terça-feira, agosto 30, 2011

star monster ep:31

a fumaça desaparece andré com o ombro machucado
também mostra traidents todo machucado
sombrati:
- não acredito que os dois ainda estejam em pé.
zebrate:
- droga.
zebrate estava vendo a situação dos dois.
zebrate:
- espero que o traidents não consiga mais lutar.
rodrigo:
- vamos cara não deixe que vença.
traidents:
- você estar morto.
andré fica sem responder.
traidents:
- sabia.
zebrate:
- droga.
traidents começa a andar em direção aos outros.
andré:
- a onde vai?
traidents olhar para o andré.
traidents:
- estou surpreso que você ainda esteja vivo.
andré:
- não esteja.
traidents abre a mão e aponta para o andré.
andré:
- sim você tem uma mão.
traidents:
- o que?
traidents olhar para a mão.
traidents:
- não acredito estou muito fraco.
andré:
- isso eu já sabia.
traidents:
- droga este desgraçado meu deixou muito fraco.
traidents começa a andar.
zebrate começa a energizar o poder.
andré:
- NÃO.
zebrate:
- o que?
andré:
- a luta não acabou.
zebrate:
- você já fez o suficiente.
andré:
- eu disse não.
zebrate:
- eu posso acabar com ele.
andré:
- DEIXE COMIGO.
zebrate:
- você não vai conseguir.
andré:
- no nível que eu estou vou acabar com você.
traidents:
- não tente me defender.
andré:
- não estou defendendo você.
traidents:
- então o que?
andré:
- estou defendendo a minha luta.
zebrate:
- a luta acabou.
andré:
- lance alguma coisa e eu marto você.
zebrate:
- seu desgraçado.

traidents:
- acho engraçado que você ainda acha que pode me vencer.
andré:
- eu não acho.
andré cospe sangue
traidents:
- estou vendo que você ainda pode me derrotar!
andré:
- mesmo se eu tiver-se sem os meu dois braços acabaria com você.
traidents chega perto de andré
traidents dar um soco no andré
andré revida e dar outro soco
traidents dar outro soco
andré dar outro soco
o braço de andré doi
traidents soca o braço machucado
andré gritar de dor
andré dar soco na cara de traidents
traidents dar um soco na barriga de andré
andré dar um soco na barriga de traidents
traidents se afasta um pouco
andré se apróxima
andré dar mais dois socos
traidents acerta as costelas de andré
andré acerta as costelas de traidents
traidents dar mais 3 socos
andré dar mais soco
traidents dar mais 3 socos
andré dar mais 5 socos
traidents cospe sangue
andré dar dois socos na barriga de traidents
traidents afasta um pouco
andré dar mais dois socos
traidents desequilibrar.
andré se aproxima mais um pouco
andré dar uma cabeçada no peito de traidents
traindes dar um chute
andré defende com as mãos
traidents dar um soco na ferida de andré
andré dar mais 3 socos
traidents dar mais 5 socos
andré dar mais 10 socos
traidents dar um chute
o chute acerta a barriga de andré
andré desequilibrar
traidents andar mais um pouco
andré dar mais 5 socos
traidents dar mais 2 socos
traidents se aproximar para dar mais um soco
traidents dar um soco.
andré segura o golpe
andré:
- eu disse que estava pronto para te vencer.
traidents:
- você não tem forças.
andré:
- é ai que você se engana.
traidents:
- o que?
andré:
- agora você vai pagar.
traidents:
- mentira.
andré:
- esse é pelo meu professor.
andré fecha os olhos.
andré:
- me desculpe, jéssica.
andré estica bem os braços
uma energia começa a aparecer no braço de andré
andré:
- adeus.
uma lagrima cai dos olhos andré
andré:
- EXPLENDOR VERMELHO.
um grande poder vermelho aparece
traidents:
- NÃO.
o poder acerta o traidents
acontece uma grande explosão
depois da fumaça aparece o traidents caído
o andré também estava caído
rodrigo ver o andré
rodrigo:
- AAANDRÉ.
rodrigo corre em direção ao andré.
rodrigo:
- ele não consegue se mover.
zebrate:
- voltar ao normal.
sombrate:
- voltar ao normal.
eles voltam na forma de charle e alan
os dois correm direção ao andré
charle:
- andré.
o cabelo do andré voltou a cor normal.
charle:
- termos que ajudar-lo.
alan:
- você consegue se transforma.
rodrigo:
- eu ainda não consigo.
alan:
- que droga precisamos levar-lo rápido.
charle olha para trás
charle:
- nós termos que levar-lo.
rodrigo:
- mas é claro ele é nosso amigo.
charle:
- não estou falando dele.
rodrigo:
- de quem você estar falando?
charle aponta para o traidents
rodrigo:
- não sei.
alan:
- eu acho muito arriscado.
rodrigo:
- ele pode querer matar todo mundo.
charle:
- você acha que eu não sei disso.
rodrigo:
- então.
charle:
- as nossas Stars lutaram para salvar a vida dele.
rodrigo:
- ainda acho muito arriscado.
Alan:
- vamos levar-lo.
rodrigo:
- não, estou gostando disso.
alan:
- eu muito menos.
charle:
- devemos isso pelas nossas stars.
rodrigo:
- mesmo não gostando disso vocês tem razão.
alan:
- vamos levar-lo.
charle corre em direção ao tridents
charle:
- vamos.
no hospital, alan, rodrigo e charle estavam na sala de espera.
alan:
- ele não pode fazer isso.
charle:
- vamos cara não morra.
alan:
- ele não pode fazer isso com a minha irmã.
jéssica chega na sala de espera
jéssica estava chorando
jéssica:
- como ele estar?
charle:
- ainda não sabermos.
jéssica:
- quem venceu?
alan:
- conseguirmos vencer a luta.
jéssica:
- ele não pode morrer.
alan:
- um lixo como ele.
alan dar uma respirada forte na parede.
alan:
- se sacrificando para salvar o planeta.
jéssica deu um tapa no alan
jéssica:
- por favor.
jéssica chorando.
jéssica:
- pare de falar mal dele por um momento.
charle:
- ela tem razão.
rodrigo estava chorando.
rodrigo:
- vamos amigo.
charle:
- melhore.
jéssica:
- ele não pode morrer.
alan:
- você é um desgraçado mais não merece morrer ainda.
um médico aparece na sala.
médico:
- ele ainda estar instável mais vais ser transferido para o quarto.
jéssica:
- obrigado pela noticia.
o médico saiu.
rodrigo:
- desgraçado.
charle:
- o que foi?
rodrigo:
- aquele ultimo golpe.
charle:
- sim.
rodrigo:
- aposto que desde o inicio, que ele não aguentaria.
charle:
- não podermos afirma nada.
rodrigo:
- por que você fez isso.
um tempo depois a jéssica entrou no quarto onde estava o andré.
jéssica:
- andré.
jéssica segurou as mãos do andré
jésssica:
- por favor melhore.
jéssica estava chorando
alan:
- vamos melhore.
rodrigo:
- vamos.
charle:
- acorde logo.
tridents se apróxima
alan:
- o que?
tridents ver a situação
tridents:
- devo ajudar-lo.
tridents se aproximou de andré
tridents:
- devo a ele pela ajudar.
tridents soltava um raio amarelo
tridents:
- ele tem que se recuperar.
jéssica:
- vai ajudar-lo?
tridents:
- eu tenho.
o tridents não parava de soltar o raio
tridents:
- ele vai conseguir defender as minhas criaturas melhor do que eu.
jéssica:
- vamos andré abra os olhos.
andré abre os olhos.
jésssica abraça o andré com força.
andré retribui o abraço.
andré:
- me desculpe.
jéssica:
- o que?
andré:
- eu usei um poder que extrapolaria meus limites.
jéssica:
- nunca mais faça isso.
andré:
- no final um pensamento foi o mais forte.
jéssica:
- qual?
andré:
- o pensamento de estar com você.
os dois se beijam na boca.
andré olhar para o tridents
andré:
- quem é você mesmo?
tridents:
- me chamo tridents.
andré:
- aquele erá o seu irmão?
tridents:
- sim.
andré:
- vai tentar alguma vingança.
tridents:
- você já me ajudou na minha vingança.
andré:
- fico feliz em saber disso.
tridents sai andando
tridents:
- tenho quer ir.
andré:
- ei.
tridents:
- o que foi?
andré:
- eu sei que você me ajudou.
tridents:
- é verdade.
andré:
- mais.
andré dar uma respirada.
andré:
- se você ameaçar a terra de novo eu te marto.
tridents:
- justo.
tridents sai da sala.
jéssica:
- você não acha que foi meio rude.
andré:
- ele é o motivo dos problemas.
jéssica:
- não sabia.
andré:
- agora você pode ficar tranquila.
jéssica:
- se você diz.
andré:
- como você estar?
jéssica:
- feliz que você esteja vivo.
jéssica abraça o andré
ela fica chorando.
andré:
- o que foi?
jéssica:
- nunca mais faça isso.
andré:
- eu prometo.
jéssica se afasta um pouco
jéssica:
- verdade.
andré:
- verdade.
os dois se beijam.
numa tela de computador mostrando a terra
uma pessoa com cabelo verde, com uma roupa branca.
pessoa#1:
- estranho.
outra pessoa com os mesmo uniforme, com cabelo verde se apróxima.
pessoa#2:
- o que foi?
pessoa#1:
- recebermos um sinal do planete de repouso.
pessoa#2:
- como assim.
pessoa#1
- alguém chegou no mesmo nível de um guerreiro.
pessoa#2:
- nós termos que trazer ele para cá.
pessoa#1:
- vou enviar pessoas.
pessoa#2:
- vou começar os telefonemas.
mostrando na tela a imagem da terra.
na sala do hospital
alan:
- que susto.
andré:
- o que?
alan:
- que susto você nos deu.
andré:
- não vou fazer mais isso.
alan:
- o que?
andré:
- lutar arriscando a vida.
rodrigo:
- nós sabermos como você é?
charle:
- você ainda vai lutar.
jéssica:
- não tente incentivar.
charle:
- você sabe qual é natureza dele.
jéssica:
- não digam isso.
andré:
- desta vez é diferente.
rodrigo:
- por que?
andré:
- por que agora tenho um outro objetivo.
rodrigo:
- qual é o seu novo objetivo?
andré:
- lembrar as pessoas.
jéssica:
- lembrar do que?
andré:
- do que elas se esqueceram.
uma energia sai da mão de andré
jéssica:
- meu deus.
alan:
- ainda não entendo.
andré:
- eu tenho que ensinar as pessoas.
andré faz o poder desaparecer
andré:
- a origem delas.
jéssica:
- como você consegue?
andré:
- é essa a questão.
jéssica:
- o que?
andré:
- você também pode.
jéssica:
- isto eu não consigo.
andré:
- todos os seres humanos conseguem.
rodrigo:
- e a historia do cabelo verde.
andré:
- isto eu não sei.
charle:
- parece "dragon ball"
andré:
- eu adoro este desenho.
charle:
- você é agora um super terráqueo.
andré:
- gostei da comparação.
alan:
- você vai ensinar as pessoas.
andré:
- sim.
Rodrigo dar risada.
rodrigo:
- você só pode estar brincando.
andré:
- o que foi?
rodrigo:
- você como professor.
um médico aparece na sala.
médico:
- vocês viram uma alienígena verde.
andré:
- não.
jéssica:
- não.
alan:
- não.
charle:
- ele erá pequeno?!
médico:
- erá do tamanho de pessoa normal.
charle:
- não, este não vi!
médico:
- isto não tem graça.
o médico sai da sala.
rodrigo:
- mais você vai ser professor.
andré:
- tenho que lembrar as pessoas.
rodrigo:
- ao menos você vai ter alguma prova.
charle:
- se não ia pagar de maluco.
jéssica:
- é sério.
andré:
- sim.
jéssica:
- estou feliz que você não vai mais lutar.
andré:
- ei, Rodrigo, Charle e alan.
charle:
- o que?
andré:
- vocês podem me dar um tempinho?
charle:
- sim.
os três sairam da sala
andré:
- sabe, amor.
jéssica:
- o que?
andré:
- eu estava em jupter por um ano.
jéssica:
- eu sei.
andré:
- tem uma coisa que eu não faço a muito tempo.
andré beija a jéssica.














Nenhum comentário: