Urano:
- fica diminuindo;
Gaia:
- você não ver que termos que ficar juntos.
Urano se aproxima de Gaia
Gaia de levantar
Urano com a espada
Gaia caiu
O golpe com a espada atinge uma arvore
Urano tem dificuldades de tirar a espada
Gaia ataca com a adaga
Urano fica desviando dos golpes
Gaia sente uma ventania
Gaia se protege ficando atrás de uma arvore
Urano tentar tirar a espada
Com o ultimo esforço consegue
Urano olhar para Gaia
Gaia fica prestativa
Gaia fica olhando para o Urano
Urano apontando a arma para ela
Ela ataca com a adaga
O Urano esquiva
Urano ataca com a espada
Gaia defende o golpe
Urano vai dar outro golpe
Ele tropeça em uma planta
Urano fica girando para um lado
A gaia tentando atingir ele com uma adaga
Urano parou
Gaia estava bem na frente dele
Gaia atacou com a adaga
O urano atacou com a espada
O golpe atinge o braço de Gaia
Urano fica dando espaço
Urano ataca com a espada de novo
Gaia defende o golpe
Gaia sente as dores dos golpes
Urano enfia a espada na gaia
Ela se demonstrou ser um pedaço de madeira
Urano dar uma respirada
Urano olhar ao redor
Gaia estava tomando fôlego atrás de uma arvore
Urano atacou a arvore que Gaia estava escondida
Gaia se afasta
Urano das outros golpes com a espada
Ela defende os Golpes com a Adaga
Ela enfia a adaga no joelho de urano
Urano gritar de dor
Urano olhar com raiva para gaia
Ele a joga em arvore
Urano fecha os olhos
Começa a chover
Um raio atinge uma arvore
A arvore pega fogo
A Gaia fica desesperada
Ela Olhar com raiva para o filho
Gaia ataca com a adaga
Urano fica defendendo os golpes com a adaga
Gaia empurra o Urano para uma arvore
Um galho atravessa o ombro de Urano
Urano olhar para o ombro
Ele fica sentindo a dor
Quando ele estar saindo
Gaia enfiar a adaga no joelho de Urano
Urano enfoca a Gaia
Gaia tentar se afastar
Urano enfiar a espada na barriga de Gaia
Gaia sente a dor
Urano estava cada vez mais a espada
Ela segurou a mão de Urano
Ficou retirando a espada.
Urano dar um soco em Gaia
Gaia retira a espada
Gaia:
- estava mirando alto demais.
Ela olhar para o Urano:
- devia ter atacado aqui.
Gaia enfiar a adaga no meio das calças de Urano
Gaia:
- faz te lembrar os velhos tempos.
Urano cai no chão
Gaia:
- muitos anos de diferença.
Gaia dar uma pequena respirada
Gaia olha em volta
Gaia:
- e tudo isso para quer?
Ela dar um pequeno sorriso
Gaia:
- para você ter o mesmo resultado.
Gaia fica olhando para o céu
Gaia:
- tenho pena de você filho.
Gaia olha para Urano
Gaia:
- pelo visto não te ensinei muita coisa.
Gaia retira a Adaga
Gaia:
- agora fique ai e não faça nada.
Urano:
- mal...
Urano cospe sangue
Urano:
-dita.
Gaia:
- fique quieto querido.
Gaia andar ao redor de Urano
Gaia:
- desta vez não tenho filhos dentro de min.
Gaia olha para frente
Gaia:
- eu não tenho filhos na barriga agora.
Gaia andar um pouco
Gaia:
- mas você ainda tem uma peça ai fora.
Urano tenta se levantar mas não consegue
Gaia:
- infelizmente as minhas peças não serão fortes o suficiente.
Urano:
- você não vão sair desta bem.
Gaia dar uma risada
Gaia:
- tolo.
Ela dar um sorriso pequeno
Gaia:
- você não ver.
Gaia olhar para o Urano
Gaia:
- já estou me saindo.
Gaia olhar para frente
Gaia:
- hora de acabar com este jogo.
Ramos estava andando
Ramos:
- choveu pouco.
Ramos fica de cabeça baixa
Ramos:
- ela deve ter ido atrás de Urano.
Ramos anda mais um pouco
Ramos:
- será que ele conseguiu o que queria.
Ramos olhar para o machado
Taca uma machadada numa arvore
Ramos:
- bem...
Ramos andar mais um pouco
Ramos:
- caso ela venha estarei pronto.
Ramos andar mais
Ramos:
- VOCÊ ME OUVIU...
Ramos dar mais uma machada numa arvore
Ramos:
- Estou pronto.
Ramos ver a Gaia
Ramos:
- finalmente.
Ramos vai em direção a ela.
Gaia:
- desta vez não é sonho.
Ramos:
- desta vez eu posso realmente perder algo.
Gaia:
- não seja como os outros.
Ramos:
- Urano me avisou sobre você.
Gaia:
- tenho certeza disso.
Ramos:
- eu estou pronto.
Gaia:
- não queria de outro modo.
Ramos:
- é assim que tem que acabar as coisas.
Gaia dar um sorriso
Ela se esconde atrás de uma arvore
Ramos segue ela
Gaia:
- Vamos me mostre guerreiro.
Gaia se aproxima de Ramos
Ramos prepare-se para atacar
Gaia vai divagar
Gaia:
- você não precisa de grosso comigo.
Ramos:
- você matou meus amigos.
Gaia:
- você sabe que eu gosto de você.
Ramos:
- você não vai me enganar.
Ramos se afastar
Ramos:
- não vou cai nos seus encantos.
Gaia dar um sorriso
Gaia olhar para cima com as mãos no peito
Gaia:
- desta vez.
Ramos:
- o que?
Gaia:
- você promete que não vai cair no meu encanto desta vez.
Ramos:
- eu nunca cair.
Gaia:
- oh querido.
Gaia chega perto de Ramos
Gaia:
- oh meu querido, você caiu muitas vezes.
Ramos se afastar
Ramos:
- não.
Gaia:
- você não tem culpa.
Gaia passa a mão no rosto de Ramos
Ramos pega a mão de gaia
Ramos:
- tudo isto é uma loucura.
Gaia:
- venha.
Ramos se afastar um pouco dela
Ramos lembra da Jaqueline
Ramos:
- você não precisava matar ninguém.
Gaia:
- se você souber-se as decisões que tenho que tomar.
Ramos:
- não posso deixar...
Ramos se afastar da Gaia
Ramos:
- você se sair impune.
Ramos quando se afastou bateu em um galho
Ramos caiu
Ramos imediatamente olhar para a Gaia
Ramos segurar bem forte o machado com as mãos
Ramos se levantar
A Gaia estar perto de Ramos de novo
Gaia:
- por que resistir por uma coisa que você quer tanto.
Ramos:
- por que é errado.
Gaia:
- estar é a coisa mais natural do mundo.
Ramos:
- eu sei do que você achar natural.
Ramos se afastar de Gaia
Gaia:
- você quer fazer este jogo para sempre.
Ramos:
- não.
Gaia da um sorriso
Gaia andar um pouco para as arvores
Gaia:
- percebo o que acontece.
Ramos desviar o olhar dela
Ramos:
- você não faz idéia.
Gaia dar uma respirada
Depois dar uma risada
Gaia:
- sim.
Ramos para ela
Ramos tentar se afastar
Ramos:
- quando estar loucura vai ter fim.
Gaia abraça o Ramos
Gaia:
- você decidir.
Ramos segura a mão de gaia
Ramos beija a mão de Gaia
Ramos:
- você vai parar o que estar fazendo?
Gaia:
- eu achava que você estava gostando?
Ramos dar uma respirada
Ramos olhar para ela
Ramos:
- eu não quero dizer isto estou dizendo a escravizar deste jeito as pessoas.
Gaia passar a mão no rosto de Ramos
Gaia dar um beijo na boca de Ramos
Gaia dar um sorriso
Gaia:
- você estar dizendo deixar menos evidente a escravidão.
Ramos passa a mão no braço da Gaia
Ramos:
- estou dizendo liberta de vez.
Gaia:
- nunca poderia fazer.
Ramos dar dois passos para trás
Gaia abraça mais forte o Ramos
Gaia:
- por que resiste?
Ramos:
- por que você prejudica o meus irmãos.
Gaia:
- esteja do meu lado.
Gaia dar um beijo mas demorado no Ramos.
Gaia:
- entendo por que o Deus se envolvia tanto com os mortais.
Ramos dar um beijo na Gaia
Gaia dar um sorriso
Os dois se beijam
Ramos:
- não.
Ramos afastar da Gaia
Gaia se aproxima de Ramos
Os dois se beijam
Ramos:
- se eu desistir tudo acaba.
Gaia:
- você estar certo.
Ramos:
- não posso deixar o sacrifício das minhas irmãs e dos meus irmãos serem invão.
Ramos se afastar
Ramos prepara o machado
A gaia tirar a roupa a própria roupa
A mão de Ramos fica trêmula
Ramos:
- isto é jogo sujo.
Gaia se aproxima de Ramos
Gaia:
- é o estilo que você gostar.
Ramos larga o machado
Ramos:
- pense na Jaqueline.
Gaia abraça o Ramos
Ramos:
- droga.
Ramos abraça a Gaia
Ramos:
- não posso depois de tudo.
Gaia:
- você pode é fácil.
Ramos:
- você tem razão.
Ramos beija a Gaia
Os dois se olham por um tempo.
Ramos:
- muito fácil.
Os dois vão para o chão e começam a fazer sexo
Ramos beija muito a Gaia
Os olhos do Ramos estava mudando de cor
Ele beijava ela mais
Os olhos ficaram totalmente vermelhos
Gaia:
- Tudo acabou.
Urano:
- concordo.
Urano pega o machado
Urano:
- tudo acaba agora.
Urano corta a cabeça dos dois de Gaia e Ramos
Urano:
- eu lhe disse o que aconteceria.
Urano se afastar
Urano:
- ironicamente você fez o seu destino, você a encontrou e me ajudou a matá-la.
Na sala do Jaime, o Jaime estava no telefone
Urano entrar com o Machado
Jaime:
- você descobriu?
Urano:
- sim.
Jaime:
- o que era?
Urano:
- era a mãe natureza reagindo.
Jaime:
- todos os trabalhadores morreram, inclusive Rick e Jaqueline?
Urano:
- é verdade.
Jaime:
- eu acho que eu deveria parar um pouco de corta a madeireira de lar.
Urano:
- você vai continuar cortando.
Jaime:
- o que estou dizendo eu devo continuar contando.
Urano dar um sorriso e sai na sala e anda no corredor.
Urano narração em of:
- as pessoas devem pensar que isso nunca acontece, na verdade acontece mais do que elas pensam, só que muitas vezes na forma indireta, quando poluem o rui é algum deus com raiva do poseidon, ou quando poluem os céus é alguém com raiva de min, e os que protegem o mar e os céus também servem a nós.
Urano olhar para trás
Urano narração em of:
- o engraçado é que as pessoas sabem que existe formas de vidas superiores as delas, mas na hora de culpar não pensam duas vezes e culpam a se mesmas, estranho né?







FIM