sexta-feira, janeiro 31, 2014

O homem de preto na estação de trem

O home de preto, estava sentado num banco de estação de trem, ficava vendo o tempo passar, ele não saia de lar, algumas pessoas o estranhavam porque ele não ia para nenhum trem só simplesmente, ficava sentado lá.
Uma mulher vai em direção a ele e pergunta.
- Me desculpe senhor, mas o que você esta fazendo? -disse a mulher.
- Estou aqui esperando o meu trem.
- Você sabe qual é o seu trem.
- Eu sei exatamente qual é o trem.
- Ele ainda não chegou?
- Ele vai chegar no seu próprio tempo.
- Não acha que esse trem esta muito atrasado.
- Na verdade não, fui eu quem me adiantei, o trem vai chegar, entenda, eu tenho muita paciência.
Eles ouvem o trem se descarrilhando e destruindo tudo.
- O trem chegou - disse o homem de preto.
Das costas dele apareceram duas assas pretas.


                                                      FIM 

quinta-feira, janeiro 30, 2014

Dois problemas.

Douglas junior estava trabalhando tranquilamente na portaria, quando um casal estava se aproximando,os dois eram brancos, usavam roupas normais, estavam chegando perto da portaria, e a mulher estava encostando a mão na parede parecendo que ia vomitar, o rapaz vai na portaria.
- Por favor nos deixe entrar? - disso o rapaz.
- Porque eu faria isso? - disse o porteiro.
- Minha mulher esta passando mal.
- Você conhece alguém nesse prédio?
- Não, mas ela esta passando mal.
- Desculpe rapaz, não a nada que eu possar fazer.
O rapaz e a garota puxam dois revolves.
- Eu vou te dizer o que vai acontecer, você vai abrir a PORRA da porta, vai nos deixar entrar, e eu e a minha namorada vamos roubar todos que moram ai, você me entendeu? - disse o rapaz.
- Entendi.
A porta se abre o Douglas esta com a arma atirou na cabeça da garota, e depois na cabeça do rapaz.
Os dois fizeram isso com sucesso nos outros prédios, mas eles cometeram o erro de enfrentar "o porteiro de ferro".

Historias relacionadas:
O porteiro de ferro

quarta-feira, janeiro 29, 2014

O menino covarde

Numa pequena aldeia no tempo medieval, um garoto erá motivo de piada de todos os garotos e garotas e até adultos o motivo disso, é que ele era conhecido como covarde, o garoto sempre dizia que "gostava de fazer tudo com cuidado não queria correr riscos".
A cidade não apreciava isso, era praticamente conhecido como o covarde da aldeia, até que um dia um lagarto gigante, com dentes enormes, com duas caldas de repente aparece no lugar, ficava destruindo as casas, engolia pessoas vivas, estava destruindo todo o lugar, o garoto pensou"tenho que matar ele, mas não tenho nenhuma arma", mas ele tinha se lembrando de uma espada.
Foi correndo atrás dela, quando voltou para aldeia deu golpes com a espada, a criatura sentiu os golpes, os dois lutaram bravamente e a criatura foi morta, todos na cidade ficaram agredidos pelo rapaz ter salvado a cidade.
Com o tempo esse rapaz se tornou o rei Artur,  e a espada era a própria Excalibur.

                                                                      FIM

terça-feira, janeiro 28, 2014

Estador diferentes

Junior tinha 16 anos e Maria tinha a mesma idade dele, nunca se conheceram pessoalmente, mas por causa do site que tinha uma rede social, os dois se conheceram os dois tinham os mesmos gostos eram perfeitos um para o outro.
Mas os dois moravam em estados diferentes, anos passavam e o amor deles cresciam, cada tinha um emprego na sua cidade, mas os dois não tinham a coragem de morar em outro estado, um dia desse ela disse numa mensagem que"vou dar uma viajada de ônibus depois eu volto" ela disse o horário e tudo.
No dia seguinte o Junior viu uma noticia no noticiário, que o ônibus onde a Maria estava sofreu um grave acidente, não acreditando na noticia ele tentou contacta-la.
Infelizmente sem sucesso dai finalmente criou coragem e foi no estado dela, foi onde ela disse que morava, o desespero era forte, estava começando a chorar, e a Maria abre a porta, no momento de felicidade máxima ele beija ela, o Junior explica o que ele achava que tinha acontecido, e a mulher explica que"Que as passagens haviam acabado e ela teria que ir em outro ônibus, e a casa dela, estava sem internet", depois disso tudo, Junior foi morar com ela, os dois conseguiram empregos, e viveram juntos felizes para sempre.




                                                                      FIM
      

segunda-feira, janeiro 27, 2014

Saiam da frente

Uma gangue de motoqueiros, estavam fazendo a vida das pessoas um inferno, ficava batendo no carros, cada bar que ia causava briga, não se importavam com a vida de ninguém roubavam pessoas, essa gangue eram temida por todos, ficavam roubando fazendo badanagem o líder deles sempre dizia.
- Aqueles que não gostaram de como a gente vive, ou sai da frente porque ira sofrer as consequências.   
Para eles estavam vivendo um paraíso, quando eles estavam na estada de noite, todo eles estavam felizes da vida porque tinham bebido no bar antes,  e causado confusão por lá, estavam na estrada, até que de repente ao redor deles, apareceram várias pessoas com aparecia de mortas com sangue na boca, pegaram todos os membros da gangue, e foram partindo os corpos deles a força, matando todos os membros da gangue, eles se meteram com um grupo de fantasma com o lema"se não gostamos de você iremos te matar".



                                                                  FIM
Historias relacionadas:
A estrada
    

sexta-feira, janeiro 24, 2014

Momento de coragem.

Roberta e Tiago ambos usavam roupas normais, cabelos pretos, estavam em um prédio na casa dela, ela diz:
- Não sei se devemos fica juntos.
- Mas por que? - diz ele.
-  Por que você é muito covarde, você tem medo de tomar uma decisão.
- É que eu sou cuidadoso.
- Me desculpe mas...
O uma parte do teto explode, e a mulher estava muito próximo da janela, o lugar onde a namorada dele estava se quebra e cai do prédio, ele ver uma esfera que caiu do céu com o nome e leu "Zartork", a esfera desaparece e se torna um homem de ferro, não pensou duas vezes pulou do prédio.
Viu a Roberta caindo ele foi na direção dela, pegou ela no ar, e foram em direção ao chão o Tiago transformado aguenta o impacto e ela não sentiu nada, o Tiago diz:
- voltar ao normal.
- O que foi isso? - diz ela.
-  Não sei, ainda não entendi como eu sábia voltar ao normal, me parece que essa esfera, caiu do céu.
Eles vem que a cidade inteira foi atingindo por essas esferas, ela abraça o Tiago.
- Como você sabia que iria aguentar o impacto?
- Eu não sabia, mas quando vi você caindo, e eu estava nessa forma tinha que arriscar, porque eu não posso perder você.
- Esquece o que eu falei, vamos continuar juntos.- dia a Roberta.
- Eu te amo.


                                                                  FIM

quinta-feira, janeiro 23, 2014

Grande ajuda

Valter é um veterinário, erá muito bom no seu trabalho, ele tinha uma ideia fixa que os animais ficam agradecidos pela ajuda dele, um dia ele ajudou uma ave, uma que ele simplesmente viu na floresta caída, imediatamente foi ajudar ela, a ave tinha a asa quebrada,e foi ajudar ela, depois de alguns dias ela voltou ao normal, na asa dela tinha um pequeno aparelho para ajudar a asa a se mover.
Depois de um dia se passou ele viu uma noticia que um avião caiu, depois foi dito que o motivo do acidente foi uma ave, que tinha entrado na turbina da asa, e ele viu numa das imagens que um dos objetos que estavam perto da ave era o aparelho que ele tinha colocado na ave.
E a grande pergunta, se ele não tiver-se ajudado a ave, ela e os passageiros ainda estaria vivos, será que tudo isso foi culpa dele?
Isso o atormentou pelo resto da vida.


                                                               FIM 

quarta-feira, janeiro 22, 2014

A estrada

Eduardo machado estava dirigindo na estrada, tinha ido visitar a casa da família dele do interior do estado, depois ele foi dirigindo direto para casa dele, que por enquanto ainda estava longe, enquanto dirigia ele estava morrendo de sono, estava resistindo, no momento que ele ia dormir no volante.
Milhares de pessoas ensanguentas, com aparência de estarem mortas, ficavam batendo no carro, dele ele não acreditou no que estava acontecendo, quando ele fechou os olhos e abriu de novo, eles não estavam lá, mas os amaçados causado por eles estavam lá, nesse momento saiu o mais rápido dali, e não dormiu até chegar sã e a salvo em casa.


                                                                        FIM 

terça-feira, janeiro 21, 2014

Os três objetos do céu

No tempo de reis, três objetos caíram do céu, e eles caíram na fronteira entre 3 reinos, os três reis mais as pessoas que trabalhavam para eles, foram ver este objetos, quando chegaram perto, viram um pedra de ouro, uma pedra feita de prata e o mais estranhos de todos uma colher.
Cada um deles, ficaram disputando quem ficaria com o ouro, até chegarem a disputa no palitinho, quem tirava o menor ficaria com a colher, quem tirar-se o maior dos palitos, ficaria com o um outro, um membro da guarda-real de um deles, que pegou os palitos, e colocou a mão fechada com os palitos, os três reis jogaram esse jogo.
Com o tempo o rei que ficou  com o ouro, a unica coisa que ele conseguia pensar era na tal pedra de ouro, o mesmo aconteceu com o rei que ficou com a prata, mas o rei que ficou com a colher, ficava mais inteligente todo dia, e o reino dele prosperava mais.



                                                                          FIM    

segunda-feira, janeiro 20, 2014

O prefeito

O prefeito João Saiva, ele é um prefeito de uma cidade pequena, ganhou as eleições e decidiu dar uma festa convidou várias pessoas, estava em um lugar sozinho, aproveitando a bebida, chega outra pessoa para falar com ele, o prefeito olha e diz:
- Quem é você?
- Sou Pedro Gerard.
- você é daqui?
- Estou por enquanto trabalhando para alguém daqui.
- Vou te contar tenho muitos planos para essa cidade.
- Empregos, educação coisas assim.
- Exato.
- Vindo de outros prefeitos eu desconfiaria, mas de você tenho total certeza.
-  pode contar comigo.
- me diga, se você sabe que algo muito bom pode acontecer a uma cidade, mudando o destino de vários para o bem, praticamente a cidade teria um bom futuro, mas para isso acontecer o mal teria que acontecer, me responda você evitaria esse mal, a custa de muitos.
- Ual.. que pergunta difícil, eu acho que sim, nada deve se sustentar na base do mal.
- Ótimo você dizer isso, porque eu sou um assassino de aluguel, e quem me contratou foi uma das mulheres que você estuprou, sei que se eu te deixar vivo você faria todas as coisa que um bom prefeito faria, só para sua imagem de uma pessoas crescer, e as acusações não terem forças.
- o que?
Pedro pegar um revolver e dar um tiro na cabeça do prefeito.
 
                                                                             FIM  

sexta-feira, janeiro 17, 2014

O Corredor do futuro

Ele é Gabriel copos, ele nasceu cego, mas por um milagre imagens vinham na cabeça dele, mostrando coisas que iram acontecer, ao longo da vida, conseguiu melhorar as suas habilidades, começou a ser um corredor profissional, apesar da condição ele corria ao lado de pessoas que enxergavam.
Gabriel ficava ganhando várias corridas, ganhou vários prêmios, com o tempo, concordava em fazer comercial de algum produto, tudo andava muito bem na vida dele, e também conquistou a mulher dos sonhos dele, fez dois filhos com ela, os filhos enxergam normal, tudo ia as mil maravilhas para ele.
 Até que um dia uma visão ficava perturbando ele, viu a própria morte, dele tendo um ataque cardíaco em uma das corridas, isso apavorou ele ir muito parou de ir nas corridas, o futuro mudava mas via que ia morrer de ataque cardíaco no mesmo dia, chegou entrar em depressão.
Num dia desses ele decidiu disse para se mesmo"se não tem como evitar a morte, então morrerei fazendo o que gosto", no dia ele correu, conseguiu vencer a corrida,  mas começou a ter o ataque cardíaco, ao invés de fica assustado, começou a sorrir, morreu pouco tempo depois.


                                                                  FIM         

quinta-feira, janeiro 16, 2014

O quadro

Dâwn como gosta de ser chamado, um praticante de magia negra, convidou para ir na casa dele 7 pessoas, cada uma delas tinha um motivo para querer matar um ao outro, antes de convidar todo mundo, colocou papel branco por todo o chão.
Ele sempre se interessou por magia negra desde de menino, e desde menino, os pais dele sempre corriam o risco de perder a casa, e sempre faziam a promessa de nunca deixar a casa.
Os 7 chegaram cada um havia destruído a vida do outro, por roubaram até assassinar alguém que eles amam, o Dâwn colocou 8 facas na mesa, e disse"se você querem resolver os seus problemas agora é a hora, ou você pode deixar tudo passar".
Eles ficaram tranquilo por um tempo, até alguém falar uma coisa errada e o inferno é liberado e todo mundo esfaqueá todo mundo no final todos morreram.
O motivo de Dâwn fazer isso é que ele ia morrer de uma doença, e ele viu uma magia que permitia viver para sempre.
No outro dia depois da chacina policiais encontram nada de corpos ou sangues, só um quadro que estava na parede, com corpos mutilados, e assim o quadro infernal nasceu.


                                                                 FIM
      
Historias relacionadas:
O quadro do medo
O garoto que reclama

quarta-feira, janeiro 15, 2014

Olhos vermelhos no armário

Silvia, era só uma pequena garotinha de 12 anos, mas um dia ela via no armário olhos vermelhos, o medo que ela sentia era tamanha que não conseguia gritar, ficava paralisada, isso acontecia infelizmente todos os dias, até que ela tomou uma decisão ou viveria uma vida inteira com medo daquilo, ou encararia de frente.  Um dia desses ela viu de novo os olhos vermelhos, a Silvia ficou em frente a porta do armário e disse:
- Chega não quero ter mais medo de você, apareça na minha frente de uma vez, ou VÁ EMBORA!
Um vulto passou por ela, depois desse dia, numa mais viu os olhos vermelhos.



                                                                FIM

terça-feira, janeiro 14, 2014

O garoto que reclama

Alan era um garoto,que tinha cabelo pretos, ficava reclamando de tudo, ficava achando que todos estavam contra ele, ficava dizendo que ninguém o entendia, que tinha uma família normal, com mãe e pai, tudo normal, foram morar numa casa nela, e nela tinha um quadro com vários corpos cortados, os pais acharam o quadro,mas como eles acharam que é algum tipo de nova arte deixaram isso de lado.
Passaram meses na casa, o Alan não gostava muito de ter se mudado, ainda reclamava dessa fato, ficava dizendo que não gostava de nada nesse lugar, na escola ela não era nada popular, e as vezes quando estava bêbado, disso quando roubava as cervejas do pai, uma coisa que gostava de fazer era zombar do quadro, ficava fazendo isso muitas vezes.
Um dia desses estava muito bêbado, ficou de frente para o quadro e disse.
    - Que quadro feio, aposto que a pessoa que fez você se matou depois - ele deu uma risada - me surpreende ninguém ter jogado você fora seu quadro de me...- dois bracos vão na direção dele, enfiando as mão na boca dele.
- Você devia reclamar menos e aproveitar mais a vida.- disse uma voz que veio dentro do quadro.
Ela abriu toda a mandíbula dele, rasgando a boca dele, Alan ficou agonizando no chão até a morte.


                                                                          FIM

Historias relacionadas:
O quadro do medo

segunda-feira, janeiro 13, 2014

O violeiro e o Jogo

O homem estava estava com um chapéu, ele estava sentado numa cadeira, e com o manto cobrindo todo o corpo dele, estava simplesmente tocando algumas musicas.
Quando anoiteceu, apareceu do nada 7 pessoas estavam com roupas normais logo eles mostraram os dentes, demonstrando que todos os 7 eram vampiros, um deles se aproximou do violeiro e disse.
- Esculte aqui, agora você esta no jogo da sobrevivência, o jogo só termina se um lado inteiro estiver completamente morto, me ouviu violeiro.
 o Homem continuava tocando.
- você não esta levando a sério, me diga quantas pessoa tem na casa?
O homem continuava na mesma, o vampiro viu a casa fora dela.
- Dá para ver que só tem você na casa.
O homem ainda nada.
- Como só tem você acho que não vamos demorar para terminar esse jogo.
O vampiro estava se irritando porque o homem ficava tocando o violão.
- QUEM VOCÊ PENSA QUE É PARA NOS IGNORAR!
O homem toca uma nota e o fio do violão sai e enrola nos pescoços dos 7 vampiros.
- O QUE?!- disse o vampiro.
- Eu sou um caçador de vampiros e fiquei sabendo de uma pessoa que sobreviveu a esse jogo, que havia um ataque na cidade, dito isso adeus.
Ele toca na coda de violão  que estava enrolada nos pescoços dele, cortando as cabeças dos 7.
- Fim de jogo, ganhei.

                                                                      FIM

Historias relacionas:
O bar sangrento
O violeiro matador
Jogo da sobrevivência: parte:01,
Jogo da sobrevivência: parte:02,
Jogo da sobrevivência: parte:03
Jogo da sobrevivência: parte:final

sexta-feira, janeiro 10, 2014

o Jantar a dois

Estavam em restaurante sentados nas suas devida mesa, olhando um para o outro Carlos e Fernanda, Carlos tem cabelo curto usa óculos, calça jeans, camisa social preta, a Fernanda, é uma loira de cabelo cumprido, usa camisa decotada azul, e usa uma saia azul. o Carlos diz.
- Que bom que você veio.
- Eu tinha que fica com você nesse momento - ela segura uma mão de Carlos.
- Sei que você é a melhor amiga, da minha namorada.
- é uma pena o que aconteceu com ela.
- a Dor dela ter partido ainda esta muito forte.
- sei sinto essa mesma dor - Ela acariciando a mão dele.
- é...
- mas isso já faz 1 ano.
- sim...e dai.
- você deve seguir em frente.
- eu sei e é o que pretendo.
- estou aqui para te ajudar a seguir em frente.
- concordo.
Ele pegar um revolver e a atira na cara da Fernanda.
- E por fim, vi você matando a minha namorada a facadas, fiquei pensando por muito tempo como eu ia fazer isso, vá pro inferno sua pulta.


                                                                      FIM

quinta-feira, janeiro 09, 2014

A demônio do vestido vermelho

Eu noto uma mulher de cabelos grandes, e loiros com uma beleza descomunal, ela era de tirar o folego e isso pode ser literalmente, pois tenho um teoria que ela é uma demônio succubus, sou uma pessoa observadora, apesar de falar com ninguém bar, além do bar-man para pedir a cerveja.
Gosto de vim para o bar, fica pensando na vida, apesar de não falar com ninguém, mesmo olhando de relance, sempre memorizo os rostos, por que penso que é um succubus, ninguém dar cima dela, ela é que dar em cima dos homens e mulheres, por que os dois sexos, para uma demônio carne humana, tem o mesmo gosto não importa o sexo.
Outro motivo por achar isso, por que algumas pessoas que vinham aqui diariamente, simplesmente desaparecem de sair com ela, quando mais feio a pessoa, mais fácil dela seduzir, cada dia que passa fico achando isso,algumas vezes vejo a pessoa com quem ela tinha saído antes dada como desaparecida, até que um dia, ela vem na minha direção.
- ola.
- oi - respondo a ela.
- qual o seu nome?
- Roger e o seu?    
- Angela.
- me diga você quer fazer sexo comigo?
Primeiro fiquei sem resposta, depois eu disse.
- sim, mas antes....quer uma maçã?
- uma maçã?
- não se preocupe, você vai gostar.
Tiro da minha mochila uma maçã, ela estranha e depois come, a cara dela de felicidade era grande, como se ela tiver-se um orgasmo na minha frente, eu vi um pouco do chifre dela aparecendo e voltando, ela diz.
- é muito bom.
- agora seria uma boa, na minha casa ou na minha.
Formos na minha casa, fizemos sexo, foi maravilhoso, ela era mesmo uma demônia succubus, até demonstrou as assas, o importante que sobreviver, para os demônios a maçã é a comida mais deliciosa de todos os tempos, que pena que poucos tem noção disso.
A é como fiquei sabendo disso, tem uma boate com demônios em forma feminina, com corpos formosos, onde os homens transam com demônios e eu frequento o lugar, lá tem succubus, elas dão dicas, de como fazer sexo com a succubus e não ser morto no meio.
Posso contar mais sobre a boate mas isso é historia para outro dia.


                                                                    FIM

quarta-feira, janeiro 08, 2014

O relógio

Luiz Viz estava querendo comprar uma casa, um dia comprou a tal casa, nessa casa tinha uma mobiliá de decoração da casa, um relógio, de parede, e nele tinha aros dourados, ele não se importou com o relógio, ficou na casa por um bom tempo.
Um dia ele viu o relógio, notou que ele estava sempre parado as doze horas em ponto, - deve estar quebrado- disse isso se virando para o lado o oposto, do relógio, o Luiz era um escritor, também era defensor dos animais, ficava dizendo que esse planeta ficaria melhor sem a humanidade.  
Um dia ele acordou e viu que o relógio estava marcando uma em ponto, pensou"deve ter funcionado por um tempo", não achou nada demais até, quando viu do lado de fora, e notou que estava diferente, foi para fora, procurou alguma banca para notar o que estava acontecendo, e viu que ele esta no ano de 2 .110, cem anos depois,-não acreditou avencei no tempo - falou isso entusiasmado, depois ficou com pânico, mas depois de muitas respiradas se acalmou.
Ficou vendo o que tinha no mundo, depois para casa e no outro dia o relógio estava marcando, duas em ponto, foi lá fora e viu a data ele tinha pulado mais 100, ficou vendo as novas tecnologias que tinha, e um coisa também notava que o que tinha escrito anteriormente estava fazendo sucesso, e a mesma coisa aconteceu das 3 as 10, cada hora o Luiz havia pulado 100, anos e notava que em quanto o tempo passava as palavras dele foram ficando cada vez mais fortes.
As onze horas, quando havia se passado mais de 100 anos, ele foi para fora toda entusiasmado, até quando saiu notou que tudo estava destruído, não havia sinal de vida em nenhum lugar, viu muitos prédios destruídos, nesse momento houve a terceira guerra mundial, ficou olhando por toda parte e não via ninguém, nesse momento estava bem assustado.
- onde está todo mundo? - disse tremendo de medo.
Foi para casa, pálido de tanto medo, ficou esperando o tempo passar, e o relógio deu doze horas em ponto de novo, quando viu lá fora tinha se passado mais 100 anos, e viu todo o lugar com floresta, e alguns animais por perto, ficou olhando em volta e nada de humanos, quando foi em direção, ao relógio e viu que ele estava funcionando como qualquer outro relógio.
Um ano se passou, ainda estava procurando humanos e nada, e foi para relógio, o Luiz estava chorando e batendo as mãos no chão e gritando.-POR FAVOR, VOLTE, NO TEMPO, POR FAVOR VOLTE NO TEMPO...


                                                                             FIM

   

terça-feira, janeiro 07, 2014

A beleza do mar.

Eu sou Ricardo Vaz, tinha comigo um barco e com ele, navegava não muito longe, para não ocorrer o risco de alguém não me salvar, caso der algum problema, tenho cabelo preto e longos, só pelo fato de sentir esse vento gostoso batendo na minha cara e passando nos meu cabelos, vivo um estilo de vida que eu considero estar totalmente na paz.
Um dia desses escultei um barulho forte vindo de baixo do barco, no primeiro momento pensei que fosse um tubarão, mas quando olhei no radar do barco, parecia que não havia batido em nada, fiquei matutando na minha cabeça o que será que foi isso.
Quando volto para a terra tenho um tremenda surpresa, uma sereia de cabelos longos e pretos, semi-nua, simplesmente deitada na praia, não pensei duas vezes fui na direção dela, bem do que sei sobre as sereias, o único perigo que corro, é se ela me levar para o mar, provavelmente ela vai me matar.
Quando fui ver a cabeça dela, tinha um ferimento aberto, fui correndo para a minha casa é que lá tinha agulha,linha,um isqueiro e um Whisky, fui para lá, cauterizei, agulha, fechei o ferimento dela, ela abriu os olhos.
-Não se preocupe estou fechando o ferimento da sua cabeça, para você não ocorrer nenhum risco de vida.-fui falando isso e fazendo gestos para ver se ela entendia.Não sei como mas notei que ela entendia tudo o que falava.
Ela passou a mão na cabeça me deu um beijo no rosto e foi para o mar, no outro dia quando estava de barco, ela sobio no barco, a sereia transformou a calda, em pernas normais, e ficou parecido um mulher de verdade, foi na minha direção, me beijou na boca e fizemos sexo, depois disso ela foi para o mar, isso acontecia todo dia.
Ela ficava me chamando parar ir para o mar, só por precaução não ia por mar, agora toda vez que ando de barco, é para fica em paz e ver essa grande beleza do mar.


                                                                          FIM

segunda-feira, janeiro 06, 2014

Lokan contra Darkdeft parte:07

Lokan estava observando da onde o perigo poderia vim, ele de repente sentiu um forte golpe na barriga, fazendo-o tacar numa arvore, Elden estava na defensiva com o escudo, Elden tinha conseguido ver alguma coisa e conseguiu defender o golpe que estava por vim, Lokan consegue ver algo, ele dar um soco, e uma coisa cai, uma espada, Lokan pega a espada Longa, Lokan estava localizando, o Darkdeft, "encontrei você" disse loakn sorrindo, quando percebe que ele estava se aproximando, ele consegue dar um golpe, cortando a cabeça, do Darkdeft, "finalmente" falou Elden, "espere um pouco" disse Lokan, ele pega a armadura do darkdeft, "agora estou preparado para o que vai vim" disse Lokan, eles voltaram para a a cidade deles esperando pela próxima ameaça que virá.

fim.

Veja as partes anteriores:01,02,03,04,05,06

Lokan contra Darkdeft parte:06

Eles estavam procurando darkdeft por todo o lugar, mais havia um problema, estava anoitecendo eles percebiam que se anoitecer só vai piorara tudo, eles decidiram parar fizeram uma fogueira, estavam vendo o local, não sabiam se iam sobreviver a noite.
A escuridão cobria todo o local, arvores estavam sendo derrubadas ao redor deles, eles sabiam quem estava derrubando as arvores, "ok essa vai ser uma noite longa" disse lokan.

continua....

Veja as partes anteriores:01,02,03,04,05

Lokan contra Darkdeft parte:05

Elden estava desesperado procurando o Lokan pela floresta, como o Elden é um soldado a vida dos civis é de responsabilidade dele, fechava os olhos para tenta ouvir alguma coisa já que os elfos conseguem ouvir a distância.
Na caverno Lokan estava dando muito soco na cara do Darkdeft, mas o darkdeft conseguiu segurara o braço de Lokan, fazendo-o uma magia, ele disse algumas palavras a pele de Lokan começou a arder ele, ficou de joelhos de tanta dor que estava passando, olhou para Darkdeft"eu juro que você vai sofrer demais, isso eu lhe garanto" falou Lokan.
Darkdeft dar um pequeno sorriso"mas antes de você me causar alguma dor, primeiro eu vou destruir o seu coração daí você pode ter todo o seu poder de destruição" disse darkdeft,"eu não entendo por que você esta querendo causar tanta destruição, para nada só para causar terror não governa nada" disse Lokan.
Dardeft dar uma risada muito alta"meu objetivo na verdade eu não tenho nenhum objetivo, á unica coisa que eu quero ver é só uma coisa terror e destruição, não quero governa, a unica coisa que desejo é a morte de muitas pessoas, simplesmente porque isso me traz alegria," falou Darkdeft," como alguém pode querer isso, eu não entendo, criar dar mais alegria do que destruir, não entendo por que as pessoas buscam tanto esse lado da destruição" falou Lokan,"como você não entende voc~e tem um lado orc dentro de você, eles só querem ver a destruição" disse Darkdef.
Loakn de repente grita,"o que você esta fazendo" disse darkdeft, a mão de darkdeft fica clara, e Lokan começa a grita de dor,"será que o seus instintos irracionais de orc, já esta fazendo efeito, logo,logo você e eu iremos destruir tudo isso juntos" falou Dardeft.
Darkdeft levanta a mão"agora volta para o seu lugar" disse Darkdeft,ele recebe uma flechada na mão, ele olha para os lados"quem fez isso irá pagar muito caro" falou com uma voz nervosa o Darkdeft, o Elden aparece no lugar.
Elden aponta a flecha"estou procurando um meio elfo e meio orc, você por acaso não ele viu!" disse Elden, o Darkfet estava falando algumas palavras, Lokan dar dois socos nele fazendo-o parar de soltar o poder, Lokan viu a espada grande que estava por perto, pegou ela, "vai ser o seu fim maldito" disse o Lokan.
Quando atacou o Darkdeft com a espada, ele esquivou, foi na direção de Elden empurrando ele, batendo na parede, Lokan vai na direção de Elden,"por você vaio eu ia acabar com ele sozinho!" disse Lokan, levantou o Elden"não, não ia conseguir derrotar ele, você é muito fraco!"disse Elden,"vamos acabar logo com ele" disse Lokan.

continua...

Veja as partes anteriores:01,02,03,04

Lokan contra Darkdeft parte:04

Lokan estava em uma masmorra só algumas tochas estavam iluminando o caminho, ele estava com muita raiva de onde ele estava, ficava gritando de raiva, os gritos dele ficavam ecoando por todo o lugar, ele forçava os braços para poder se livrar das correntes.

Dardeft estava levando consigo uma espatula com a ponta dela fervendo, Lokan pressentindo o que iria vim ficava cada vez mais nervoso sábia que a dor que ele iria causar ia ser enorme, "me tire daqui ou eu te marto e te prometo não vai ser de uma maneira rápida" disse Lokan.

Ele encosta o metal fervendo na pele de Lokan, fazendo-o gritar mais ainda de dor, "libere o orc que esta dentro de você, se você controlar isso você pode ser uma grande arma para min, podemos dominar esses terrenos causando um terror que ele jamais poderiam imaginar, milhares de gerações poderiam nos tremer, imagine o quanto isso poderia ser divertido" disse Dardeft.

Ele encosta a ponta de ferro quente no Lokan novamente ele gritar de dor"eu consigo liberar aquele lado orc na hora que eu quiser, mas prefiro que não, por um simples motivo, meu coração e mente pertence aos elfos, eu tenho imensa raiva a desse orc que existe dentro de min, eu gostaria de sempre ser um elfo, queria jogar tudo que tem de orc fora, se eu puder-se" o Lokan falou isso de cabeça baixa.

Dardeft deu uma risada encostou nele a ponta de ferro ardente,"nunca vi ninguém dizer algo tão idiota na minha vida, você ganhou todas essas vantagens e você nem quer usar elas, você devia aproveitar esses seus dons que tem para ter um lugar nesse mundo" disse Dardeft.

Lokan cospe no chão"eu sei onde você quer chegar, esta tentando me convencer á ir para o seu lado, mas isso não vai adiantar' disse Lokan,"por que você insiste com isso, o que os elfos" Dardeft fala isso e percebe uma coisa nos olhos de Lokan.

Dardeft dar uma risada" mas é claro como não percebi isso antes, você não liga para os elfos, mas você liga para uma elfa em especifica não é, uma que pode acalmar o coração das mais terríveis feras, esta extremamente apaixonado por ela não é" disse Dardeft?

Ele olha para um lado da masmorra "bem, pelo visto para você vim comigo, eu tenho que matar essas elfa em especifico, assim você não terá nenhuma desculpa para liberar o seu lado orc" disse dardeft,"NEM PENSE NISSO" Lokan grita isso, força as correntes quebrando elas, quando se libertou deu vários socos na cara do Darkdeft.



continua.....

Veja as partes anteriores:01,02,03

Lokan contra Darkdeft parte:03

Todas as arvores estavam sendo destruídas ao redor deles, estavam em alerta máximo, ficavam olhando elas sendo destruindo ao redor, Lokan estava doido para atacar mas tinha que focalizar o alvo direito, se não qualquer ataque que fizer-se poderia causar a morte dos dois.
Lokan corre numa direção o Darkdeft ataca com uma espada,mas o Lokan se abaixa, depois o Lokan gira o corpo se contorcendo para dar um chute, acerta a parte da barriga dele que a armadura estava cobrindo, mas mesmo assim ele sentiu o golpe, fez ele se chocar contra uma arvore.
Darkfeft se inclina na direção de Lokan, faz crescer 3 garras na mão, ele foi na direção de Lokan, com um golpe certeiro acerta as costas de Lokan, ele grita de dor, fica se contorcendo de dor, por que ela não parava.
Dardeft se prepara para conseguir dar um golpe certeiro com a espada,"finalmente vou eliminar você uma raça que não devia nem ter existido" falou Darkdeft quase se vangloriando, o Elden acerta um golpe com a espada nas costas dele, fazendo-o correr.
Lokan não parava de gritar de dor,"não estou aguentando tanta dor, por favor me marte, não aguento mais" disse Lokan,"não vou fazer isso amigo, você tem que aguenta firme, não se preocupe eu vou trazer ajuda" falou o Elden tentando acalmar ele.
Os gritos de Lokan estavam ecoando por toda a floresta, o Elden estava tentando levantar ele para eles dois saírem dali.
Os olhos de Lokan estavam ficando pretos"meu deus o que esse desgraçado fez com você?" falou Elden extremamente preocupado, estavam gerando presas na parte de cima e na parte de baixo na boca do Lokan.
O Lokan estava se levantando ele estava socando e quebrando as arvores ao redor, o Elden se afasta"ei amigo você está bem?" falou o Elden se preparando, para sair correndo de lar, o Lokan estava rosnando.
Elden fica em posição de defesa com o escudo,"ou droga" falou o Elden, Darkdeft dar uma risada"ou droga que idiota, por que eu não pensei nisso antes, ele não nasceu naturalmente não foi, para o nascimento dele foi preciso uma quantidade enorme de magia, isso quer dizer que este ser provavelmente, tem muita resistência a magia, e pelo visto ele pode escolher a forma como ele vai ficar de orc ou elfo, ele não é um mero criatura mista" falou Dardeft.
Elden aponta a espada na direção dele, "o que você quer dizer com isso?" falou Elden,"que ele vai ser o meu ajudante, com as habilidades dele, podemos tomar essas terras com muita facilidade" falou Darfet.
Elden se aproxima de Dardeft"ele nunca vai se juntar a você, eu sei que ele é uma boa pessoa, e nunca se juntaria a você para matar ou dominar outras pessoas" falou Elden,"é o que veremos" falou Darfet, ele vira sombra e leva o Lokan junto, " NÃAAAAAAAAO" gritou Elden com o braço estendido.

continua...

Veja as partes anteriores:01,02

Lokan contra Darkdeft parte:02

Lokan e Elden ouviram um barulho no meio da floresta, parecia ser de uma pessoa gritando, todos os elfos conseguiram ouvir esse grito, os dois foram em direção aonde ouviram o grito"onde você esta indo, isso é um trabalho para um soldado"? Falou Elden, "tudo bem eu mato a criatura, e depois você chama um soldado!" falou Lokan, os dois riram e continuaram correndo.
Uma sombra vai na direção do Lokan e empurra ele batendo-o numa arvore, Elden corre na direção de Lokan, "tudo bem"?falou elden, o Lokan cospe sangue, "se você tiver-se recebido esse golpe você teria morrido na hora, mesmo usando uma armadura, nesse caso ainda bem que sou forte como um orc",falou Lokan.
Elden olha para os lados"acho que você deveria realmente voltar desta vez"falou Elden, Lokan dar risada"quando foi que eu sair de uma briga"? falou Lokan,"pelo que eu me lembre nunca"falou o Elden.
Neste momento as árvores estavam sendo derrubadas ao redor deles, eles estavam olhando de prontidão, Elden estava na posição de defesa, "esquerda"falou Lokan, Elden vira para a esquerda, a sombra bate no escudo e Elden e volta.
A sombra mostra ser um elfo com pele sombria, uma armadura preta, e uma espada longa preta, "meu nome é Darkdeft, quero saber quem são vocês" ?Falou Dardeft,"pessoas que querem ver você longe dessas terras disso tenha certeza", falou Elden.
Ele aponta para o Lokan,"quem é você? Um elfo normal teria morrido com aquela pancada" falou Dardeft, "meu nome é Lokan, eu sou um meio elfo e meio orc" falou Lokan, Darkdeft começa a dar risada"impossível, uma elfa, nunca conseguiria ter um bebê meio elfo e meio orc, ela morreria antes de dar a luz" falou Darkdeft.
Elden se aproxima de Darkdeft"ele é mesmo um meio orc e meio elfo" falou Elden, "um milagre inútil já que vocês dois vão morrer aqui e agora" falou Dardeft, Lokan dar um pulo e dar um soco na cara de Darkdeft, e ele bate numa arvore.
Darkdeft enfia a espada no chão, Elden se aproxima e ataca com uma espada, ele se abaixa, e ataca com a espada, só arranha a parte de trás da armadura de elden, "foi um maldito golpe de sorte" falou Dardeft.
Elden ataca de novo com a espada, mas o elden consegue escapar, correndo muito rápido, ele se torna uma sombra de novo, e sai muito rápido do local, "droga, esse desgraçado fugiu espero que ele nunca mais retorne" falou Elden.
Lokan olha para a frente"você esta enganado, estou sentindo o cheiro dele, e posso dizer que estar se aproximando, isso ainda não acabou", falou Lokan,"vamos acabar com ele" falou Elden.

continua....

Veja as partes anteriores:01

Lokan contra Darkdeft parte:01

Lokan é um meio elfo e meio orc, isso aconteceu porque houve um ataque no vilarejo nos elfos, onde muitos orcs atacaram, sem nenhuma piedade, e a mãe do Lokan foi um vítima por que ela foi estuprada pelo orc.
9 meses depois ele nasceu, considerado por todos como uma grande maldição, mas conforme ele foi crescendo, e ajudando as pessoas do vilarejo, simplesmente por que queria e não por obrigação tipo por força eles a adorarem ele.
Tudo se acalma aos 25 anos, ele conhece um amigo, chamado Elden, ele é um guerreiro do vilarejo, sempre carrega consigo um escudo mágico, que foi passado de geração para geração, que ele carrega com orgulho.
O Lokan sempre carrega um manto que cobre o copo todo, simplesmente pela vergonha do copo, por que o copo dele é mais forte do que todos os elfos, mais semelhante aos copos dos orcs, por isso a vergonha.
Lokan estava sentado comendo uma maçã, o elden chega perto de Lokan"o que você esta fazendo ai, simplesmente apreciando a paisagem" falou elden,"percebi que eu não tenho trabalho, realmente não sei o que fazer?" falou Lokan.
Elden anda um pouco e dar um tapa no ombro de Lokan"do que você estar falando você serve para ser um caçador de orc, você pelo menos tem uma vantagem que a maioria dos elfos não tem a força" disse elden.
Lokan simplesmente se levanta e anda "eu não sei se eu deveria fazer isso, não sei se me aceitariam como um caçador de orc" falou Lokan.
Elden é loiro e o Lokan tem cabelos pretos, os dois cabelos são cumpridos, os olhos de Elden são azuis, o de Lokan é castanho, em tamanho ele chega e ter uma altura de dois metros, maior do que a maioria dos elfos e Elden tem tamanho normal.
Elden se deita no chão"eu ouvir dizer que ela, gosta de caçadores de orc" falou Elden,"ela quem"? falou Lokan, "você sabe de quem estou falando", falou o Elden.
O Lokan tinha uma paixão platônica pela Ella, considerada por ele, a elfa mais bonita do vilarejo, com cabelos longos, olhos da cor verde, sempre usava um vestido, com um tecido branco, que cobria o copo.
Ele nunca chegou a falar com ela, simplesmente por que sentia muita vergonha de quem é, não conseguia nem falar e nem ir na direção dela, toda a vida o copo travava quando estava perto dela.
Lokan dar uma risada"você sempre acha que eu vou cair nesse truque, me lembro que você falou que ela sentia algo pelo elfo que berbe-se mais vinho, não acredito que cair nessa, cair de bêbado nesse dia" disse Lokan, Elden dar uma risada"eu sei, nunca rir tanto quanto nesse dia, ainda não acredito que você tinha caído nessa" falou Elden.
Lokan olha para a floresta"você esta tendo algum trabalho"? falou Lokan, "sim, estou tendo um trabalho dizem que um elfo sombrio esta se aproximando desse vilarejo", falou Elden, "quem é ele"? falou Lokan.
O Elden fica de joelhos" ouvir dizer que ele se chama Darkdeft, ele é um assassino sanguinário, mata a todos que passa pelo caminho dele" falou Elden,"boa sorte com ele"! falou Lokan irônico.
Elden se levanta "tomara que ele nem passe por aqui",falou Elden,"não se preocupe se ele passar por aqui, você vai enfrentar-lo sozinho", falou Lokan,"eu sei disso vou ter os elfos do vilarejo me ajudando" falou Elden.
Lokan encosta a mão no ombro do Elden"falei de min, vou te ajudar, como eu lhe ajudava antigamente" falou Lokan, "bem espero que quando ele vim, conseguiremos matar esse desgraçado" falou o Elden.
Um elfo de armadura estava passeando pela floresta, quando olha para um lado e ver uma pessoa totalmente sombria, a criatura enfiou uma espada no peito elfo, depois foi embora o elfo ficou agonizando no chão.

Continua...

sexta-feira, janeiro 03, 2014

Não olhe para trás parte:06

Os dois ficaram parado surpresos, "você já sobreviveu a criatura?" diz a Ana, "sim, eu já sobrevivi, eu e minha amiga, ele não estava atrás dela, eu perdi que ela me trancar-se em um freezer, mas antes nós pegamos medicamentos médicos para a ressurreição, pois é eu me tranquei no freezer, fiquei lar até eu literalmente morrer de frio, quando eu morri, essa minha amiga me trouxe de volta, dai nunca mais essa criatura veio atrás de min" disse o faxineiro.

Ana fica surpresa" você esta me dizendo que a unica forma de escapar dele é morrendo?" disse Ana, "infelizmente sim, mas você tem que saber como morrer, para que possa ter um jeito para te reviver" diz o faxineiro, "mas como?" disse o Ana, "eu escrevi um livro para a ajudar as pessoas a entenderem a situação, normalmente isso acontece na fase da escola, então eu sempre tive em mente que poderia encontrar um dos escolhidos aqui" diz o faxineiro, ele tira 4 injeção duas com listras vermelhas.

Eles dois estavam de joelhos em um corredor, "se lembre o com a listras vermelhar é para matar" diz Ana, "queria que tiver-se outro jeito" diz o Alan, "mas infelizmente não tem" diz Ana, ela se deita, "estou pronta" diz ela, ele injeta a injeção com a lista vermelha, ela tem um choque, e morre, ele espera pouco tempo, e injeta a injeção normal, fez com que ela voltar-se ao normal, "deu certo?" diz Ana, "não sei" diz Alan, ela olha para trás e nada acontece, "deu certo" diz o Alan.

Ela ver a parede sendo arranhada, e algumas partes da parede sendo explodida, "ele esta indo atrás de você" diz a Ana, ele se deita,"vamos não termos muito tempo" diz o Alan, ele se deita, "boa sorte" diz a Ana, ela injeta a injeção com a listra vermelha, ele tem um choque, se debate um pouco de morre, quando ela vai injeta a outra injeção, a sombra bate na injeção, ela pula em direção a injeção, pega ela e vai em direção a ele e injeta a injeção nele.

Ele demora um tempo,"vamos, vamos" diz a Ana, ela bete no peito dele,"VAMOS" grita a Ana, ele acorda de repente, ele olha para trás e nada acontece, "estamos a salvos" disse o Alan, a criatura nunca mais foi atrás deles, nunca souberam a origem da criatura, e nunca souberam o motivo de nunca olhar para trás, mas eles continuam vivendo a vida, normalmente, seguindo o seguinte conselho"nunca olha para trás, assim você poder ar, continuar a sua vida".

Anteriores partes:01,02,03,04,05

Não olhe para trás parte:05

Os dois estavam indo e pararam bem em frente a biblioteca, se lembraram do que aconteceu lá a pouco tempo, "será que ele ainda esta ai" disse o Alan, "ele sempre estará atrás de nós não importa para onde vamos, acho que tudo já deve estar normal" disse a Ana, apesar de saber da situação os dois ainda estavam com medo de entrar, como se ele estiver-sem esperando por ele lar, com a mão tremendo, ela segura a maçaneta,"tudo vai fica bem" disse Alan.

Os dois entraram na biblioteca, eles estavam completamente retos, se moviam sincronizadamente,"não entendo por que só agora ele esta no atacando, por que espera tanto?" disse o Alan,"talvez ele esteja esperando nós chegamos a maioridade" disse Ana,"que jeito que ele tem para comemorar isso!" disse Alan, "você tem razão ele podia nos entregar presentes antes!" disse Ana, ela deu um sorriso,"finalmente você deu um sorriso" disse Alan.

Ela ficou encabulada, "por que disse isso?" disse Ana, "é uma coisa que esta me fazendo fica calmo nesse inferno pelo que estamos passando" disse o Alan, os dois estavam passando pelos destroços da biblioteca, "bem ainda bem que nós já vimos o tal livro" disse o Alan, a Ana olha toda a destruição e livros espalhados,"tem razão com essa bagunça não iriamos encontrar nenhum livro, será que havia outro livro que deveríamos achar?" disse Ana.

Eles ficavam olhando toda a biblioteca, "espero que não" disse o Alan, houve uma explosão atrás deles, espalhando pedaços de madeira por todo canto, eles conseguiram evitar olhar para trás, "maldito por que não nos deixa em paz um segundo" disse o Alan, a Ana abraça o Alan, "se acalme vamos encontrar um modo de sair dessa situação vivo" disse a Ana, eles ouvem atrás deles objetos se movendo, "lembram-se que temos que ser fortes e não olhar para trás" disse Ana.

Um faxineiro, que não tinha cabelo grande, era moreno com fios de cabelos brancos, não tinha barba, usava roupa de faxineiro, ver o Alan e a Ana se movendo muito reto, como se tiver-se um medo de não olhar para trás ele chega perto deles,"precisa de ajuda" disse o faxineiro,"se você puder nos salvar de uma sombra maligna que nos impede de olhar para trás sim" disse Ana, "então eu sou o cara certo eu sou um dos sobreviventes" disse o faxineiro.

Anteriores partes:01,02,03,04

Não olhe para trás parte:04

Pedaços de vidro estavam indo na direção deles, quando o um vidro fez um corte no braço de Alan eles perceberam o que estava acontecendo, todos eles começaram a correr, e também algumas pessoas que estavam em volta, alguns dos vidros atingirão as pernas de algumas pessoas, algumas o vidro acertava o olho, a Ana estava curiosa se os vidros ainda estavam vindo, mas ela estava resistindo, e não olhou para trás nenhuma vez, ele entram numa lan-house.

Os dois vão se virando, e virão que os vidros não estavam mais seguindo na direção deles, a Ana saiu do local, o Alan hesitou um pouco, depois foi atrás dela, "temos que encontrar um local seguro" disse o Alan todo preocupado com a situação,"você não entende só basta nós olharmos para trás apenas uma vez, e já vai ser o suficiente" disse a Ana, uma pessoa estava correndo, ele caiu no chão, ele olhou para trás, os olhos deles começou a sangrar.

O Alan e a Ana fecharam os olhos, mas isso não adiantava muito porque ainda conseguia ouvir os gritos dele, eles dois estavam muito apavorados com que estava acontecendo, os dois se viraram e continuaram andando, com um pesar enorme em cada paço,"por que a gente não fez nada" disse Ana, "porque não tinha nada que a gente poder-se fazer, não sabermos uma maneira de deter-lo, e se isso acontece a muito tempo alguém já teria achado até agora" disse Alan.

A Ana fica pensando e muito sobre a situação, "mas se alguém contar sobre isso não é uma coisa que as pessoas vão acreditar, normalmente colaria ele num sanatório" disse a Ana,"existe um outro jeito, de conta uma verdade dessas, mas sem a pessoa dizer que realmente aconteceu" disse o Alan,"como é esse jeito?" disse a Ana,"simples a pessoa faz um livro ou conto revelando tudo isso que esta acontecendo, dai a pessoa que estiver passando por isso sabe que é verdade, e se ele descobre uma nova informação, fica colocando algo, na historia, una dica de como vencer ele, ainda com o mesmo esquema, a pessoa que nunca passou por isso pensa que a historia é de mentira, e dai por diante" disse o Alan.

Os dois começaram a andar, "bem nesse momento só tem uma pessoa que pode nos ajudar, a pessoa que escreveu aquele livro da biblioteca, espero que ele ainda esteja vivo, por que nesse momento, ele é a nossa unica esperança de sair vivos" disse Ana.

Anteriores partes:01,02,03

Não olhe para trás parte:03

O Alan ficou muito feliz"espero que esteja escrito ai" diz o Alan olhando fixamente para o livro, a Ana ficava olhando o livro todo, nesse momento o Alan só se concentrava em olhar para frente, os dois escultam o barulho de duas cadeiras sendo jogadas,"MALDITO, esta tentando fazer com a gente olhe para trás" disse Alan.

A Ana segura a mão de Alan,"muito cuidado, é assim que ele te pega, ele comete sustos, ele mexe com os nossos instintos, o principal dele, é quando olhamos para trás para saber se á algum perigo próximo, não vai ser fácil, nós temos que conseguir, eu não quero morrer" diz a Ana, enquanto ela falava o Alan ficava olhando para ela.
Ela fica olhando o livro"não entendo" diz a Ana, "o que foi?" perguntou o Alan,"o livro esta dizendo, que existem jeitos de morrer, sem que isso cause um efeito permanente, saiba como morrer e também como voltar, no momento em que você morrer essa criatura não vai mas atrás de você" diz a Ana, "é muito confuso o que ele diz" disse Alan.
Quando o Alan ver o espelho, ver milhares de sombras, atrás deles,"eu tenho que parar de olhar para o espelho" disse o Alan, " o que você disse?" perguntou a Ana, ela ver o espelho e se assusta,"ele vai nos matar" disse o Alan, "não se preocupe, é só não olharmos para trás, por que raios uma criatura sobrenatural se importa em fazer esse tipo de joguinho?" disse Alan.

A Ana segura a mão de Alan com força, ela beija ele na boca, "ual tão de repente" disse o Alan feliz, "eu não queria morrer sem beijar na boca de alguém" disse Ana, os dois se levantam, os dois sentem que estão sendo puxados para trás, "vamos sair daqui?"disse o Alan, "concordo" disse Ana" os dois saíram da biblioteca, "bem eu fico feliz pelo menos respeitar essa regra de só pode matar se olhar para trás, pior seria se ele não tiver-se ele ele não tiver-se regra nenhuma" disse a Ana.

Eles escultam o som de cadeiras sendo quebradas, e vidros da biblioteca, "isso não vai adiantar" disse o Alan, ele vêem uma estaca de madeira, indo na direção de uma garota, atravessando o peito dela, Ana e Alan ficaram muito assustados.
Ficaram vendo e chorando pelo o que aconteceu, "o que aconteceu dele só matar as pessoas que só olham para trás" disse o Alan, "talvez só com a gente ele esteja por essas regras, mas com as pessoas que não são escolhidas por eles, ele mata de qualquer jeito" disse a Ana.

Anteriores partes:01,02

Não olhe para trás parte:02

Ana estava se virando o corpo todo para frente, "eu também tenho que andar assim?" perguntou Alan quase rindo da situação,"se você quer se arriscar em olha para trás e ser morto por ele, pode ser, mas isso eu não vou me arriscar" disse ela com raiva, "ok, vamos na biblioteca" disse Alan.
Eles estavam na biblioteca"eu tenho que pergunta, por que você acha que tem um livro na biblioteca, falando sobre essa sombra" disse Alan,"aquele garoto que eu te falei, disse que viu todas essas informações de um livro, isso só pode significar que á um jeito de sobreviver" disse Ana, "ok, mas não entendo por que colocaria isso na biblioteca da escola" disse Alan,"não é obvio, se tudo isso começa aos 18 e a maioria que faz 18 esta na escola, a biblioteca é o lugar de fácil acesso" disse Ana.
Ele estava olhando os livros, depois se afastou um pouco e ficou olhando para a bunda da Ana,"achei" disse Ana,ela pega o livro, eles vão para uma mesa com todo cuidado para não olhar para trás,"qual é o nome do livro?" perguntou Alan,"não olhe para trás" disse Ana, os dois estavam sentados ela estava lendo, "eu não entendo ele poderia ter nos matado quando criança, mas por que agora, ele decidiu nos matar, isso não faz o menor sentindo" disse Alan.
Ana vira o corpo em direção á ele,"é para descobrir essas resposta que pegamos o livro" disse Ana, "você consegue termina rápido esse livro eu não quero ter que fica me preocupando se eu devo olhar para trás ou não" disse Alan, "me diga você viu a tal sombra quando criança?" disse ana,"eu já tinha dito que sim" disse Alan,"então você não deve olhar para trás, a não ser que você não tenha nenhum desejo de viver nesse caso pode olha para qualquer direção" disse Ana.
O Alan olha para frente" isso é ridículo" disse alan, ele olha para um espelho e a criatura das sombras estava bem atrás deles,"me diga olha para o espelho conta como olhar para trás?" perguntou Alan apavorado, "bem no nosso caso não" disse Ana, "por que eu estou vendo esse desgraçado atrás de nós no espelho da frente" disse Alan, ela olha para o espelho, e toma um susto,"você tem certeza total sobre o negocio de não olhar para trás não é?" perguntou Alan,"sim" afirmou Ana.
O Alan ficou olhando para mesa"ele vai nos matar" disse Alan, ele ver um garoto que andava que tem a ana, ele ouve um barulho atrás dele, ele vacila e olha para trás por um segundo, a sombra pega a perna do garoto e sai arrastando e tira ele da biblioteca"oh meu deus" disse Alan, a Ana estava olhando o livro mas estava apavorada, estava com os olhos lacrimejando, ela limpava os olhos com a mão, o Alan abraça ela como um gesto de tenta acalmar a amiga.
Ela estava olhando o livro o mais rápido que podia,"descobri algo" disse Ana, ele se aproxima dela,"o que você descobriu?" disse Alan,"que ele escolhe 20 jovens que nasceram no mesmo ano, depois que esses garotos completarem a maturidade, a sombra vai atrás deles para marta-los, quando ele os mata pega a alma deles, fazendo-o se tornar mais forte, depois que ele mata os 20 jovens e descansa por 20 anos, para depois voltar a matar novamente" disse Ana.
O Alan passa a mão no rosto, " isso quer dizer que não tem uma maneira de marta-lo, ele estar agindo por muito tempo não podemos ser os únicos que querem mata-lo, se houver-se um meio com certeza já teriam descoberto" disse Alan,"você não entende não é?"perguntou Ana, "o que eu não entendo?" disse Alan,"este livro foi escrito por um sobrevivente"disse Ana, ela mostra uma coisa escrita na contra capa do livro"não se desespere existe um meio".

continua....

Anteriores partes:01,

Não olhe para trás parte:01

Quando o pequeno,o Alan Silva costumava ver uma pequena sombra, estava sempre perseguindo ele, uma vez uma pessoa quase atropelou ele de bicicleta, "sai do meio muleke" falou a pessoa quase empurrando o pequeno Alan do caminho, no dia seguinte o cara da bicicleta aparece mutilado e uma arvore.
Quando a mãe do Alan viu isso ficou completamente apavorada, tapando o rosto de Alan para não ver essa cena horrível, ele tinha ficado feliz por isso ter acontecido, pelo jeito como o cara da bicicleta havia tratado ele antes, "não olhe filho" disse a mãe, ele abraça a mãe escondendo um sorriso.
Ele ver enquanto estava abraçando a mãe uma sombra que estava escondida na arvore, "mãe quem é aquele que está seguindo a gente?" disso o garoto curioso, a mãe imediatamente se vira, e não ver ninguém"não estou vendo ninguém" disse a mãe,"eu vi ele quando eu estava em casa" disse o garoto, a mãe pensou que se tratava de um caso de amigo imaginário.
Em casa ele ficava olhando pela janela"pare com de fica olhando o lado de fora se você quiser sair pode sair" disse a mãe,"estou com medo, tem alguma coisa lá fora" disse o garotinho, a mãe discutiu com ele dizendo que não tinha nada lá fora, o Alan estava andando o carteiro esbarrou sem querer nele" me desculpe garoto" disse o carteiro, Alan aceitou as desculpas.
No dia seguinte quando o Alan estava voltando da escola ele ver o carteiro dividido no meio, isto apavorou ele e muito, vomitou no chão, ficou olhando em volta para ver se via a criatura"POR QUE ELE" gritou o garoto, ele estava em lágrimas, ele foi correndo aos prantos para a casa, e ficou chorando, a mãe perguntou o que aconteceu, o garoto falou o que tinha visto.
Ele mal teve coragem de sair de casa depois, em quanto ele ia crescendo de vez em quando isso acontecia de alguém parecer morto, até que ele chega aos 18 anos, ele via uma garoto de cabelos loiros e olhos azuis, andava reto, ela não olhava para os lados, quando olhava para alguém girava o corpo, ele já tinha visto ela antes mas só agora ela estava fazendo isso.
Ele curioso pergunta para ela"por que você esta agindo assim, toda reta" disse ele,"vai parecer loucura, que vou falar, mas quando criança sempre notei uma sombra perseguindo, uma sombra completamente assustadora"ela nota que quando fala da sombra, os olhos de Alan regala, "você também ver a sombra sinistra" disse a garota,"eu pensei que eu erá o único" disse o Alan.
Ela bota a mão no ombro dele e diz"eu me encontrei com um outro garoto que também via a sombra, ele erá de um grupo que também via a sombra, ele me disse uma coisa muito importante, ele me disse para nós nunca olharmos para trás, por que no momento que fazermos isso essa sombra vai e nos marta" disse a garota, "isso é impossível, nós temos que olhar para trás uma vez na vida" disse o garoto,"é por isso que nenhum escolhido, sobreviveu até hoje" disse a garota.
Ele fica confuso e diz"quantos escolhidos são no total?"disse o Alan,"é isso que estou querendo saber, o garoto me disse onde eu posso achar informações sobre ele" disse a garota,"onde está ele para nos ajudar nisso?" questionou ele,"ontem ele vacilou e olhou para trás eu vi a sombra pegar ele, e matar ele, ainda estou muito apavorada com tudo isso.
Ela abraça ele chorando"tudo vai fica bem" disse ele tentando acalmar ela,"vamos" disse a garota,"me desculpe mas qual é o seu nome?" disse o Alan,"meu nome é Ana Teixeira" disse ela, ele disse o nome dele, os dois estavam andando em direção a escola, o Alan estava aterrorizado ficava na duvida, será que a sombra está atrás deles.

continua....

quinta-feira, janeiro 02, 2014

O bar sangrento

Roberto e maria os dois são caucasianos, de cabelos pretos, estavam andando de carro, eles viram um bar como estava no caminho foram para lá beber, estavam se divertindo,até estavam aproveitando esse momento, já que estavam comemorando 3 anos de namoro, os dois trabalhavam em um escritório, quando deu 12 horas da noite, todos do bar demonstraram-se  serem vampiros, mostrando as presas, tomados pelo medo os dois se abraçaram, estavam começando a chorar, de repente um fio foi em volta dos pescoços de todos os vampiros, nesse momento todos os vampiros tiveram as suas cabeças cortadas, e todos viraram cinzas, os dois viram quem estava vivo lá, eram eles e um violeiro, e o violeiro disse"saiam daqui, não se preocupe com eles, eu matarei todos os vampiros perigosos", os dois agradeceram e saíram do bar o mais rápido possível.

                                                                           FIM

Historias relacionadas:
O violeiro matador

quarta-feira, janeiro 01, 2014

Acorda

Felipe saus, estava sentado na cadeira, conversando com os amigos que estavam sentados, nas cadeiras ao redor, estava conversando e rindo, de repente começou a ouvir uma voz do nada que ficava dizendo"acorda", ficou olhando de um lado para o outro e de novo a voz ficava dizendo"acorda", perguntou se mais alguém ouviu isso a resposta"não", a voz ficava dizendo isso direto, na verdade o Felipe estava no carro, nesse momento acordou e quase bateu no caminhão, ele quase morreu, mas a voz misteriosa o salvou, até agora ele não soube o que aconteceu.


                                                                        FIM